Cardo-santo (Cardo-mexicano)

Nome cientifico: Argemone mexicana L.

Sinonímia: Figueira-do-inferno, papoula-espinhosa, papoula-do-méxico, figo-do-inferno, cardo-amarelo, cardo-de-santa-maria, papoula-de-espinho, cardo-bento.

www.plamtamed.com.br: Sinônimos botânicos: Argemone leiocarpa Greene, Argemone mexicana fo. leiocarpa (Greene) G.B. Ownbey, Argemone mexicana var. lutea Kuntze, Argemone mexicana var. ochroleuca (Sweet) Lindl., Argemone mexicana var. parviflora Kuntze, Argemone mexicana var. typica Prain, Argemone mucronata Dum. Cours. ex Steud., Argemone ochroleuca Sweet, Argemone sexualis Stokes, Argemone spinosa Moench, Argemone versicolor Salisb., Argemone vulgaris Spach, Echtrus mexicanus (L.) Nieuwl., Echtrus mexicanus Nieuwl., Echtrus trivialis Lour.

Outros nomes populares: cardo-santo, cardo-bento, papoula-do-méxico; prickly poppy (inglês).

Composição Química:

Óleo fixo derivado do ácido linoléico, cetoácidos, flavonóides (luteolina), proteinas (na torta), alcalóides isoquinolínicos tóxicos.


Dados para Cultivo

Propagação: planta expontânea (importada mas hoje nasce sosinha)

Espaçamento: planta expontânea (importada mas hoje nasce sosinha)

Época de Plantio: planta expontânea (importada mas hoje nasce sosinha)

Época Colheita: folhas, parte aérea, látex, raiz, durante o ciclo, depende da região (colher quando se inicia o florescimento)


Informações Gerais

Contra Indicações:

Tem alcalóides isoquinolínicos tóxicos nas sementes que podem provocar uma necrose das células do fígado, sendo seu uso desaconselhado para formulações caseiras e laboratórios fitoterápicos sem especialização avançada.
www.plantamed: Contra-indicações/cuidados: doses excessivas podem causar intoxicações.

Observações:

O óleo das sementes pode ser usado na agricultura para combater o nematóide de solo Meloydogine incognita


Uso Medicinal

Uso Principal:

www.plantamed.com.br:
Propriedades medicinais: antiálgico, catártico, emético, expectorante, narcótico, sudorífico.

Indicações: cancro, catarro, cólica flatulenta, doenças de pele, enxaqueca, intestino preso, opacidades das córneas, oftalmia, úlceras, verrugas.
Parte utilizada: planta toda, seiva, sementes, óleo das sementes.
—————————————————
EFEITO DO EXTRATO AQUOSO EXTRAÍDO DO LÁTEX DA Argemone mexicana, L. NA JUNÇÃO NEUROMUSCULAR DO PINTAINHO. Félix, V.B.; Araújo, D.A.M. Universidade Federal de Alagoas, Centro de Ciências Biológicas, Departamento de Fisiologia. Praça Afrânio Jorge s/no. Prado. 57010-020. Maceió, AL.

A Argemone mexicana, L. planta latescente, conhecida popularmente como cardo-santo ou figueira-do-inferno é originária do México, mas existe sobretudo no Nordeste do Brasil. Esta planta tem sido usada pela população para aliviar estados dolorosos. Estudos preliminares realizados por Barbosa et al. (XIII Simpósio de Plantas Medicinais do Brasil, p. 247, 1994), verificaram que a administração do extrato da Argemone mexicana, L. reduziu o número de contorções provocadas pela injeção i.p. de ácido acético (0,5%) em camundongos, sugerindo efeito analgésico. Foi objetivo desse trabalho verificar o efeito do extrato aquoso (EA) extraído do látex dessa planta na junção neuromuscular do pintainho (JNM). Após o sacrifício do animal seguia-se a retirada do músculo biventer cervical, que era imediatamente colocado em uma cuba experimental contendo solução fisiológica a uma temperatura de 33oC. Estimulava-se o nervo motor desta preparação eletricamente ou adicionava-se drogas conhecidas como acetilcolina (ACh; 0,2 mM), carbacol (0,6 m M) e KCI (30 mM) antes e após a adição do extrato aquoso. Não se observou alterações nas contraturas induzidas pela ACh (8,6 ± 1,6 cm, n=3) carbacol (0,6 ± 0,7 cm, n=3) e KCI (7,4 ± 2,8 cm, n=3), durante incubação com o EA (0,3 mg/ml). No entanto, o EA provocou redução de 0,7 ± 0,6 cm (n=3) para 0,4 ± 1,1 cm (n=3, P < 0,01) nas contrações induzidas eletricamente. Concluímos que o extrato aquoso da Argemone mexicana L. age sobre a JNM, diminuindo as contrações eletricamente estimuladas.

Uso Normal:

Seu uso popular é feito usando-se as raízes e a parte aérea para tratamento da inflamação da bexiga; do seu látex para úlceras e inflamações oculares, e das folhas como emoliente e anestésico. Para dor de dentes e abcessos das gengivas usar na forma de bochechos. Doses para chá, uma colher de sopa folhas trituradas em uma xícara média. Para insônia e como calmante narcótico, indica-se o infuso das sementes usando-se na dose de uma colher de café de sementes bem trituradas, para uma xícara média de água fervente, sem cloro. Atenção pois pode ser perigoso (grave ação hepatotóxica), ver contra indicação.

Características:

Planta originária do México, mas encontrada na Índia , África do Sul, e como planta espontânea (quase tida como daninha) no Brasil. Planta tipo herbácea, fortemente espinhosa, anual, com porte pequeno, folhas lobadas, sésseis, com flores grandes, cor amarela forte, bonitas, frutos do tipo cápsula deiscente, oblongo-angulosa, com muitos acúleos, contendo muitas sementes oleaginosas (que são tóxicas), Quando são feridas, suas partes aéreas produzem uma goma (látex). É uma planta parente próxima das que produzem o ópio (Papaver somniferum L. e P. rhoeas L.).

Foto:

Foto 2:

Foto 3:

Foto 4: