Pele: manchas da (benignas) melasma (cloasma) g*

Plantas Relacionadas na Literatura : Babosa, Maravilha [cipó] ++, Milirramas ; [Mil-folhas] ; diversas afecções ++, Neen +++ sf, Pimentão ++SF, Sucupira +++, Tarumã, .
Sintomas e Causas : Melasma (Cloasma) Quando nos expomos à irradiação ultravioleta (banho de sol), ocorre a síntese de pigmento (melanina) pela pele. Este processo é popularmente conhecido como bronzeamento, e tem uma função muito importante, que é a proteção do DNA de nossas células epidérmicas contra os danos causados pela radiação ultravioleta. Os seres humanos mudam de cor com mais rapidez do que muitos animais quando expostos ao Sol – ou eles continuam brancos, ou ficam vermelhos ou bronzeados. Se você se expôs ao Sol e sua pele ficou queimada (vermelha), aconteceu de duas uma – ou você tem um tipo de pele com pouco pigmento (tipo I e II) ou não houve tempo suficiente para a sua pele formar a melanina protetora. Em princípio, pode-se observar uma tonalidade uniforme ao longo da pele de cada ser humano, seja ele branco, amarelo, moreno, ou negro. Acontece que, em determinadas situações, a pele pode apresentar pintas e manchas, mais claras ou mais escuras que a pele normal. Quando manchas, nódoas ou pintas surgem na pele, é preciso consultar um dermatologista para saber a origem dessa nova pigmentação, pois algumas são reversíveis e benignas, outras podem ser permanentes ou mesmo cânceres de pele. As manchas benignas escuras mais comuns são os cloasmas (ou melasmas) e as sardas (ou efélides). Cloasmas (ou melasmas) são manchas benignas, irregulares, simétricas e mais escuras que a pele normal. Surgem principalmente nas maçãs do rosto, testa, nariz, mento e têmporas, mas podem aparecer em outras áreas expostas ao Sol (como colo e mãos). Essas manchas também ocorrem nos homens, mas sua maior incidência é em mulheres, especialmente nas grávidas ou naquelas que fazem uso de hormônios (reposição ou anticoncepção). O mecanismo de formação do melasma na gestação está ligado aos fenômenos de aumento da pigmentação, provavelmente decorrentes de estímulo hormonal estrogênico e progestogênico ou através do hormônio estimulante da formação de melanina. Daí observarmos com mais evidencia um aumento da pigmentação nos mamilos, aréolas mamárias, genitália externa e na linha do abdome que desce desde o umbigo até aos pelos pubianos, como também nas faces internas das coxas e axilas, o que tendem a diminuir gradualmente após o parto. Nos homens, denominadas melasmas, as manchas estão relacionadas com o uso de medicamentos (antidiabéticos, antibióticos, etc…), de loções pós-barba, de sabonetes aromatizados com produtos cítricos, e de outros produtos cosméticos masculinos. Entre as mulheres, os cloasmas aparecem mais nas mulheres de pele escura (tipo III e IV) do que nas de pele clara (tipo I e II). Além dos fatores hormonais e da exposição solar, a tendência genética também influencia no surgimento do cloasma. O surgimento do cloasma é lento e pode passar imperceptível para a mulher. Se for discreto tende a desaparecer com o decorrer do tempo. O cloasma gravídico, também chamado de máscara da gravidez, tende a desaparecer espontaneamente alguns meses depois do parto, pela própria descamação natural de nossa pele, embora o tratamento ajude a acelerar o seu desaparecimento. Estas manchas não afetam a gravidez nem o bebê, no entanto, algumas podem permanecer por muitos anos e serem de difícil resolução e acarretarem problemas sociais e estéticos. Tratamento O resultado do tratamento do cloasma depende de sua profundidade, extensão e tipo de pele. Quanto mais camadas de células pigmentadas da pele houver, mais intenso o cloasma e mais tempo leva para desaparecer. Quanto mais pigmentada for a pele, mais intenso pode ser o cloasma. Os produtos utilizados no tratamento são os filtros solares (químicos ou físicos), os despigmentantes de pele (hidroquinona, arbutin, ácido kójico, ácido azeláico, etc…) e os produtos que aceleram o turnover celular (ácido retinóico, ácido glicólico, etc…). Peelings superficiais podem acelerar o processo (pois esfoliam a pele) e, neste caso, durante e após o tratamento a mulher não deve se expor ao sol. Alguns produtos podem, ao invés de melhorarem a pigmentação, causarem irritação na pele e conseqüentemente aumentarem a pigmentação. Existem os chamados cosméticos de camuflagem, que cobrem as manchas, os chamados cover marks ou bases de maquiagem. A orientação do dermatologista é importante, porque alguns produtos incluídos em cremes dermatológicos não podem ser usados no tratamento do cloasma durante a gravidez e a amamentação. Prevenção A etapa mais importante na prevenção do aumento das manchas no melasma é evitar a exposição ao sol e a outras radiações ultravioleta (UV). Existem dois tipos principais de radiação ultravioleta: a UVA e a UVB. A principal fonte de UVA é a luz solar. Porém, esta radiação também pode ser emitida por lâmpadas fluorescentes, por fotocopiadoras, por camas de bronzeamento, por clarões e faíscas de solda, e por monitores de computador. Estas fontes de UVA devem ser evitadas ao máximo, pois podem exacerbar ou promover a permanência da pigmentação em pacientes com melasma. O ideal é prevenir o cloasma durante a gravidez e tratá-lo após a gravidez e amamentação. Não economize no protetor solar – compre aqueles potentes o suficiente para bloquearem a radiação ultravioleta solar (UVA e UVB). Exponha-se ao Sol nos horários adequados, e reaplique o filtro solar a cada quatro horas. Além do rosto, outras áreas são afetadas por cloasmas (colo, ombros, braços e mãos). Use chapéus e camisetas com mangas. Anticoncepcionais e reposição hormonal podem causar manchas na pele se você não usar protetor solar diariamente. É importante alertar que, durante a gravidez, alguns produtos devem ser evitados, pois ainda não há estudos conclusivos provando que não prejudicam o feto. Assim sendo, para o tratamento do melasma as mulheres devem procurar orientação medica ou aguardar o termino da gravidez e da amamentação. fonte: www.drpaulofreire.med.br
Tratamentos Propostos : Dirceu: uso interno para pele bonita: Chapéu-de-couro (Echinodorus macrophyllus), [podendo-se usar as duas espécies conhecidas : de folha grande e folha menor],associada com Erva-lanceta (Arnica-nacional); ver dados das plantas; ótima indicação para afecções cutâneas: Espinheira-santa (Maytenus illicifolia), uso interno, folhas, decocto, infuso, ver dados da planta. Segundo Dirceu um dos melhores depurativos disponíveis é a Japecanga-vermelha (Smilax japecanga), planta da família da Salsaparrilha.Segundo Alfonsas Balbachas -1959 – As Plantas Curam: altéia; amor-perfeito; angélica; aroeira; bardana; batata-de-purga, camomila-da-alemanha; capuchinha-grande, caroba; cavalinha; cerefólio; cinco-folhas; coclaária; curraleira; erva-de-bugre; erva-moura; fedegoso; fumária, guapeva; inhame-branco; inhame-roxo; japecanga; limão; língua-de-vaca, maravilha; marinheiro; milirramas; melão-de-são caetano; marupá-do-campo; sabugueiro; salsaparrilha; sassafrás; sete-sangrias; taiuiá; trapoeraba; urtiga-vermelha; velame-do-campo; velame-do-mato. Segundo Alfonsas Balbachas -1959 – As Plantas Curam: ; plantas de uso genérico na pele: altéia; amor-perfeito; angélica; aroeira; bardana; batata-de-purga; camomila-da-alemanha; capuchinha-grande; caroba; cavalinha; cerefólio; cinco-folhas; coclaária; curraleira; erva-de-bugre; erva-moura; fedegoso; fumária; guaco; guapeva; inhame-branco; inhame-roxo; japecanga; limão; língua-de-vaca; maravilha; marinheiro; milirramas; melão-de-são-caetano; marupá-do-campo; sabugueiro; salsaparrilha; sassafrás; sete-sangrias; taiuiá; trapueraba; urtiga-vermelha; velame-do-campo; velame-do-mato.