Quina-branca

Nome cientifico: Strychnos pseudoquina A.St.-Hil.

Sinonímia: Quina-do-campo, quineira, quina, quina-do-cerrado, quina-grossa, falsa-quina, quina-cruzeiro, quina-da-chapada, quina-do-periquito, quina-do-mato-grosso.

Composição Química:

Flavonóides e alcalóides diferentes da quinina presentes na quina-quina. que pode ser altamente tóxica [ver quina verdadeira-quina quina]


Dados para Cultivo

Propagação: planta nativa , sementes

Espaçamento: planta nativa

Época de Plantio: planta nativa

Época Colheita: entrecasca: ano todo


Informações Gerais

Contra Indicações:

Algumas espécies são consideradas narcóticas.

Valor Alimenticio:

Seus frutos são comestíveis.


Preparo e Conservação

Extrato Peso/Volume: 10


Uso Medicinal

Uso Normal:

Lorenzi: sua casca é usada até como substituto da quina-verdadeira (quina-quina) no combate à malária. É usada como tônica, febrífugo, afecções do baço, fígado e estômago. Algumas espécies são consideradas narcóticas.

Características:

Nativa dos cerrados do Brasil. Árvore de copa alongada e densa, com tronco grosso e cascudo, com até 9 m altura, folhas simples, opostas, coriáceas, brilhantes e glabras na face superior, com cindo nervuras na parte superior apresentando uma disposição parecida com um tridente, flores de cor crème, perfumadas juntas em pequenas panículas axilares, frutos do tipo drupas com forma globosa.

Foto:

Foto 2:

Foto 3: