Uso do mineral Dolomita na Osteoporose e bursite [Israel]

Receita 1:

Fonte: Weizmann Institute of Science de Israel, 23 de abril de 1998).

O cálcio é melhor absorvido quando em conjunto com o magnésio, quando na proporção certa. A absorção do cálcio pelo organismo é um processo muito delicado, envolvendo uma metabolização da vitamina D, no fígado e nos rins, além de outros fatores. Esta metabolização cria o calcitriol 1,25 (OH)2 D3, que é o metabólito ativo da vitamina D, responsável pela retenção do cálcio no corpo. Se houver aumento de calcitriol no sangue e nos ossos, haverá uma rápida calcificação e um aumento da massa óssea, que pode ser constatado por meio de uma densimetria óssea. O calciotriol pode ser medido nos sangue e nos ossos.
O Instituto Weizmann constatou que o consumo do material dolomítico (material analisado: Gran-White-GW, Israel), aumentou a dosagem de calcitriol no sangue sem ter que ingerir a própria vitamina D.
Os tratamentos com hormônios para aumento da massa óssea trazem efeitos colaterais sérios.
O GW produziu um aumento de massa óssea num período de 8 meses em média, sem o uso de qualquer outro medicamento.
O uso do GW trouxe efeitos de analgesia, desinflamatório e cicatrizante, atuando em todo sistema imunológico, eliminando o excesso de cálcio que provoca a bursite, e suprindo sua falta (osteoporose)
.