Vesícula (afecções genéricas) pedra na vesícula (ajuda nos sintomas) g*

Plantas Relacionadas na Literatura : Celidônia +, .
Sintomas e Causas : Características da Vesícula Biliar A vesícula biliar é um saco membranoso, em forma de pêra, e é um reservatório alongado, situado na face inferior do fígado (lado direito). É um órgão muscular em que se acumula a bile no intervalo das digestões (até 50 cm3), a bile é produzida pelo fígado, passa pela vesícula biliar através de um pequeno tubo chamado ducto cístico. Os tecidos que constituem as paredes musculares da vesícula biliar concentram a bile, absorvendo grande parte da sua água e mantêm-na recolhida até o início do processo de digestão. Quando estimulada, a vesícula biliar contrai-se e manda a bílis concentrada através do ducto biliar até o intestino delgado, auxiliando a digestão. A afecção mais freqüente da vesícula biliar é a presença de cálculos que ocorrem devido à existência de quantidades excessivas de cálcio e colesterol na bílis. fonte:www.webciencia.com.br ——————————————— Dr. Marcelo Averbach é médico-cirurgião e trabalha no Hospital Sírio-Libanês de São Paulo (SP). Pedra na vesícula O aparelho digestivo é constituído por diversos órgãos integrados e com função específica. A porta de entrada é a boca, onde estão a língua, os dentes e as glândulas salivares, seguida pela faringe, esôfago, estômago, fígado, pâncreas, intestino delgado e grosso até desembocar no ânus. A imagem 1 mostra o esôfago (tubo separado do estômago pela válvula cárdia), o estômago aberto por um corte longitudinal e o duodeno. Logo acima está situado o fígado, glândula que secreta a bile e, em verde, a vesícula biliar, órgão em forma de pêra, colado sob o lobo direito do fígado. A bile sai do fígado pelo canal hepático que se une ao canal cístico proveniente da vesícula biliar, onde é armazenada ( imagem 2). Juntos, os canais cístico e hepático formam o ducto colédoco. Quando o bolo alimentar alcança o duodeno, primeira porção do intestino delgado, provoca um estímulo na vesícula biliar, que se contrai e joga a bile na luz do duodeno para facilitar a digestão das gorduras. Outra glândula importante é o pâncreas que, além da insulina, secreta enzimas digestivas que são lançadas no duodeno pelos canais de Wirsung e de Sartori. O canal de Wirsung e o ducto colédoco desembocam no duodeno muito perto um do outro e isso tem importância para a localização da litíase biliar, ou seja, das pedras na vesícula. fonte: entrevista com Dr Drauzi Varella www.drauziovarella.ig.com.br ———————————————–
Tratamentos Propostos : Sergundo Dirceu (dirceu@paz.org.br), uso interno compsoto Vesícula com as plantas: hortelã, parte aérea; celidônea,folha; erva-lagarto, folha, raiz; quebra-pedra, planta toda, bardana, folha, raiz; condurango (cipó-da-índia)folha. Doses: 1 colher de sopa, usar 3 vezes ao dia. Na forma de pó seco da planta encapsulado: tomar 1 cápsula, 3 vezes ao dia, 10/15 minutos antes das refeições, “em estado de fome” (prática também útil nas soluções aquosas), ou quando se fizer necessário. Ver caracerísticas individuais de cada planta indicada. Indicação especial: Celidônea (Chelinium majus), ver dados da planta neste site. Verificar dados de cada planta apresentada na LITERATURA como eficiente, neste site.