Sacaca –

Nome cientifico: Croton cajucara Benth.

Sinonímia: Cajuçara, casca-sacaca, cajussara, muirasacaca, cajucara

Composição Química:

Linalol, sabineno, estragol, linearisina, magnoflorina, ácido aleuritórico (tripenóide). O clerodano trans-desidrocrotonina (DCTN,) é o constituinte principal do chá das cascas da Sacaca, enquanto nas pílulas (pó das cascas) apresenta menor rendimento.


Dados para Cultivo

Propagação: planta nativa , semente

Espaçamento: planta nativa

Época de Plantio: planta nativa

Época Colheita: folha e casca: ano todo


Informações Gerais

Contra Indicações:

Croton cajucara Benth (Euphorbiaceae)
O uso indevido dessa planta (folhas com indicação de cascas em tratamentos prolongados) pode causar hepatite tóxica. Pelo menos em duas capitais (Belém e Rio de Janeiro) essa planta já mostrou que pode apresentar efeitos hepáticos irreversíveis. No Hospital Universitário da Universidade Federal do Rio de Janeiro houve um relato de falecimento (em 2001) e em Belém, na década de 1990, muitos casos de hepatite tóxica foram registrados, ocorrendo casos de óbitos. O Hospital Universitário da Universidade Federal do Pará possui um histórico significativo de pessoas vitimadas por doenças do fígado, as quais estavam ingerindo folhas em dietas prolongadas de emagrecimento. Apesar dos alertas sobre a toxicologia das folhas dessa planta veiculados pela mídia, em Belém, a população, mesmo avisada, costuma consumir as folhas para emagrecimento. Nesse caso, os usuários se dizem encorajados pelo percentual de pessoas que garantem ter emagrecido com saúde.
Estudos realizados por nosso grupo de pesquisa destacam que o aroma e o amargor (provavelmente fornecido por diterpenos do tipo clerodano73,74) são bons indicadores da autenticidade de chás à base das cascas de sacaca. O clerodano trans-desidrocrotonina (DCTN,) é o constituinte principal do chá das cascas da Sacaca, enquanto nas pílulas (pó das cascas) apresenta menor rendimento. O tratamento com o chá torna-se, portanto, um pouco mais lento (sendo necessárias duas a três semanas), que com pílulas (três vezes ao dia) uma a duas semanas. Nossos estudos usando cromatografia gasosa de alta resolução mostraram que a concentração de DCTN nas cápsulas é de 78,7%, ligeiramente maior que no chá, com concentração de 59,9%14. Essa diferença se deve à baixa solubilidade da DCTN em água.

Em um extenso projeto multidisciplinar envolvendo trabalhos etnobotânicos, fitoquímicos, químicos e farmacológicos com o Croton cajucara estão sendo verificadas as informações terapêuticas desta espécie 75-83. Nesses estudos, a ação medicinal das cascas do caule da sacaca é validada pelos resultados toxicológicos obtidos, não sendo observados efeitos colaterais nos animais tratados em laboratório 80-83.

Observações:

A casca também é usada em perfumaria .


Uso Medicinal

Uso Normal:

Nas dores estomacais, diarreias, problemas hepáticos, nas taxas altas de colesterol, na icterícia, malária, ajudando no emagrecimento, na diabete, nas anemias, nas afecções da vesícula e dos rins, usando-se folhas e entre casca, como infusão e decoto .

Características:

Croton cajucara é uma planta nativa da região Amazônica que possui um histórico rico em benefícios terapêuticos14,71. É vulgarmente conhecido como sacaca e pode ser encontrado em farmácias de produtos naturais do norte e sudeste do país, em diferentes formulações, sendo amplamente comercializado em feiras livres da região Amazônica. Tradicionalmente as cascas do caule são mais consumidas que as folhas. Estas são usadas no tratamento da diabetes, no combate a problemas gástricos, no controle da taxa de colesterol e indicadas para distúrbios do fígado (provocados pela ingestão em excesso de bebidas alcoólicas ou alimentos muito gordurosos), para ajudar na digestão. O pó das cascas é vendido em cápsulas de aproximadamente 250 mg e o pó das folhas pode ser encontrado puro ou em mistura com o pó do boldo do Chile, sendo ambos usados no tratamento de distúrbios do fígado. É comum encontrar em lojas de produtos naturais da região norte do país (Manaus e Belém) cápsulas de cascas e folhas da sacaca em mistura com outras plantas medicinais.

Recentemente, os benefícios terapêuticos da sacaca difundiram-se por todo o país. Sua comercialização, entretanto, não preservou o uso tradicional da espécie. Foram relatados casos em que as folhas da sacaca foram vendidas com as indicações terapêuticas das cascas. Um dos autores (M. A. M. Maciel) em 1998, adquiriu em uma farmácia de manipulação localizada na Tijuca, bairro do Rio de Janeiro, um frasco contendo 25 cápsulas de folhas de sacaca, contendo no seu rótulo todas as indicações terapêuticas das cascas.

Foto:

Foto 2: