Sistema respiratório: bronquite alérgica (ajuda nos sintomas) g*

Plantas Relacionadas na Literatura : Agrião [agrião-de-terra-enxuta], .
Sintomas e Causas : Com a chegada do inverno muitas pessoas, adultos e crianças, são acometidos pelas chamadas alergias respiratórias. A grande maioria dos pacientes apresenta sintomas de rinite (espirros e escorrimento pelo nariz, principalmente pela manhã), bronquite (tosse com ou sem catarro) e asma (falta de ar ou dificuldade de respirar). Antes de tudo, é bom saber o que é alergia. Trata-se de uma doença hereditária (transmitida dos pais para os filhos), relacionada ao sistema imunológico (de defesa) da pessoa. Se um dos pais é alérgico, a chance de o filho ser é de 20%; se os dois pais são, as chances passam a ser de 80%. Este fator sofre influências, também, da região e do ambiente onde a pessoa vive, que podem, ou não, facilitar o desencadeamento da doença, explicam os especialistas em alergia clínica e ambiental. Segundo os médicos, no caso do Brasil, um país tropical com grande extensão territorial, as pessoas alérgicas sofrem influências de fatores ambientais inerentes a cada região, por exemplo: no sul, são registrados mais processos alérgicos desencadeados devido ao pólen que cai das flores e à alimentação. Nas grandes cidades do sudeste, como Rio de Janeiro e São Paulo, as influências são devido à poluição ambiental causada pela fumaça do trânsito, indústrias e chaminés. Caso seja comprovado o fator alérgico – como tosse constante, dor no peito e nariz escorrendo, com freqüência –, os médicos aconselham a procurar um especialista, para diagnosticar as causas. Na maioria dos casos, as alergias podem ser controladas evitando-se o contato com as substâncias causadoras, monitorando o ambiente e eliminando os fatores externos que possam estar desencadeando o processo alérgico. O correto é tratar os sinais e sintomas da doença, para que ela não progrida. Em algumas situações, no entanto, é necessária a prescrição de medicamento antialérgico (corticóides como última opção). Conforme atesta o médico, alguns casos mais graves, como a asma não controlada e as reações anafiláticas devem ser tratadas com urgência. A reação anafilática, que pode ser desencadeada, principalmente, por picada de insetos (abelhas, vespas e formigas), medicamentos (antibióticos, ácido acetil salicílico entre outros) e ingestão de certos alimentos (como frutos do mar), tem como sintomas: inchaço principalmente da região do rosto (boca e olhos), dificuldade de respirar e tontura. Além dos fatores genético e ambiental, o especialista alerta para a tendência de alimentos – como corantes, chocolate e leite – serem grandes desencadeadores de alergia. Ou seja, para driblar esta grande vilã, que acompanha a humanidade durante séculos, é importante minimizar os fatores de risco, procurando viver em um ambiente seco (sem umidade), ventilado (sem fungo e ácaro – parasita responsável por desencadear processos alérgicos) e limpo (sem poeira ou sujeira). DICA impe a casa com um pano umedecido em água ou álcool, evitando desinfetante e outros produtos químicos. Nada de espanador, cortinas de tecido e carpete, que concentram muita poeira. Os ácaros, principais causadores de alergia, são abundantes nos colchões e travesseiros, locais onde costumamos passar grande parte do nosso dia e por isso é imprescindível o uso de capas impermeáveis aos ácaros. Evite ter no quarto almofadas, bichinhos de pelúcia e cortinas pesadas, pois tudo isso se torna ninho de ácaros. Deixe entrar ar e sol sempre que possível nos cômodos, evitando assim o aparecimento de fungos. Os principais tipos de alergias respiratórias RINITE ALÉRGICA Sintomas: coceira no nariz, nariz escorrendo e muitos espirros. Causas: pó (ácaros e fungos), cheiros fortes, lustra móveis, fumaça de cigarro, mudança de temperatura. Portanto, a melhor medida para aliviar suas crises é evitar as causas: manter a casa arejada, evitar produtos de limpeza com cheiro forte, eliminar focos de mofo, principalmente dos armários e forrar colchões e travesseiros com capas anti-ácaro, além de evitar sair, bruscamente, de locais quentes para locais com ar condicionado. BRONQUITE ALÉRGICA Sintomas: tosse, peito cheio. Causas: infecção, poeira doméstica http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/alergias/alergias-respiratorias.php
Tratamentos Propostos : Segundo Dirceu (www.dirceu@paz.org.br), tomar Bronquite (composto), ou as plantas : guaco, hortelã, agrião, assapaeixe, tanchagem. No caso de preparados na forma aquosa usar: até 2 anos: 1 gota/kg; de 3 anos à 7 anos: uma colher de chá; de 7 até 12 anos: uma colher de sobremesa; mais de 12 anos : uma colher de sopa. Em todas as idades, usar 3 vezes ao dia. No caso de usar na forma de cápsulas contendo pó seco e moído da mistura de plantas indicadas ou de uma planta, tomar 1 cápsula, 3 vezes ao dia, 15 minutos antes das refeições, “”em estado de fome “”, [prática que pode ser usada nas formulações aquosas] ou quando se fizer necessário. Dieta recomendada durante o tratamento: cortar margarinas, manteigas, carne vermelha, frituras gerais, refrigerantes (mesmo diet e tipo cola), todo tipo de gordura mesmo chocolates, usar leite desnatado com aveia fina (Oat brean), 2 vezes ao dia.
Dieta e Cuidados Recomendados : Segundo Dr. Degmar: plantas com ação antinflamatória nos brônquios: Tanchagem, folhas; Alcaçuz, raiz, tintura, extrato fluido, extrato seco, pó, decocoto; Angico, entrecasca, tintura; Copaíba, óleo, cps ou xarope; Erva-de-santa-maria, folhas, infuso, suco diluído, xarope; Avenca, folhas, infuso, xarope, tintura; Açafroeira, rizomas, tintura, pó, extratos. Plantas com ação descongestionante e anti-alérgicas: Ma huang (Ephedra sinica), tintura, diluição, infuso a 2%, pó, extrato seco; Embaúba, folhas jovens; Gravatá (amarela) (Ananas muricata), entrecasca dos frutos maduros, xarope; Sabugueiro, flor, infuso, tintura diluída. Plantas que são imunomoduladoras: Equinácea, raízes, extrato, pós, tinturas,; Unha-de-gato, cipó, pó, extratos. Segundo Dr. Edmar as plantas com ação antinflamatória nos brônquios: Tanchagem (Plantago major), folhas; Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra), raiz, tintura, extrato fluido, extrato seco, pó, decocoto; Angico (Parapiptadenia rigida) , entrecasca, tintura, Copaíba, óleo, cps ou xarope; Erva-de-santa-maria, folhas, infuso, suco diluído, xarope; Avenca, folhas, infuso, xarope, tintura; Açafroeira, rizomas, tintura, pó, extratos. Plantas com ação anticatarral: Hidraste (Hydrastis cannadensis, Tanchagem, Verbasco (Verbascum spp). Plantas com ação anti-séptica (para ajudar quadros de infecção): Alho, bulbo, tintura; Ipê-roxo (Tabebuia avellanedae), entrecasca, decocto (rica em taninos e lapachol); Cebola, bulbo, xarope; Própulis, extrato seco ou tintura; Tomilho (Thymus vulgaris), planta toda, decocto. Plantas com ação mucolítica e expectorante: Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra), raiz, decocto; Alho, bulbo; extrato; Gengibre (Zingiber glabra), rizomas, decocto, xarope; Guaco (Mikania glomerata), folhas, xarope. Evitar choque térmico, abolir o cigarro completamente, inclusive no ambiente que o paciente respira. Alimentar-se com alimentos ricos em Ômega3, tais como: atum, arenque, cavalinha, salmão, sardinha, etc.

Segundo Dr. Degmar: plantas com ação antinflamatória nos brônquios: Tanchagem, folhas; Alcaçuz, raiz, tintura, extrato fluido, extrato seco, pó, decocoto; Angico, entrecasca, tintura; Copaíba, óleo, cps ou xarope; Erva-de-santa-maria, folhas, infuso, suco diluído, xarope; Avenca, folhas, infuso, xarope, tintura; Açafroeira, rizomas, tintura, pó, extratos. Plantas com ação descongestionante e anti-alérgicas: Ma huang (Ephedra sinica), tintura, diluição, infuso a 2%, pó, extrato seco; Embaúba, folhas jovens; Gravatá (amarela) (Ananas muricata), entrecasca dos frutos maduros, xarope; Sabugueiro, flor, infuso, tintura diluída. Plantas que são imunomoduladoras: Equinácea, raízes, extrato, pós, tinturas,; Unha-de-gato, cipó, pó, extratos. Segundo Dr. Edmar as plantas com ação antinflamatória nos brônquios: Tanchagem (Plantago major), folhas; Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra), raiz, tintura, extrato fluido, extrato seco, pó, decocoto; Angico (Parapiptadenia rigida) , entrecasca, tintura, Copaíba, óleo, cps ou xarope; Erva-de-santa-maria, folhas, infuso, suco diluído, xarope; Avenca, folhas, infuso, xarope, tintura; Açafroeira, rizomas, tintura, pó, extratos. Plantas com ação anticatarral: Hidraste (Hydrastis cannadensis, Tanchagem, Verbasco (Verbascum spp). Plantas com ação anti-séptica (para ajudar quadros de infecção): Alho, bulbo, tintura; Ipê-roxo (Tabebuia avellanedae), entrecasca, decocto (rica em taninos e lapachol); Cebola, bulbo, xarope; Própulis, extrato seco ou tintura; Tomilho (Thymus vulgaris), planta toda, decocto. Plantas com ação mucolítica e expectorante: Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra), raiz, decocto; Alho, bulbo; extrato; Gengibre (Zingiber glabra), rizomas, decocto, xarope; Guaco (Mikania glomerata), folhas, xarope. Evitar choque térmico, abolir o cigarro completamente, inclusive no ambiente que o paciente respira. Alimentar-se com alimentos ricos em Ômega3, tais como: atum, arenque, cavalinha, salmão, sardinha, etc.