Úlcera gástrica; péptica; duodenal (ajuda nos sintomas) g*

Plantas Relacionadas na Literatura : Açafrão; açafroeira, Alcaçuz SF, Angico-branco, Arnica-verdadeira, Cipó-guaimbê SF, Crataegus [Espinheiro-alvar] +, Japecanga-vermelha ++, Mandacaru + ++++ sf, Pau-de-bálsamo [bálsamo] ++ SF, Repolho, Sucurijú, Tanchagem; ++, .
Sintomas e Causas : Úlcera Péptica/Gástrica Pode ser chamada de úlcera gástrica ou duodenal, dependendo do local atingido. É uma ferida bem definida(redonda ou oval) que aparece no revestimento gástrico ou duodenal, provocada pela ação do ácido gástrico e dos sucos digestivos. As úlceras pépticas aparecem no revestimento do trato digestivo exposto ao ácido e às enzimas digestivas. O tipo mais comum , as úlceras duodenais, localizam-se nos primeiros centímetros do intestino delgado, o duodeno. Já, as úlceras gástricas ocorrem ao longo da parte alta da curvatura do estômago. Causa – A úlcera é formada quando os mecanismos de defesa que protegem o duodeno ou o estômago contra o ácido gástrico sofrem alterações. Pode ocorrer, por exemplo, diminuição ou aumento da quantidade de muco produzido. Descobriu-se que muitos pacientes com úlceras duodenais apresentam a bactéria Helicobacter pylori no seu estômago. Hoje, essa bactéria é considerada uma causa importante de úlceras pépticas. Não há comprovação de como a bactéria contribui para o aparecimento da doença, mas presume-se que poderiam interferir nas defesas normais contra o ácido gástrico ou produzir uma toxina que ajuda na formação das úlceras. Fatores como o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e o cigarro também podem contribuir para o desenvolvimento da úlcera. Além desses fatores, casos de úlceras na família e ter sangue tipo “O” aumentam o risco de desenvolver uma úlcera. Há uns anos, acreditava-se que o estresse era um dos causadores da úlcera. Mas, hoje se sabe que isso não é verdade. O estresse pode somente agravar a dor ou dificultar o tratamento. Principais sinais e sintomas – Um dos principais sintomas é a dor abdominal, que pode ocorrer no meio da noite ou duas ou três horas após a alimentação. Ficar sem comer por muito tempo ou pular refeições pode ser pior. Consegue-se aliviar a dor tomando leite ou outro antiácido. A úlcera ainda pode provocar náusea, vômito, perda de peso, fadiga, indigestão e dor no peito. Porém, também é importante saber que ela pode estar presente e não ocasionar nenhum desses sinais e sintomas. Complicações – Na maioria dos casos, a úlcera péptica pode ser curada sem deixar seqüelas. Mas, em alguns pacientes, ela pode evoluir para complicações potencialmente letais. A ferida pode atravessar a parede muscular do estômago ou do duodeno e penetrar num órgão maciço adjacente, como o fígado ou o pâncreas. As úlceras da superfície da face anterior do duodeno ou, menos comumente, do estômago, também podem perfurar a parede e criar uma abertura para a cavidade abdominal. Além dessas evoluções da doença, há o risco de ocorrer a úlcera hemorrágica, a complicação mais freqüente. Os primeiros indícios são o vômito de sangue vermelho vivo ou de grumos de cor castanho-avermelhado de sangue parcialmente digerido (semelhante à borra de café) e a eliminação de fezes pretas ou sanguinolentas.Nesses três casos, a cirurgia geralmente é necessária. Tratamento – Normalmente, o tratamento envolve uma combinação de medicamentos, além de algumas mudanças nos hábitos alimentares. Um dos objetivos é a neutralização ou a diminuição da acidez gástrica. Esse processo começa com a eliminação dos possíveis irritantes gástricos: antiinflamatórios não-esteróides, álcool e nicotina. Os pacientes devem evitar alimentos que parecem piorar a dor ou a distensão abdominal. Prevenção – Alguns cuidados podem diminuir os risco do desenvolvimento de uma úlcera gástrica ou duodenal, como: não fumar, não exagerar no consumo de bebidas alcoólicas, fazer pequenas refeições ao dia em intervalos regulares de tempo e limitar a ingestão de café, chá preto ou outras bebidas que contenham cafeína. Fonte: Manual Merck e AllRefer Health. Autor: Mariana Mesquita. Conteúdo aprovado pelos coordenadores técnico-científicos do Portal Unimed.
Tratamentos Propostos : Segundo Dirceu (dirceu@paz.org.br), tomar Úlcera (composto) com as plantas: infalível-raiz, barbatimão, espinheira-santa, calêndola, babosa, erva-de-bicho, bardana, cavalinha, craxerú. Indicação especial: Cavalinha (Equicetum arvense e outras Equicetum spp), ver dados da planta. Ver caracerísticas individuais de cada planta indicada. Indicação especial Abdalla por ser poderoso cicatrizante e reconstituinte celular: Babosa-grande (Aloi humilis), na forma de extrato: 20 gotas 3 vezes ao dia (cuidado na dose por ser planta considerada tóxica). [ver dados da planta]. (não se pode usar mais do que 10% de plantas na confecção do infuso e/ou tintura; Erva-mular (ver dados da planta. No caso de preparados na forma aquosa usar: uma colher de sobremesar 3 vezes ao dia. No caso de usar na forma de cápsulas contendo pó seco e moído da mistura de plantas indicadas ou de uma planta, tomar 1 cápsula, 3 vezes ao dia, 15 minutos antes das refeições,”em estado de fome”, [prática que pode ser usada nas formulações aquosas] ou quando se fizer necessário. Segundo Alfonsas Balbachas -1959 – As Plantas Curam:barbatimão, bunharém, calêndola, caroba, cavalinha, cipó-chumbo, curraleira, erva-de-santa-luzia, erva-moura, eucalípto, hera-terrestre, imbiri, jurubeba, limão, língua-de-vaca, louro, maracujá-açú (quadrangularis, saião, salva, tanchagem, tinhorão, trevo-cheiroso, velame-do-campo, velame-do-mato.Segundo MACHADINHO, uso interno do composto ÚLCERA DO ESTÔMAGO, com as seguintes plantas: agrião, ramas, 100 g; acelga, planta toda, 100 g; espinheira-santa,folha, 50 g; espécies diuréticas Klein (farcacopéia nacional); espécies aromáticas Klein (farmacopéia nacional),; framboesa, ramas, 100 g; groselha-vermelha, sementes, 50 g;genipapo, cascas, 100 g; panacéia, folha; 100 g; seiva de jatoba, 50 g.
Dieta e Cuidados Recomendados : Dieta recomendada durante o tratamento: cortar margarinas, manteigas, carne vermelha, frituras gerais, refrigerantes (mesmo diet e tipo cola), todo tipo de gordura mesmo chocolates, usar leite desnatado com aveia fina (Oat brean), 2 vezes ao dia.

Dieta recomendada durante o tratamento: cortar margarinas, manteigas, carne vermelha, frituras gerais, refrigerantes (mesmo diet e tipo cola), todo tipo de gordura mesmo chocolates, usar leite desnatado com aveia fina (Oat brean), 2 vezes ao dia.