Camapú

Nome cientifico: Physalis angulata L.

Sinonímia: Bucho-de-rã, joá, juá-de-capote, mata-fome, canapum, bate-testa, juá-roca.{Ufla: Pereira et al].

Composição Química:

Acetilcolina, fisalina, proteína, tropeína, vitamina A e C. [Ufla: Pereira et al]


Dados para Cultivo

Propagação: Por sementes

Espaçamento: Sem dados agronomicos ainda; planta tida como de expanção nativa

Época de Plantio: Na primavera e verão. Artificial com uso de irrigação no plantaio.

Época Colheita: raiz no inverno seco; folhas no ano todo; fruto maduro e ou verde: período de frutificação.


Informações Gerais

Contra Indicações:

As folhas são tidas como ligeiramente narcóticas. [Ufla: Pereira et al]

Valor Alimenticio:

Os frutos saão comestíveis tendo a forma globosa e sendo baga.


Uso Medicinal

Uso Normal:

Usa-se como: diurético, no reumatismo, no fígado, na malária, usando-se a raiz, em decoção. Como hepato protetor, nas inflamações da bexiga, na icterícia, usando-se as folhas, em infusão. No reumatismo e dor de ouvido, em decoto uso externo, da planta inteira. Como tônico, desobstruente, ao natural, do fruto maduro. Como laxativo, usando-se o sumo, do fruto verde. [Ufla: Pereira et al].

Características:

Origem: Pará até o Rio de Janeiro. Planta herbácea, glabra anual ruderal, 30-60 cm altura, caule verde esgalhado anguloso, erecto, de formato triangular na base e quadrangular, tanto na parte superior como nos ramos, e glabro carnoso; folhas longo pecioladas, membranáceas com bordos lisos nas folhas jovens e denteadas quando maduras, alternas, elíptico-ovaladas, inflorescência em cacho, flores branco amareladas solitárias, pequenas; fruto na forma de baga globosa, comestível, esverdeado-amarelado dentro de envólucro vesiculoso, entumecido, formado pelo cálice desenvolvido e persistente, sabor doce, semente rufecente com pontuações minúsculas.[Ufla: Pereira et al].

Foto:

Foto 2:

Foto 3: