Quimioterapia: diminui efeitos secundários da (ajuda nos sintomas) g*

Plantas Relacionadas na Literatura : Café; Cafeeiro SF, Funcho [erva-doce]++, .
Sintomas e Causas : Os canabinóides (substâncias ativas da cannabis sativa – maconha) são mais efetivos do que os medicamentos convencionais na prevenção da náusea e vômito em pacientes que se submetem à quimioterapia. Os pacientes, inclusive, os preferem, conforme publicado na última edição do periódico British Medical Journal. Contudo, os efeitos colaterais potencialmente sérios, mesmo quando a substância é administrada por períodos curtos, tendem a limitar seu amplo uso. Trinta testes envolvendo mais de 1300 pacientes foram analisados para quantificar a efetividade e a segurança da cannabis na prevenção de enfermidades induzidas pela quimioterapia. Três canabinóides diferentes foram administrados, em forma de tabletes, ou por injeção intramuscular. Entre todos os testes, os canabinóides foram mais efetivos do que os medicamentos convencionais, embora nenhuma diferença tenha sido observada para pacientes que recebiam doses muito reduzidas ou muito elevadas de quimioterapia. A maioria dos pacientes também preferia os canabinóides para ciclos quimioterápicos futuros. Os pacientes reportavam mais efeitos colaterais com os canabinóides do que com os medicamentos convencionais. Embora alguns fossem potencialmente benéficos (euforia, tranqüilização ou sonolência), outros eram danosos (tontura, depressão, alucinações). Canabinóides podem prevenir enfermidades relacionadas à quimioterapia Fonte: British Medical Journal, 06/07/2001
Tratamentos Propostos : WWW.HEPC.HOSTER.COM.BR O cardo mariano (“Silybum marianum”) é uma das plantas mais utilizadas nas afecções hepáticas, devido ao facto de proteger a célula hepática, com resultados cientificamente comprovados, pelo que é usado na composição de muitos preparados farmacêuticos. O seu princípio activo, a silimarina, ajuda a regenerar as células hepáticas danificadas por substâncias tóxicas, como o álcool, entre outras. As sementes dos frutos, as folhas e a raiz desta planta são usados em inúmeras afecções hepáticas: “fígado gordo”, intoxicações, icterícia, hepatite e cirrose. Esta planta é também benéfica em tratamentos com quimioterapia, ajudando o fígado a suportar os efeitos secundários resultantes destes tratamentos químicos. No caso do extracto seco em cápsulas, deve optar por suplementos com um mínimo de 70 a 80% de extracto normalizado de silimarina, devendo tomar cerca de 140 a 210mg três vezes ao dia. Literatura; ferver por 10 minutos, 1 colher de chá de sementes de Funcho (erva-doce), por xícara de chá com água sem cloro (mineral), e tomar 3 vezes ao dia, em “estado de fome”.