Relação de alimentos e doenças (conhecimentos gerais) [vitaminas, dietas, etc]

Substâncias

Um país anêmico – O brasileiro consome apenas um terço de frutas, legumes e verduras do que recomenda a OMS. Especialistas mostram quais as principais doenças relacionadas à ausência de vitaminas. Clima ameno, terra abundante, solo fértil, muita água e uma incrível variedade de frutas, verduras, legumes, cereais, peixes e carne vermelha. As feiras e supermercados de norte a sul do Brasil estão repletos de vitaminas à disposição durante os 365 dias do ano. O cardápio da população, no entanto, está cada dia menos nutritivo. Independentemente da classe social, crianças, adultos e idosos nem sempre ingerem a quantidade mínima desses micronutrientes — indispensáveis para garantir uma vida saudável. O resultado preocupa especialistas: o brasileiro está adoecendo por falta de vitaminas. A Organização Mundial da Saúde recomenda o consumo diário por pessoa de, no mínimo, 400 gramas de frutas, legumes e verduras, mas no país campeão de produção de grãos a ingestão desses produtos representa apenas um terço do total preconizado pela OMS. Pesquisa do IBGE mostra também que no total de calorias diário ingerido pelo brasileiro, apenas 2,3% vêm do consumo de frutas e verduras. Reportagem de Márcia Neri, no Correio Brasiliense. Pequenas no tamanho, mas gigantes no propósito de garantir o bom funcionamento do organismo, elas previnem males e podem garantir a longevidade. A falta de vitaminas causa estragos porque desequilibra a máquina humana. O corpo passa a sofrer com problemas que variam da falta de apetite e indisposição à cegueira noturna, retardo no crescimento, infertilidade, anemia, alteração no sistema nervoso central, osteoporose e muitos outros. De acordo com o médico José Humberto Gebrin, nutrólogo da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), a desinformação e o estilo de vida adotado nos últimos anos condicionam a população à ingestão de refeições rápidas, de alimentos industrializados e sem nutrientes. “Por isso, doenças como o escorbuto(1) — decorrente da falta de vitamina C — e o raquitismo, desencadeado pela escassez de vitamina D, ainda atingem a população, até em regiões privilegiadas, como o Distrito Federal”, lamenta o especialista. Cores indispensáveis O médico observa que a dieta equilibrada deve ser praticada da infância à velhice e explica que as vitaminas são elementos nutritivos encontrados nos vegetais, legumes, frutas e carnes (veja quadro). Um cardápio balanceado que contempla tais alimentos é suficiente para abastecer o corpo desses nutrientes sem a necessidade de suplementos vitamínicos. “Para manter a saúde em dia precisamos de combinações que garantam um prato colorido. Simplificando, cores diferentes oferecem a vasta gama de vitaminas, minerais, fibras e substâncias fitoquímicas que o corpo demanda para manter a energia, se proteger contra os efeitos da idade e reduzir o risco de câncer e doenças cardíacas”, garante Gebrin. O nutrólogo Leandro Vaz explica que as vitaminas são divididas em dois tipos. As lipossolúveis — A, D, E e K — estão relacionadas com a manutenção da estrutura das membranas celulares. “Elas são encontradas em alimentos gordurosos, como azeites e castanhas, elas permanecem mais tempo no organismo do que as solúveis em água, que fornecem o que precisam ao corpo e são eliminadas pela urina”, diz Leandro. Os suplementos vitamínicos são indicados somente para suprir uma falta emergencial. Eles estimulam o metabolismo a voltar a funcionar bem e quando cumprem sua função devem ser substituídos pela dieta saudável. É ela que proporciona a interação das vitaminas com outros nutrientes necessários ao organismo. A associação gera melhor absorção. Legumes verdes são fontes do complexo B; laranja, cenoura e frutas vermelhas, têm vitamina A; as cítricas são ricas em vitamina C; e os óleos vegetais, ovos, cereais integrais e peixes garantem vitaminas D e E. Escorbuto Durante as grandes navegações dos séculos 15 e 16, um dos maiores flagelos dos marinheiros era uma estranha doença que atingia a tripulação. Provocava queda de dentes e cabelo, hemorragias generalizadas, anemia e intensa fraqueza. Não eram poucos os que acabavam morrendo, em absoluta prostração. Essa doença, hoje conhecida como escorbuto, surge no organismo em consequência da alimentação deficitária em vitamina C. O sol no cardápio A servidora pública Adriana Alves, 33 anos, sentiu na pele o efeito da carência de vitaminas. Há um ano, a indisposição e a insônia deram o sinal de alerta. “A falta de energia estava estampada na minha pele, completamente sem viço. Procurei um médico e os exames não deixaram dúvidas quanto a ausência de vitamina B12 e B9 (ácido fólico)”, conta. Adriana confessa que não se alimentava corretamente e que a correria do dia a dia fazia com que a saúde fosse deixada em segundo plano. O problema foi contornado com alimentação balanceada. “Agora, aprendi a apreciar verduras, principalmente as folhas verdes, como o espinafre, e a dar valor ao prato colorido e variado. Também não abro mão da carne. Em um mês, minha vida mudou. Durmo bem e estou muito disposta, animada”, comemora. Os ossos também dependem das vitaminas para se fortalecerem, principalmente da D. Obtida por meio de vegetais verdes, peixes e carnes, ela se transforma em um hormônio essencial para a estrutura óssea, mas depende do sol para ser sintetizada. “Tudo começa com a ingestão dos alimentos fontes, seguida da exposição solar que ativa a vitamina D no organismo e um rim saudável para transformá-la em hormônio e garantir que o intestino permita a absorção do cálcio. De nada adianta tomar leite e derivados, se essa sequência for quebrada em algum momento”, explica a endocrinologista Luciana Naves. Osteoporose A médica alerta que o brasileiro tem sofrido com a falta da vitamina D porque o cardápio está rico em macarrão, arroz, batata frita e industrializados e a população tem se protegido do sol com os filtros solares. “A radiação que ativa a vitamina D é a ultra-violeta, justamente a bloqueada pelos filtros. Eles são importantes, não restam dúvidas, mas precisamos de alguns minutinhos de exposição para ativar a vitamina. A falta dela tem favorecido a osteoporose precoce”, diz. A administradora de empresas Juliene Alcântara Quintão, 26 anos, se assustou quando os exames de sangue acusaram carência de vitamina D. “Sou uma pessoa disposta, mas o cansaço estava me consumindo. Passei a ir dormir diariamente às oito da noite e sentia um sono incontrolável no meio do dia. Acho que a falta de esclarecimento sobre a importância das vitaminas faz com que não se comer verduras e frutas seja um traço cultural”, observa. A indisposição de Juliene também foi contornada com dieta balanceada. “Confesso que não sou disciplinada, mas agora tomo e valorizo um solzinho. O cardápio está mais colorido também. Refiz os exames e o médico verificou que a taxa de vitamina D está quase normalizada”, diz aliviada. Saiba mais O que são vitaminas? As vitaminas são um grupo de nutrientes orgânicos, essenciais para regular o processamento químico do corpo humano. São elas as responsáveis por ativar a oxidação dos alimentos, as reações metabólicas do organismo e facilitar a libertação e a utilização de energia Produção As vitaminas são obtidas de alimentos ou de suplementos vitamínicos. No organismo, em reações químicas aceleradas por elas, proteínas, carboidratos e gorduras se combinam para produzir energia e compor os tecidos e os ossos Tipos Vitaminas hidrossolúveis – não são armazenadas no corpo e devem ser tomadas diariamente para prevenir sua deficiência Vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K) – podem ser armazenadas. O intestino as absorve e o sistema linfático as transporta para diferentes partes do corpo Benefícios das mais conhecidas: A Anticarcinogênica, previne o envelhecimento da pele e a cegueira noturna, aumenta a capacidade de cura do organismo, promove o crescimento e a saúde dos ossos, cabelos, dentes, pele e gengiva, ajuda no tratamento do hipertireoidismo Fontes: Cenoura, leite e seus derivados, ovos, fígado, couve, mamão, laranja, manga, melão, melancia, pêssego, espinafre, couve de Bruxelas, brócolis, batata-doce, inhame, abóbora B1 Ajuda a transformar açúcar em energia nos músculos e ossos, protege contra desequilíbrios causados pelo consumo de álcool, pode ajudar no tratamento de doenças neurológicas, anemia, pode aumentar a agilidade mental Fontes: Arroz integral, gérmen de trigo, espinafre, couve-flor, nozes, sementes de girassol, amendoim, feijões, abacate, carne de porco B2 Ajuda a metabolizar gorduras, proteínas e carboidratos, melhora a visão, estimula funções reprodutoras saudáveis, aumenta o desempenho atlético, protege contra a anemia Fontes: Levedo de cerveja, fígado, língua e outras vísceras, leite, queijos duros, peixes, algas marinhas, repolho, ovos, sementes de girassol, arroz selvagem, aspargo, brócolis, espinafre, cogumelos B3 Estimula a digestão, reduz a hipertensão arterial, previne a enxaqueca, ajuda na respiração celular, pode baixar o colesterol e proteger contra doenças cardíacas Fontes: Fígado e outras vísceras, galinha, ervilha, tâmara, figo, cereais integrais, ameixa, abacate, peixes, amendoim, trigo integral, leite, ovos B5 Melhora o sistema imunológico, previne a fadiga, reduz os níveis de colesterol, protege contra as doenças cardíacas e previne a artrite. Tem sido indicada para tratar asma, herpes simplex, alcoolismo e bruxismo Fontes: Carne, cereais integrais, nozes, frango, melado, gema de ovos, peixe, queijo, amendoim, feijões, batata doce, couve-flor, ervilhas, abacate B6 Ajuda a controlar o diabetes, trata sintomas da TPM, reduz câimbras e espasmos musculares, atua como diurético natural, protege contra o câncer. Tem sido utilizada para tratar a displasia mamária Fontes: Levedo de cerveja, fígado, coração, melão, repolho, melado, ovos B9 Melhora a lactação, a pele, é um analgésico natural, dá resistência à infecção em crianças, é essencial à transmissão do código genético (DNA), previne a espinha bífida Fontes: Vegetais de folhas verde-escuras, cenoura, fígado, cereais, abacate, gema do ovo, melão e damasco B12 Aumenta a memória e a concentração, protege contra elementos alérgenos e tóxicos, previne a esclerose múltipla, neuropatia diabética, herpes zoster e depressão em idosos Fontes: Fígado, carne vermelha, carne de porco, ovos, queijos e leite C Antioxidante, acelera a cura de ferimentos, mantém a saúde de ossos, dentes e órgãos sexuais, atua como anti-histamínico natural, reduz a duração de resfriados e outras viroses, auxilia no tratamento do estresse. Fontes: Todas as frutas cítricas, especialmente laranja, limão, acerola, kiwi, frutas silvestres (fruto da roseira, groselha preta), brócolis, batata-inglesa, batata-doce, couve-flor, tomate, fígado e todos os vegetais D Protege contra a osteoporose, ajuda no tratamento da psoríase, melhora o sistema imune, é necessária para se ter ossos e dentes fortes Fontes: É encontrada na cavala, sardinha, bacalhau e todos os óleos de peixe E Antioxidante, anticoagulante, protege contra distúrbios neurológicos, trata problemas de pele, auxilia na prevenção do aborto, previne câimbras musculares e espasmos, estimula o sistema imunológico Fontes: Germe de trigo, soja, óleos vegetais, brócolis, verduras, cereais integrais e ovos EcoDebate, 10/08/2010 [ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ] Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.