Rins e bexiga: nefrites; nefrose; edema; albulmina; cálculos; g*

Plantas Relacionadas na Literatura : Barbasco, Cavalinha +, Cevada +, Chapéu-de-couro +, Cipó-prata+, Milirramas ; [Mil-folhas] ; diversas afecções ++, Sabugueiro, Sete-sangrias, Taboa, .
Sintomas e Causas : As mais comuns são denominadas: nefrites. Nefrose é o processo degenerativo dos rins. Sintomas : dor localizada, aumento de volume do rim que pode ser palpável. Nas glomérolo nefrites o rim aumenta de volume ou retrai-se, com perda de albulmina na urina (constatado por exame de urina), e edema nos membros inferiores (pernas inchadas). Os cálculos renais são a existência de “pedras” localizadas nos rins ou em outra partes do sistema urinário (por deslocamentos naturais ou estimulados das mesmas). Interrompendo o fluxo normal da urina em direção ao ureter, provocam um rápido intumessimento dos rins acompanhado de intensas dores na regiões dos rins, assim como irradiações no abdômen e em outras partes do corpo. Dificuldades de urinar e de obrar, ânsia de vômito, dores constantes e muito fortes, estado de permanente insatisfação em cada posição, acompanham o caso. Segundo Dr. Degmar: provavelmente, envolve distúrbios do metabolismo extra e intra renal de minerais, eletrólitos e metabólitos secundários, culminando com a formação de cálculos em diversa localizações e de várias constituições. Cerca de 5 a 8% da população tem este problema, sendo que os homens são os mais afetados. As substâncias que estão mais envolvidas são: oxalato de cálcio, uratos, fósforo, cálcio, cobre, sódio. Situações que predispõem: hiperparatireodismo, osteopatias, síndrome de Cusing, sarcoidose, hipervitaminose D, imobilidade prolongada, consumo excessivo de sais de alumínio, excesso de vitamina C e deficiência de vitamina B6 (aumentando a secreção de oxalatos), deformidades renais ou cistos. Fatores que predispõem: baixa ingestão diária de líquidos, baixo índice de citratos urinários (pois os citratos reduzem a saturação urinária de cálcio -30-60% dos casos), acidez urinária aumentada, obesidade, excesso de ingestão de açúcar e sal, excesso de cádmio no organismo. Prevenção: fazer exames de pH urinário, citratotúria de 24 horas, calciúria, fosfatúria, urina rotina, uratos na urina e uricemia.
Tratamentos Propostos : Sergundo Dirceu (dirceu@paz.org.br), tomar Rins (composto Dirceu com as plantas: bardana, cavalinha, conta-de-lágrima, pororoca, quebra-pedra); indicações especiais: Condurango (Narsdenia condurango); Pororoca [Dialium guianense], planta muito eficiente. No caso de afecções da bexiga, tomar Rins alternado com decocto de Jatobá. Planta que funciona como vaso dilatador das vias urinárias: Quebra-pedra (Pillantus niruri; Pillocarpus macrophylum), e atua nos cálculos renais juntamente com Esporão-da-cultura (facilitando sua expulsão). Indicação especial para doenças renais: Conta-de-lágrima (Lágrima-de-nossa-senhora) [Coix lacrima]; [poderoso diurético] [ver dados da planta]. Nos casos de cálculos renais, Dirceu recomenda o uso interno do composto CÓLICA RENAL com as seguintes plantas: assapeixe, folha, raiz; bardana, folha, raiz; chapéu-de-couro, rizoma, folha; esporão-do-cerrado, folha; hortelã-rasteira, parte aérea; quebra-pedra, planta toda. No caso de preparados na forma aquosa (infuso/decocto) usar: até 2 anos: 1 gota/kg; de 3 anos à 7 anos: uma colher de café; de 7 até 12 anos: uma colher de chá; mais de 12 anos : uma colher de sobremesa. Em todas as idades, usar 3 vezes ao dia. No caso de usar na forma de cápsulas contendo pó seco e moído da mistura de plantas indicadas ou de uma planta, tomar 1 cápsula, 3 vezes ao dia, 15 minutos antes das refeições,”em estado de fome”, [prática que pode ser usada nas formulações aquosas] ou quando se fizer necessário.Dr. Degmar recomenda: plantas que podem ser usadas: Uva-ursi (Arctostaphylos uva-ursi), folhas, infuso, necessidade de pH urinário básico para poder atuar como anti-séptico urinário; Douradinha-do-cerrado (Palicourea rigida), folhas, infuso; Algodãozinho-do-cerrado (Cochlospermum regium), raiz, decocto; Cana-do-brejo (Costus cuspidatus), planta toda, decocto; Cavalinha (Equisetum arvensis), planta toda, decocto; Jatobá (Hymenoea courbaril), entrecasca, decocto, tintura; Tanchagem (Plantago major), folhas, suco; Copaíba (Copaifera langsdorfil), óleo em cps; Própulis; Ipê-roxo (Tabebuia avellanedae), entrecasca, decocto; Pitangueira (Eugenia uniflora), folha, infuso; Salsa (Petroselinum sativum), planta toda, inclusive raiz em suco; Vara-de-ouro (Solidago virgaurea) planta específica par drenagem renal e hepática; Junípero, enebro, (Juniperus communis).
Dieta e Cuidados Recomendados : Cortar drasticamente o uso do sal no alimentos durante o tratamento. Dr. Degmar recomenda para infecções urinárias: tomar muita água. Evitar alimentos irritantes da bexiga tais como: frutas muito ácidas ou pimentas, molhos fortes. Nada de bebida tipo cola. Tomar suco de Birtili (Gram berry), pois além de ação antioxidante, impede a proliferação da Echerichia coli na parede da bexiga. Dr Dirceu, dieta recomendada durante o tratamento: cortar margarinas, manteigas, carne vermelha, frituras gerais, refrigerantes (mesmo diet e tipo cola), todo tipo de gordura mesmo chocolates, usar leite desnatado com aveia fina (Oat brean), 2 vezes ao dia.

Cortar drasticamente o uso do sal no alimentos durante o tratamento. Dr. Degmar recomenda para infecções urinárias: tomar muita água. Evitar alimentos irritantes da bexiga tais como: frutas muito ácidas ou pimentas, molhos fortes. Nada de bebida tipo cola. Tomar suco de Birtili (Gram berry), pois além de ação antioxidante, impede a proliferação da Echerichia coli na parede da bexiga. Dr Dirceu, dieta recomendada durante o tratamento: cortar margarinas, manteigas, carne vermelha, frituras gerais, refrigerantes (mesmo diet e tipo cola), todo tipo de gordura mesmo chocolates, usar leite desnatado com aveia fina (Oat brean), 2 vezes ao dia.