Tóxicos: intoxicação genérica; alimentar; por Salmonela, medicamentosa;

Plantas Relacionadas na Literatura : Cebola .
Sintomas e Causas :
fonte:www.copacabanarunners.com.br
A intoxicação alimentar é uma infecção causada ao consumir alimento contaminado com bactéria patogênica, toxinas, vírus, príons ou parasitas.
A contaminação geralmente decorre do modo inapropriado de manusear, preparar ou estocar comida. Intoxicação alimentar também pode ser causada ao adicionar pesticidas ou medicamentos ao alimento, ou ao acidentalmente consumir substâncias naturalmente venenosas como alguns cogumelos e peixes. Sintomas da intoxicação alimentar e mortalidade
Os sintomas da intoxicação alimentar geralmente começam várias horas depois da ingestão e, dependendo do agente envolvido, pode incluir alguns dos seguintes: náusea, dor abdominal, vômito, diarreia, febre, dor de cabeça e cansaço. Na maioria dos casos o corpo é capaz de recuperar-se completamente depois de um curto período de doença aguda e desconforto. Porém, intoxicação alimentar pode resultar em problemas de saúde permanentes ou até a morte, especialmente em bebês, mulheres grávidas (e o feto), idosos, pessoas doentes ou com o sistema imunológico fraco.
fonte:www.abcdasaude.com.br INTOXICAÇÃO ALIMENTAR POR SALMONELLA Salmonelose é uma doença infecciosa provocada por um grupo de bactérias do gênero Salmonella, que pertencem à família Enterobacteriaceae, existindo muitos tipos diferentes desses germes. A Salmonella é conhecida há mais de 100 anos e o termo é uma referência ao cientista americano chamado Salmon, que descreveu a doença associada à bactéria pela primeira vez.
Como se adquire A Salmonella é transmitida ao homem através da ingestão de alimentos contaminados com fezes animais. Os alimentos contaminados apresentam aparência e cheiro normais e a maioria deles é de origem animal, como carne de gado, galinha, ovos e leite. Entretanto, todos os alimentos, inclusive vegetais, podem tornar-se contaminados. É muito freqüente a contaminação de alimentos crus de origem animal. O cozimento de qualquer destes alimentos contaminados mata a Salmonella.
A manipulação de alimentos por pessoas contaminadas que não lavam as mãos com sabonete, pode causar sua contaminação. Fezes de animais de estimação, especialmente os que apresentam diarreia, podem conter Salmonella, e as pessoas em contato com estes animais podem ser contaminadas e contaminar a outras se não adotarem medidas rígidas de higiene (lavar as mãos com sabonete). Répteis são hospedeiros em potencial para a Salmonella e as pessoas devem lavar as suas mãos imediatamente após manusear estes animais, mesmo que o réptil seja saudável.
O que se sente A maior parte das pessoas infectadas com Salmonella apresenta diarréia, dor abdominal (dor de barriga) e febre.
Estas manifestações iniciam de 12 a 72 horas após a infecção. A doença dura de 4 a 7 dias e a maioria das pessoas se recupera sem tratamento. Em algumas pessoas infectadas, a diarreia pode ser severa a ponto de ser necessária a hospitalização devido à desidratação.
Os idosos, crianças e aqueles com as defesas diminuídas (diminuição da resposta imune) são os grupos mais prováveis de ter a forma mais severa da doença. Uma das complicações mais graves é a difusão da infecção para o sangue e daí para outros tecidos, o que pode causar a morte caso a pessoa não seja rapidamente tratada.
Como se faz o diagnóstico Muitas doenças podem causar as mesmas manifestações que a salmonelose, sendo o diagnóstico, na maior parte das vezes, associado à história alimentar recente. A comprovação de que as manifestações clinicas são causadas pela Salmonella só pode ser feita pela identificação do germe nas fezes da pessoa infectada e é útil somente nos casos mais graves, em que a administração de antibiótico se faz necessária. Este teste usualmente não é realizado em um exame comum de fezes, sendo necessário uma instrução específica ao laboratório para a procura do germe nas fezes. Uma vez identificado pode ser realizada a cultura das fezes para a determinação do tipo específico e qual antibiótico deve ser utilizado para o tratamento.
Como se trata A infecção por Salmonella usualmente dura de 5 a 7 dias e freqüentemente não é necessário tratamento, sendo suficiente as medidas de suporte e conforto ao paciente. Após este período, a pessoa fica recuperada, podendo permanecer ainda por algum tempo um hábito intestinal irregular. Caso o paciente se torne severamente desidratado ou a infecção se difunda do intestino para outras regiões do organismo, medidas terapêuticas devem ser tomadas, incluindo a hospitalização. Pessoas com diarreia severa devem ser reidratadas através da administração endovenosa de soro. Os casos graves, em que a infecção se difunde, devem ser tratados com antibióticos.
Como se previne
Sendo os alimentos de origem animal uma das principais fontes de contaminação por Salmonella, ovos, carne e galinha não devem ser ingeridos crus, mal-passados ou não completamente cozidos.
Atenção especial deve ser dada aos ovos crus que aparecem sem serem percebidos em um grande número de pratos, como maionese caseira, molho holandês, tiramisu, sorvete caseiro. Estes pratos devem ser evitados. Carnes em geral, incluindo hambúrgueres e frango, devem ser bem cozidas (não devem estar avermelhadas no centro). Leite não pasteurizado deve ser evitado. Todos os produtos devem ser bem lavados antes de sua preparação e consumo. Contaminação entre alimentos deve ser evitada: carnes cruas devem ficar separadas de alimentos que estão sendo preparados, de alimentos já cozidos e de alimentos prontos para serem servidos. Todos os utensílios de cozinha (tábuas, facas, etc.) devem sempre ser lavados após sua utilização em alimentos crus. As mãos devem ser lavadas antes do manuseio de qualquer alimento e entre o manuseio de diferentes itens alimentares. Já que os répteis são portadores em potencial da Salmonella, qualquer pessoa deve lavar as mãos imediatamente após o contato com estes animais. Répteis, incluindo as tartarugas, não são apropriados como animais de estimação de crianças e não deveriam habitar o mesmo ambiente.
Medicamentos Intoxicação
As intoxicações ocorrem como resultado de doses excessivas do medicamento, ou ainda em situações especiais como incapacidade do organismo para metabolizar e eliminar o medicamento. As intoxicações são previsíveis, na medida em que são dependentes de dose e estão relacionadas com a ação farmacológica conhecida do medicamento. Em todos países com estatísticas sobre intoxicações, os medicamentos aparecem como as principais causas, junto com produtos de uso domiciliar e pesticidas. Em crianças eles geralmente são os principais causadores de intoxicações, o que deu origem a exigência em lei de constar na bula e embalagem a advertência: Mantenha Fora do Alcance de Criança. Esses acidentes acontecem geralmente por serem os medicamentos deixados ao alcance de crianças, mas também por outros descuidos, como a ingestão de doses excessivas, por interpretação errônea das instruções de uso, troca de medicamentos em suas embalagens, uso do medicamento errado por confusão de nomes ou por erro na via de administração.
Fonte: Texto extraído do livro “Cuidado com os Medicamentos” de Eloir Paulo Schenkel (organizador) Editora da Universidade – Universidade Federal do Rio Grande do Sul 2ª Edição Revista e Ampliada
.

Tratamentos Fitoterápicos Propostos

Tratamentos Propostos :
Segundo Dr. Degmar Ferro: plantas com ação desintoxicante: Quiabo (Hibiscus sculentus), semente seca e moída a pó, na forma de suco; Coentro (Coriandrum sativum), planta toda, seca, moída, na forma de suco; Salsaparrilha, (Smilax salsaparrilha), raízes, tintura, extrato fluido; Bardana (Arctium lappa), raízes, folhas, decocto, infuso, pó, tinturas, extratos; Velame-branco (Macrosiphonia velame), raízes, tintura, decocto; Sete-sangrias (Cuphea spp), planta toda, infuso, decocto, tintura, pó; Chapéu-de-couro (Equinodorus machophyllus), folhas, infuso, tintura, extrato; Inhame (Dioscorea spp), tubérculo, elixir; Alcachofra (Cynara scolimus), folhas, infuso, extrato, pó; Ipê-roxo (Tabebuia avellanedae), entrecasca, decoto, extrato, tintura, pó; Dente-de-leão (Taraxacum officinalis), planta toda, infuso, tintura, extrato, pó; Sucupira (Bowdichia spp), sementes, óleo; Japecanga-vermelha (Smilax japecanga), raízes, tintura, extrato, decoto, pó; Taiuiá (Tryanosperma tayuya), raízes, decocto, tintura, extrato, pó; Carobinha-caroba, (Jacaranda spp), raízes, decocto, tintura, extrato, pó; Pé-de-perdiz (Croton antisyphyticum), raízes, decocto, tintura, extrato; Mama-cadela (Brosimum gaudichaudii), raízes, tintura em doses pequenas pela sua toxidade; Cainca (Chicocca spp), raízes, tintura, decocto; Calunga (Simarouba ferruginea), raízes, tintura, decocto; Centelha asiática (Hydrocotyle asiatica), planta toda, desintoxica medicamentos, cogumelos tóxicos, metais pesados como arsênico.
Plantas desintoxicantes-depurativas: Salsaparilha (Smilax aspera), raiz, tintura, decocto; Inhame (Dioscorea spp), elixir ou como alimento; Carobinha (Jacaranda brasiliensis), raiz, decocto;

Pelo Dr Degmar, a dieta deve ser o mais leve possível durante o tratamento, preferindo alimentos integrais, cereais, evitando refinados, corantes, conservantes, comer carne preferencialmente branca (peixes), evitar enlatados, embutidos. O alho e a cebola são ótimos desintoxicantes quando ingeridos crus.

Dieta e Cuidados Recomendados :

Pelo Dr Degmar, a dieta deve ser o mais leve possível durante o tratamento, preferindo alimentos integrais, cereais, evitando refinados, corantes, conservantes, comer carne preferencialmente branca (peixes), evitar enlatados, embutidos. O alho e a cebola são ótimos desintoxicantes quando ingeridos crus.