Unesp de Araraquara desenvolve

Origem: Jornal A cidade SP

Para oferecer outras opções ao consumidor, o pesquisador Elizeu Antonio Rossi, professor da FCF (Faculdade de Ciências Farmacêuticas) da UNESP, campus de Araraquara, auxiliado por sua equipe, trabalha no aprimoramento de um probiótico produzido a partir da soja. O objetivo é oferecer um produto pouco calórico e benéfico ao organismo. Com auxílio da pesquisadora Raquel Benadi, o probiótico produzido no LTA (Laboratório de Tecnologia de Alimentos) da FCF é fermentado por microorganismos E. faecium e L. jugurti, que são diferentes dos utilizados nos iogurtes convencionais. Essas bactérias láticas inseridas nessa fórmula estimulam o organismo a produzir taxas mais elevadas do “colesterol bom”, o HDL. Ainda em fase de testes, esse produto tem apresentado resultados bastante positivos. Em cobaias de diferentes espécies – como ratos e coelhos -, o probiótico provocou um aumento de 18% na taxa de HDL de cada uma delas. Além disso, contribuiu para melhorar o desempenho do sistema imunológico de ratas, induzidas a desenvolver doenças como câncer de mama e osteoporose. Em humanos o resultado segue a mesma tendência. Embora, nenhum dos voluntários tivesse nível elevado de colesterol, todos que tomaram diariamente o produto apresentaram cerca de 10% a mais de HDL.