Infecção bacteriana localisação genérica – sistema imune (auto-imunisação) ]]}}

Plantas Relacionadas na Literatura : Equinácea +#, Gerâneo ++, .
Sintomas e Causas : Nova visão sobre a doença autoimune: infecção bacteriana promove reconhecimento de glicolipídios do próprio organismo Fonte: Immunity, 20/06/2005 O sistema imune é uma arma poderosa e complexa que fornece proteção contra bactérias e vírus que, se não controlados, podem causar graves danos ao organismo humano. A capacidade do sistema imune de reconhecer os próprios tecidos é essencial, mas, algumas vezes, ele perde essa capacidade de distinguir o tecido próprio de invasores potencialmente nocivos. Embora não esteja claro exatamente o que ocasiona o desvio do sistema imune de seu caminho, existe uma evidência crescente que, em alguns casos, infecções por vírus ou bactéria podem ter influência sobre isso. O novo estudo publicado fornece evidências que infecções bacterianas induzem um tipo de auto-reconhecimento que pode contribuir para algumas doenças autoimunes tais como esclerose múltipla (EM) e síndrome de Guillain-Barre (SGB). Existe evidência que o desenvolvimento de certas doenças autoimunes possa estar associado com infecção viral ou bacteriana. Essas infecções estimulam a produção de anticorpos e células imunes denominadas células T, que são direcionadas contra proteínas bacterianas, muito parecidas com as proteínas do próprio organismo, levando à reatividade cruzada com os tecidos saudáveis do organismo. Dr. Gennaro De Libero da University Hospital em Basel, Suíça, e seus colegas identificaram um mecanismo diferente onde infecções bacterianas promovem a ativação de células T que reconhecem moléculas chamadas glicosfingolipídeos (GSL), presentes nas bactérias e nos humanos. O pesquisador mostra que infecções por algumas bactérias ou mesmo a exposição a pedaços do revestimento externo da bactéria resultam em um aumento da síntese de GSL própria pelas células que promovem a resposta imune e estimulação subsequente das células T específicas a GSL autoreativas. “Coletivamente, essas descobertas sugerem que o reconhecimento da própria pessoa por meio da infecção é um importante mecanismo que leva à ativação de células T autoreativas e, possivelmente, participa na patogênese de algumas doenças autoimunes, tais como esclerose múltipla e síndrome de Guillain-Barre, nas quais a resposta anti-GSL das células T pode ser importante”, escreve Dr. De Libero. Os autores sugerem que embora as células T possam ser úteis na promoção da resposta imune à infecção, na ausência de infecção, as células T autoreativas a GSL podem procurar pelas molélulas GSL da própria pessoa que podem ser encontradas no sistema nervoso, resultando em degradação do cérebro e tecido nervoso, como observado nos pacientes com EM e SGB. Bacterial Infections Promote T Cell Recognition of Self-Glycolipids De Libero, G., Moran, A.P., Gober, H.-J., Rossy, E., Shamshiev, A., Chelnokova, o., Mazorra, Z., Vendetti, S., Sacchi, A., Prendergast, M.M., Sansano, S., Tonevitsky, A., Landmann, R., and Mori, L. Immunity, vol. 22, Junho 2005, págs. 763-772
Tratamentos Propostos : Plantas com indicação para combate a infecção bacteriana (e fúngicas) na Literatura, são: Alecrim-pimenta, alho, catuaba, eucalipto, ginkgo biloba, hortelã-pimenta, tiririca. Ver dados de cada uma delas usando a pesquisa própria neste site.
Dieta e Cuidados Recomendados : Para combater enfermidades infecciosas, é bom reforçar as doses de vitamina C – que estimula as defesas naturais contra infecções – cujas fontes são beterraba, brócolis, couve, pimentão, rabanete, salsa, maçã, limão, groselha, laranja, goiaba, tomate, tangerina, caju, acerola; e de ácido pantotênico (vitamina do complexo B que aumenta a resistência aos processos infecciosos) encontrado em levedura de cerveja, cereais, frutas, legumes e leite.
Terapias Auxiliares e Observações Farmacêuticas: TERRAS E LAMAS: de acordo coma infecção, pode-se aplicar cataplasmas de argila, de meio centímetro de espessura, sobre a região afetada, devendo-se deixar durante uma a duas horas, uma vez ao dia. CROMOTERAPIA: cor prata (cicatrizante, cauterizante e adstingente). Para combater as dores, aplica-se o amarelo. Se houver febre, em consequência da infecção, recomenda-se aplicar ou mentalizar as cores banco-azulado e azul. AROMATERAPIA: para aumentar a capacidade imunológica do organismo aconselha-se o uso do extrato de própolis (10 a 20 goats, duas a três vezes ao dia). Essências usadas para combater estados infecciosos: camomila, lavanda, tomilho, bergamota, eucalipto, cedro, limão, menta e alho. A posologia depende da idade e do estado geral do paciente, bem como da intensidade da infecção. Normalmente, recomenda-se dez gotas, duas vezes ao dia, misturadas em um pouco de chá morno ou uma colher de mel (não se pode dar mel para crianças menores de dois anos). HOMEOPATIA: no início de qualquer infecção deve-se dar logo no começo Belladona C3 e Mercurius solubilis C5, alternados de hora em hora e seguir com o tratamento específico do órgão/área atingido.

Para combater enfermidades infecciosas, é bom reforçar as doses de vitamina C - que estimula as defesas naturais contra infecções - cujas fontes são beterraba, brócolis, couve, pimentão, rabanete, salsa, maçã, limão, groselha, laranja, goiaba, tomate, tangerina, caju, acerola; e de ácido pantotênico (vitamina do complexo B que aumenta a resistência aos processos infecciosos) encontrado em levedura de cerveja, cereais, frutas, legumes e leite.