Canela-falsa 2

Nome cientifico: Dicypellium cariophyllantum Nees

Sinonímia: UFLA:Cravo-do-maranhão; cravo-do-mato; cravo-da-terra; falsa-canela; caneleeira-cravo; ibiraquinha; louro cravo; pau-cravo

Composição Química:

Óleo essencial (óleo de cravo), euginol, ácido resinoso, ácido tânico, beta e alfa pineno.


Dados para Cultivo

Propagação: planta nativa - sementes

Espaçamento: planta nativa

Época de Plantio: planta nativa

Época Colheita: entrecasca: ano todo, folhas: período vegetativo, antes das flores.


Informações Gerais

Contra Indicações:

Ver dados de uso na gravidez. Ver possíveis dados na janela Informações Úteis na Abertura do Site.

Valor Alimenticio:

Usado como condimento.


Uso Medicinal

Uso Normal:

Usado como: tônico e estimulante gastro intestinal, nas afecções do aparelho digestivo, como calmante; usando-se a casca em decoto, e as folhas em infusão.

Características:

Árvore com 8-12 m altura, com forte cheiro de cravo, ramos cilíndricos glabros, folhas coriáceas ou subcoriáceas, elíptico-lanceoladas, inflorescência racemaosa, axilares ou subterminais, flores com perianto coriáceo, rotado, 6 lóbulos, persistentes, flores masculinas com anteras foliáceas, e femininas com três estimódios petalóides, ovário globoso estigma, fruto baga envolvida pelo perianto persistente, internamente cingida por restos dos estaminódios e assentada sobre um disco ó-anguloso. Originária da Amazônia Brasileira, Maranhão, Mato Grosso, Goiás.

Foto: