Gastrites e úlceras conjuntamente (ajuda nos sintomas) ]]}}}

Plantas Relacionadas na Literatura : Algodãozinho-do-cerrado, Couve +, Espinheira-santa ++, Mamão ++, Quiabo ++, .
Sintomas e Causas : Sensação de “ardor” que se desloca do estômago chegando algumas vezes até a garganta [que não seja o “refluxo gástrico esofagiano]. Pode ser ou não acompanhado de regurgitamento, e as vezes até vômitos. Deixa gosto muito ácido na boca quando ocorre. Dor forte na região do estômago, que diminui quando o mesmo se encontra com alimentos e aumenta quando vazio, principalmente se tem a produção de suco gástrico estimulada. Pode ser diagnosticada com exames clínicos, Raios-X, exames laboratoriais e exames com endoscopia.
Tratamentos Propostos : Sergundo Dirceu (dirceu@paz.org.br), tomar Gastrite (composto Dirceu); uso interno, tintura, cps em pó. Plantas que atuam : Bálsamo-da-horta (melhora o pH do estômago); Cavalinha (Equicetum arvense e outras), ver dados da planta; Erva-mular (ver dados da planta); Espinheira-santa (Maytenus illicifolia), ver dados da planta. Específica para esta patologia: Infalível (Batata-infalível), uso do rizoma em maceração por um dia em água, repetidos dias seguidos no mesmo material, ou outra forma de extração (decocção, extração, etc), ver dados da planta. Ingerir pequenas porções de Unguento Eurípedes). No caso de preparados na forma aquosa usar: de 7 até 12 anos: uma colher de chá; mais de 12 anos : uma colher de sobremesa. Em todas as idades, usar 3 vezes ao dia. No caso de usar na forma de cápsulas contendo pó seco e moído da mistura de plantas indicadas ou de uma planta, tomar 1 cápsula, 3 vezes ao dia, 15 minutos antes das refeições,”em estado de fome “, [prática que pode ser usada nas formulações líquidas] ou quando se fizer necessário.Dr Abdalla: Comer todos alimentos bem cozidos, não ficando mais do que duas horas sem alimentar-se, se não o ácido clorídrico do suco gástrico muda o pH do estômago e a bactéria Helicobacter pillori passa a agir, provocando úlceras na mucosa do estômago. Segundo Dr. Degmar Ferro, as plantas para casos sem especificidade, são: Bálsamo-da-horta (Sedum spp), folhas, comer como salada, crua nas refeições; Andiroba (Carapa guaianesis), óleo, gotas para uso interno; Noz moscada (Myristica fragans), noz, decocto; Mamoeiro (Carica papaya), broto, infuso, Sálvia (Salvia officinalis), folhas maceradas em água; Rubim (Leonurus sibiricus); Picão (Bidens pilosa), planta toda, infuso. Plantas com ação antiácida: Espinheira-santa (Maytenus ilicifolia), folhas, infuso, cps com pó; Boldo-nacional (Plectranthus barbatus), folha macerada em água antes das refeições; Robínia (Robinia pseudoacasia), D1, uso int.; Jurubeba (Solanum paniculata), casca, raízes, decocto. Plantas que melhoram a qualidade do muco digestivo: Alcaçuz-da-europa (Glycyrrhiza glabra), raiz, protege a mucosa gástrica. Plantas com ação antiinflamatória sobre a mucosa: Tanchagem (Plantago major), folhas, infuso ou suco; Zedoária (curcuma zedoária), rizoma, decocto, pó em cps.; Camomila-romana (Matricaria chamomilla), flor, infuso; Unha-de-gato (Uncaria tormentosa), extrato ou pó. Ação contra Hellycobacter pylori: Própolis, extrato seco, cps; Batata-inflalível (Mandevilla spp), tubérculo, tintura diluída em bastante água por causa da irritação alcoólica da mucosa gástrica (Teles: isto acontece com todas as tinturas alcoólicas); Bálsamo-de-tolú (Myroxylum balsamum). Combinar bem os alimentos para evitar fermentação excessiva. Suco de couve, batata orgânica (sem insumos agrícolas) repolho, são excelentes cicatrizantes da mucosa gástrica. Quiabo melhora o muco protetor da mucosa porque tem mucilagens. Ativar técnicas para aliviar o estresse diário, com terapias ocupacionais.
Dieta e Cuidados Recomendados : Segundo Dirceu (dirceu@paz.org.br), fazer regime leve, cortando-se gorduras, frituras, carne, café, chocolate, refrigerantes (mesmo diet), carnes vermelhas, condimentos , bebidas alcoólicas, cigarros, frutas e hortaliças ácidas. Preferir banana-prata. Comer todos os alimentos bem cosidos; não ficar mais do que 2 horas sem se alimentar (mesmo de forma leve) pois com o estômago vazio, o teor do HCl – ácido clorídrico- aumenta, alterando o pH permitindo um ataque mais intenso das bactérias , ou no caso de exógenas, tóxicobactérias: estafilococo, Salmonela, estreptococo, colipatogênicas. Alimentação rica em couve, repolho, frutas, verduras, regime sem frituras, excitantes, café, chocolate, chá, bebidas, refrigerantes (mesmo diet), baixo uso de condimentos fortes. Alimentação rica em couve, repolho, frutas, verduras.
Terapias Auxiliares e Observações Farmacêuticas: HIDROTERAPIA: compressas frias de água com vinagre-> estas compressas feitas com toalhas de linho (80 por 130 centímetros) embebidas em água com vinagre (2/3 de água e 1/3 de vinagre), devem ser aplicadas sobre a região do estômago e renovadas tão logo esquentem. O tratamento pode durar de meia a duas horas, quando se verifica a reação (transpiração intensa ou ação calmante forte, quando mais prolongado). Compressas quentes-> aplicadas sobre o estômago por 20 a 30 minutos. Devem ser feitas meia hora antes e meia hora depois das refeições, enquanto se permanece deitado. Depois que que a umidade do corpo evaporar, tomar um banho rápido frio de chuveiro ou ducha. TERRAS E LAMAS: aplicar cataplasmas de argila à noite em dias alternados. Nos dias que não se aplicar o cataplasma de argila, deve-se empregar cataplasma de algas marinhas e folhas de hera (dois punhados de folhas de hera finamente picadas com cinco punhados de algas marinhas, acrescentar água e levar ao fogo. Deixar ferver até que a água evapore totalmente. Espalhar em pano e aplicar no epigastro [região na superfície que corresponde ao estômago ] por uma a duas horas). CROMOTERAPIA: aplicar a sequência de cores a seguir no plexo solar: amarelo, amarelo forte, laranja, prata (para úlceras), verde e azul. AROMATERAPIA: usar um dos óleos essenciais (4 a 10 gotas, três vezes ao dia, antes das refeições, misturadas em água ou chá) de anis (dispepsias, espasmos, gastralgias, azia, ardência no esôfago, aerofagia e flatulência), menta (gastralgias, úlceras, gastrites e constrições nervosas de esôfago), limão (excesso de acidez, cicatrizante), laranja-amarga (dispepsias nervosas, antiespasmódico, sedativo e ligeiramente hipnótico), coentro (estimulante da digestão, supressão da formação de gases gastrintestinais e espasmos). HOMEOPATIA: Mercurius iodatus ruber C5, Lachesis trigonocephalus C6 e Cicuta virosa C6 para esofagite; para gastrites agudas usa-se Arsenicum C5 e nas crônicas: Arsenicum C12. Azia muito forte, com vômitos ácidos e eructações que pioram com estômago vazio e melhoram após comer, usa-se Robinia C6.

Segundo Dirceu (dirceu@paz.org.br), fazer regime leve, cortando-se gorduras, frituras, carne, café, chocolate, refrigerantes (mesmo diet), carnes vermelhas, condimentos , bebidas alcoólicas, cigarros, frutas e hortaliças ácidas. Preferir banana-prata. Comer todos os alimentos bem cosidos; não ficar mais do que 2 horas sem se alimentar (mesmo de forma leve) pois com o estômago vazio, o teor do HCl - ácido clorídrico- aumenta, alterando o pH permitindo um ataque mais intenso das bactérias , ou no caso de exógenas, tóxicobactérias: estafilococo, Salmonela, estreptococo, colipatogênicas. Alimentação rica em couve, repolho, frutas, verduras, regime sem frituras, excitantes, café, chocolate, chá, bebidas, refrigerantes (mesmo diet), baixo uso de condimentos fortes. Alimentação rica em couve, repolho, frutas, verduras.