Erva-lagarto; Guaçatonga; Congonha-de-bugre

Nome cientifico: Casearia sylvestris Swartz.

Sinonímia: Guaçatonga, congonha-de-bugre, apiá-acanoçu, bugre-branco, carvalinho, café-bravo,café-do-brejo, café-do-diabo, café-do-frade, cafezeiro-do-mato, cafezinho-do-mato, cambroé, chá-de-bugre, erva-de-bugre, erva-pontada, fruta-de-saíra, guaçatunga, guaçatunga-preta, língua-de-tejú,língua-de-lagarto, língua -de-tiú, para-tudo, pau-de-lagarto, petumba, pioia, varre-forno, vassitonga,
Fonte: UFLA- Brasil Pereira P.

Composição Química:

Flavinas, saponinas, óleo essencial, terpenos, triterpenos, flavonóides, diterpenos.
www.plantamed.com.br: Constituintes químicos: antocianosídeos, casearina A-F, flavonas, diterpenos, óleos essenciais, resinas, saponinas, taninos.
Folhas: diterpenos (casearia clerodeno I a VI e casearina A a R), óleo essencial (2,5% com alto teor de terpenos e ácido capróico, saponinas, alcalóides, flavonóides, tanino, resina, antocianosídeo, b e D-elemeno, a-copaeno, b-cariofileno, a-humuleno, germacreno-D, biciclo-germacreno, D e d-cadineno e espatulenol). Fonte: UFLA- Brasil Pereira P.


Dados para Cultivo

Propagação: planta nativa, sementes

Espaçamento: planta nativa

Época de Plantio: planta nativa

Época Colheita: folhas e raiz: ano todo


Informações Gerais

Contra Indicações:

Dr Degmar: risco de antagonismo com vitamina K, podendo provocar hemorragias em tratamentos maiores de 4 meses. DL 50 acima de 2 g/kg de peso vivo.

www.plantamed.com.br: não deve ser usada durante a gravidez (é abortiva) e lactação. Tem baixa toxidade. A DL50 em ratos foi estimada em 1792 g do extrato seco/kg  


Preparo e Conservação

Extrato Peso/Volume: 15


Uso Medicinal

Uso Principal:

É muito eficaz no tratamento da psoríase, juntamente com um unguento. Excelente para lesões causadas por picadas de cobras, tomando-se os cuidados de usar um soro anti-ofídico específico.

Fonte: UFLA- Brasil Pereira P.

Uso Normal:

Uso interno, decocto à 20%, 5 minutos: sífilis, depurativa do sangue, úlcera interna. Costuma-se usar as folhas para hematomas causados por batidas; e as raízes são utilizadas também para sífilis e moléstias da pele. Uso interno: extrato seco 57,5 mg / kg peso vivo. Decocto: 2 colheres de sopa em 1 a 2 xícaras de água 2 vezes ao dia. Xarope – 10 a 40 ml /dia. Uso externo: tintura. Uso interno, infusão ou decocto: afecções renais, atua no acúmulo de ácido úrico, litíase vesical, reumatismo, artritismo. Uso interno, infusão, maceração: obesidade, má circulação, pressão alta, dermatites, colesterol, psoríase. Uso interno, infusão, maceração: obesidade, má circulação, pressão alta, reumatismo, dermatites, colesterol, psoríase. 

Fonte: UFLA- Brasil Pereira P.

www.plantamed.com.br: Modo de usar:
– suco ou decoção das folhas. Uso interno e externo.
– infusão ou decoção a 5%, 50 a 200 ml/dia;
– infusão de 10 g de folhas frescas ou secas em 200 ml de água quente. Esfriar e aplicar com algodão sobre o ferimentos. Tomar 2 xícaras por dia da infusão para úlceras e problemas digestivos.
– compressas: ferver durante 10 minutos 30 g de folhas de guaçatonga com 10 g de folhas de confrei em 1 litro de água. Coar e aplicar compressas sobre eczemas; extrato fluido: 2 a 10 ml/dia;
– tintura: 10 a 50 ml/dia;
– elixir, xarope e vinho: 20 a 100 ml/dia;
– alcoolatura: macerar por 5 dias 20 g de folhas em ½ copo de álcool neutro. Coar e aplicar topicamente (picada de insetos). O preparado deve ser mantido em locais frescos e em frasco escuro;
– uso interno: extrato seco 57,5 mg/kg. Decoção de 2 colheres de sopa em 1 a 2 xícaras de água 2 vezes o dia;
– xarope: 10 a 40 ml/dia;
– uso externo: tintura aplicar no local da picada. Decoção a 5% para eczemas;
– óleo da planta:vermes.

Uso Normal:

Diurético: ferver 5 minutos 5 folhas juntamente com 1 folha de abacateiro e um punhado de “cabelo de milho” (da espiga do milho verde) em 0,5 xícara de chá, coar e tomar 2 vezes ao dia.

Fonte: UFLA- Brasil Pereira P.

Características:

Originária da América Tropical, muito bem adaptada nos cerrados do Brasil Central. Quando adulta é uma árvore de pequeno porte, com até 6 metros de altura, folhas alternas, ovaladas, serreadas, flores pequenas, hermafroditas, de cor amarelo-esverdeada, reunidas em inflorescência do tipo umbela.

Fonte: UFLA- Brasil Pereira P.

Foto:

Foto 2:

Foto 3:

Foto 4: