Colagogo [ eliminação da bile] e colerética [ produção bile]:cálculos biliares

Plantas Relacionadas na Literatura : Damiana , Lobélia .
Sintomas e Causas : Segundo: Alimentos Saudáveis & Alimentos Perigosos – Reader´s Digest: ocorre quando pequenos sacos de ar dos pulmões (alvéolos) ficam inflamados e as paredes que os separam se rompem, provocando rigidez dos pulmões e redução da área através da qual o oxigênio é absorvido. Passa a ser necessário maior esforço para que os pulmões se expandam, o que implica em sobrecarga do coração quando bombeia o sangue através dos pulmões. Na maioria dos casos, o esforço adicional acaba por causar insuficiência cardíaca. Dr. Degmar lembra que o enfisema é uma condição irreversível de destruição alveolar (dos alvéolos pulmonares) e que o tratamento visa apenas melhorar a qualidade de vida do paciente, sem contudo cura-lo. O uso do fumo é responsável de 90% dos casos de enfisema.
Doença grave, em que a pessoa emagrece lentamente, tendo respiração difícil, prostração.

Tratamentos Fitoterápicos Propostos

Tratamentos Propostos : Segundo Dirceu (dirceu@paz.org.br): uso inteno; composto Dirceu: Mais Vida alternado com Lobélia inflata, planta toda, infuso, sem dose definida e recomendada, (planta com efeitos semelhantes ao curare, portanto muito perigosa em altas doses. Melhor usar preparações farmacêuticas com acompanhamento médico. Em doses altas paralisa os movimentos pulmonares responsáveis pela respiração, causando a morte por asfixia). Tratamento conjunto com Xarope de Bronquite (Composto Dirceu, falar com Adriana, em Catanduva, 017 3524 6276 A. Beneficiente A. G.]) e cataplasma de argila no local dos pulmões, juntamente com aplicações de Ungüento. Como fluidificador das mucosas pulmonares: segundo literatura, usar: Gengibre, rizoma, xarope, extrato, decocto; Alcaçuz, raiz, tintura; Guaco, folhas, xarope, infuso, rica em cumarina; Pimenta -diversas- (Capsicum spp), rica em capsaicina. Segundo Dr. Degmar: Gengibre (Zingiber officinalis), rizoma, xarope, extratos, decocto; Alcaçuz (europeu) (Glycyrrhiza glabra), raiz, tintura; Guaco (Mikania glomerata), folhas, xarope, infuso (rica em cumarina); Pimentas (várias espécies) (Capsium spp), rica em capsaina. Plantas com ação broncodilatadoras: Lobélia (Lobelia inflata), folhas, D1 para uso interno (ver observações anteriores); Gindélia (Grindelia robusta), sumidades floridas, infuso leve. Plantas com ação antiinflamatórias sobre os brônquios: Tanchagem (Plantago major), folhas, infuso; Angico (Parapiptadenia rigida)entre-casca, rico em taninos, decocto; Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra) ver dados da planta. Plantas com ação anticatarral: Hidraste (Hydrastis cannadensis); Tanchagem (Plantago spp) ver ddados planta; Verbasco (Verbascum spp). Plantas com ação anti-séptica para minimizar os processos infecçiosos que agravam quase sempre o caso: Alho (Allium sativum), bulbo, tintura (ou óleo extraido à seco, forma laboratorial); Ipê-roxo (Tabebuia avellanedae), entrecasca, rica em lapachol e taninos; Cebola (Allium cepa), bulbo, xarope; Própulis de abelha, extrato seco ou tintura; Tomilho (Thymus vulgaris), planta toda. Plantas com ação expectorante e mucolítica: Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra), raiz, decocoto; Alho (Allium sativum), bulbo, decocto; Gengibre (Zingiber officinalis), rizomas, decocto ou xarope; Guaco (Mykania glomerata), folhas, xaropes. Plantas que melhoram a imunidade e evitam as recidivas infecciosas: Equinácea (Echinacea angustifolia), raiz, tintura ou pó; Astragalus (Astragallus spp), evitar na fase aguda da infecção. Plantas tônicas e reguladoras do sistema cardiocirculatório são indispensáveis nos quadros de sobre carga ventricular direita: Crataegus (Crataegus oxyacntha), Embaúba – banana-de-macaco (Cecropia spp), folhas jovens, infuso; Ginkgo (Ginkgo biloba), folhas, extrato seco, preparação laboratorial. Como fluidificador das mucosas pulmonares: segundo literatura, usar: Gengibre, rizoma, xarope, extrato, decocto; Alcaçuz, raiz, tintura; Guaco, folhas, xarope, infuso, rica em cumarina; Pimenta -diversas- (Capsicum spp), rica em capsaicina. Plantas com ação broncodilatadoras: Lobélia ((Lobelia inflata), folhas, D1 para uso interno (ver observações anteriores); Gindélia (Grindelia robusta), sumidades floridas, infuso leve. Plantas com ação antiinflamatórias sobre os brônquios: Tanchagem (Plantago major), folhas, infuso; Angico (Parapiptadenia rigida)entre-casca, rico em taninos, decocto; Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra) ver dados da planta. Plantas com ação anticatarral: Hidraste (Hydrastis cannadensis); Tanchagem (Plantago spp) ver ddados planta; Verbasco (Verbascum spp). Plantas com ação expectorante e mucolítica: Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra), raiz, decocoto; Alho (Allium sativum), bulbo, decocto; Gengibre (Zingiber officinalis), rizomas, decocto ou xarope; Guaco (Mykania glomerata), folhas, xaropes. Plantas que melhoram a imunidade e evitam as recidivas infecciosas: Equinácea (Echinacea angustifolia), raiz, tintura ou pó; Astragalus (Astragallus spp), evitar na fase aguda da infecção. Plantas tônicas e reguladoras do sistema cardiocirculatório são indispensáveis nos quadros de sobre carga ventricular direita: Crataegus (Crataegus oxyacntha), Embaúba – banana-de-macaco (Cecropia spp), folhas jovens, infuso; Ginkgo (Ginkgo biloba), folhas, extrato seco, preparação laboratorial.

Verificar recomendção de dieta para tratamento nas patologias do fígado.

Dieta e Cuidados Recomendados : Dieta com alimentação leve, muito suco de limão-cravo. Segundo: Alimentos Saudáveis & Alimentos Perigosos – Reader´s Digest : comer bastante: alimentos que forneçam vitamina C, como frutas cítricas e salsa crua; fonte de beta-carotenos como cenoura, damasco, espinafre; alimentos que forneçam vitamina E, como cereais integrais e óleo de girassol.

Evitar: fumar e viver em ambientes com fumantes ou com poluentes respiratórios. Fazer exercícios respiratórios diariamente, tomando o sol da manhã (das 7 às 9 hs). Nutracêuutica: evitar gelado, suspender leite de vaca e derivados; evitar excesso de bananas por facilitar a formação de muco brônquico; alimentos ricos em ômega 3 são indispensáveis para combater a inflamação crônica dos brônquios