Panarício (Panarizes)

Plantas Relacionadas na Literatura : Limão [diversas variedades] ++, .
Sintomas e Causas : Alfonsas Balbachas, As Plantas Curam, 1959, 7a Ediç.: afecções inflamatórias agudas dos dedos.
Tratamentos Propostos : Alfonsas Balbachas, As Plantas Curam, 1959, 7a Ediç. indica: Erva-moura, limão, usar pedilúvios quentes.OFICIAL-DA-SALA (algodãozinho do campo) Asclepias curassavica L. Da família das Asclepidaceae. Também conhecida como algodãozinho-do-campo, algodãozinho-do-mato, camará-bravo, capitão-de-sala, capitão-da-sala, cavalheiro-da-sala, cega-olho, cega-olhos, chibança, dona-joana, erva-de-paina, erva-de-rato, erva-de-satã, erva-leiteira, falsa-erva-de-rato, flor-de-sapo, ipecacuanha-brava, ipecacuanha-das-antilhas, ipecacuanha-falsa, leiterinha, mané-mole, margaridinha, margaridinha-leiteira, mata-olho, paina-de-sapo, paina-de-seda, paininha. Princípios Ativos: asclepiadina. Propriedades medicinais: purgativo, emético, tônico cardiovascular, sudorífica, febrífuga, vermífuga, antiasmática, anti-hemorroidária, antidiarréica, antileucorréica, antiblenorrágica, hemostática, bernicida. Indicações: cicatrização de feridas, hiposistolia cardíaca, astenia vascular, PANARÍCIO, úlcera, ferida carnosa, verruga. Parte utilizada: folhas, raízes, látex. Contra-indicações/cuidados: não encontrados na literatura consultada. Efeitos colaterais: o látex é cáustico, causando sérias inflamações oftálmicas. A asclepiadina é um veneno convulsivo dos músculos lisos e do coração. O macerado do caule provoca nos animais de sangue quente parada da respiração, convulsões, arritmia cardíaca e parada cardíaca. A ingestão de 1 g da planta por k g de peso vivo, é suficiente para causar a morte em animais. Modo de usar: – látex: purgativo, emético, tônico cardiovascular, hiposistolia cardíaca, astenia vascular, em doses mínimas; Cauterizar verrugas; sobre uma banana é eficiente raticida. – raízes: sudorífica, febrífuga, vermífuga, antiasmática, anti-hemorroidária, antidiarréica, antileucorréica, antiblenorrágica, bernicida, panarício. – planta inteira, sêca e pulverizada: hemostática. – folhas machucadas: cicatrização de feridas. – folhas em compressas: úlceras, feridas carnosas. FONTE: OFICIAL-DA-SALA Asclepias curassavica L.
Da família das Asclepidaceae. Também conhecida como algodãozinho-do-campo, algodãozinho-do-mato, camará-bravo, capitão-de-sala, capitão-da-sala, cavalheiro-da-sala, cega-olho, cega-olhos, chibança, dona-joana, erva-de-paina, erva-de-rato, erva-de-satã, erva-leiteira, falsa-erva-de-rato, flor-de-sapo, ipecacuanha-brava, ipecacuanha-das-antilhas, ipecacuanha-falsa, leiterinha, mané-mole, margaridinha, margaridinha-leiteira, mata-olho, paina-de-sapo, paina-de-seda, paininha. Princípios Ativos: asclepiadina. Propriedades medicinais: purgativo, emético, tônico cardiovascular, sudorífica, febrífuga, vermífuga, antiasmática, anti-hemorroidária, antidiarréica, antileucorréica, antiblenorrágica, hemostática, bernicida. Indicações: cicatrização de feridas, hiposistolia cardíaca, astenia vascular, panarício, úlcera, ferida carnosa, verruga. Parte utilizada: folhas, raízes, látex. Contra-indicações/cuidados: não encontrados na literatura consultada. Efeitos colaterais: o látex é cáustico, causando sérias inflamações oftálmicas. A asclepiadina é um veneno convulsivo dos músculos lisos e do coração. O macerado do caule provoca nos animais de sangue quente parada da respiração, convulsões, arritmia cardíaca e parada cardíaca. A ingestão de 1 g da planta por k g de peso vivo, é suficiente para causar a morte em animais. Modo de usar: – látex: purgativo, emético, tônico cardiovascular, hiposistolia cardíaca, astenia vascular, em doses mínimas; Cauterizar verrugas; sobre uma banana é eficiente raticida. – raízes: sudorífica, febrífuga, vermífuga, antiasmática, anti-hemorroidária, antidiarréica, antileucorreica, antiblenorrágica, bernicida, panarício. – planta inteira, seca e pulverizada: hemostática. – folhas machucadas: cicatrização de feridas. – folhas em compressas: úlceras, feridas carnosas. http://celtic.bighost.com.br