Febre amarela (febre intermitente) (maleita)- Malária (ajuda provisória) ]]}}}

Plantas Relacionadas na Literatura : Apii SF, Boldo-baiano (Aluman), Manacá ++, .
Sintomas e Causas : Febre intermitente, ou seja ocorre de tempos em tempos, quase sempre com intervalos regulares. Esta patologia é transmitida por um tipo de pernilongo Aedis egypsis, o mesmo que transmite a dengue, e portanto com vida adaptada às cidades. No passado causou grandes danos provocados pela febre amarela [cidade do Rio de Janeiro; interior de São Paulo, próximas de rios…] também transmitida pelo Aedis.
Tratamentos Propostos : As recomendações a seguir são para condições aonde os recursos médicos são inexistentes ou para enquanto se espera recuros médicos. Segundo Alfonsas Balbachas -1959 – As Plantas Curam: ligadas a maleita: agoniada, angélica, caferana, cardo-santo, cascarilha, centáurea-do-brasil, centáurea-menor, coerana, coração-de-Jesus, eucalipto, juazeiro, jurubeba, limão, marupá, milirramas, picão-da-praia, tinguaciba, tres-folhas-vermelhas, verônica. Fazer jejum durante 7 /8 dias, não tomando nenhum alimento durante a crise de febres. Tomar purgante e lavagem intestinal diariamente. Nos primeiros 3 dias de tratamento tomar 2 lavagens intestinais por dia (manhã-noite). Espremer na água de cada lavagem 2 limões. Tomar diariamente um banho de vapor. Tomar de 2 em 2 horas, meia xícara de suco de limão diluido em água, meio a meio. Quando houver calafrio tomar banho quente completo com temperatura da água levemente abaixo da do corpo; quando houver sensação de calor, tomar banho de tronco com água fria.Dr. Degmar: Artemisia em tratamentos emergenciais antimalária (Artemisia annua); planta toda; Melão-de-são-caetano (Momordica charanthia), folhas e frutos; Própulis, tintura na dose de 40 gotas/ água 4 vezes ao dia, ou do extrato seco na dose de 400 mg/3 vezes ao dia; Batata infalível (Mandevilla spp), tubérculo; Calunga (Quassia ferruginea), raiz; Ipê-roxo (Tabebuia avellanedae), entre-casca; Castanheira-do-pará (Bertholethia excelsa), entre casca, decocto; Sucupira (Bowdichia virgilioides), sementes, tintura ou xarope. Obs: estes dados são embasados no uso tradicional apenas , sem estudo clínicos ou farmacológicos.
Dieta e Cuidados Recomendados :
Terapias Auxiliares e Observações Farmacêuticas: Como o Aedis é um pernilongo com alguns hábitos bem definidos, podemos desenvolver  hábitos para prevenir picadas e portanto contaminação; pois ele >> 1-ataca mais ao entardecer, portanto nos finais de dia; 2-procura sugar [e portanto transmitir a doença] aproximadamente até 45 cm de altura, portanto até altura dos joelhos. 3-precisam de água limpa para efetuarem a posturas de seus ovos, transformando todo recipiente abandonado ou margens de aguadas com águas claras em áreas de risco de contaminação. >> Assim, recomendamos que em áreas de risco consideradas infestadas destes insetos, as pessoas principalmente ao entardecer, protejam suas pernas e pés, com vestes adequadas [não usar calção, bermudas, pés sem meias, saias, mas, calças compridas com sapatos fechados e meias grossas