Laxante forte [drástica]

Plantas Relacionadas na Literatura : Amaroleite, Cáscara-sagrada;  Cipó-caboclo, Frângula  .
Sintomas e Causas : Plantas que atuam violentamente no intestino, provocando descargas fortes do bolo fecal semelhantes à diarreia, (mas provocadas quimicamente e não por ação de micro-organismos patogênicos como na diarreia infecciosa)

 

Abreu Matos: contém princípios ativos antraquinônicos, principalmente os glicosídeos senosídeos A e B e C, que são responsáveis pela ação laxativa e purgativa (ver contra indicação).
www.jornalexpress.com.br: Princípios Ativos : Antraquinonas: antrocenosídeos (1,53% nas folhas e 2-5% no fruto), entre os quais se destacam : senosídeos A e B (rein-diantronas, senosídeos C e D (reinaloe-emodin heterodiantronas); Carbohidratos; Flavonoídes: kempferol e isoramnetina; traços de Óleo Essencial; Saponina; Fitosteróis; Sais Minerais; Ácido Salicílico; Ácido Crisofânico.
www.jornalexpress.com.br: antraquinonas; agliconas;

Sene-do-campo, sena. www.jornalexpress.com.br: Sene de Tinnevelly, Sene da Índia, Sene de Alexandria e Sene de Cartrum, no Brasil; Sena, na Itália; Séné, na França; Sennesblaetter, na Alemanha; Senna, em inglês; Sen de la Índia e Sen de Tinnivelly, em espanhol.

Senna alexandrina Mill. (Cassia cathartica, C. angustifolia; C. acutifolia)


Informações  Dr Pedro Nechar [cardiologista]

O abuso de laxantes pode também determinar problemas eletrolíticos, onde uma hipocalemia é muito perigosa aos cardiopatas.
Só se deve utilizar o Sene durante breves períodos de tempo, pois a maior causa do aparecimento dos efeitos secundários decorre da automedicação e abuso feitos.
Botasis: evitar o uso por pessoas idosas ou debilitados.

Lorenzi: uso interno, decocto, folhas, como laxante (substituindo a Sena verdadeira ou sene (Senna alexandrina) planta africana. Seu uso ao contrário de outros purgativos, pode ser feito mais continuamente pois seus efeitos secundários no aparelho digestivo são menores; pode ser usado na forma de chá e mesmo do pó das suas folhas. A dose laxativa varia de uma a cinco gramas do pó das folhas, a até uma colherinha de café. O efeito purgativo é obtido com doses de 10 a 15 gramas do pós das folhas, ou seja de uma colher de sobremesa até uma colher de sopa. Pode ser bebido após misturado com água e adoçado ou na forma de um chá preparado com as mesmas doses indicadas. É recomendado quando se usam as doses maiores, lavar rapidamente o pó ou as folhas ainda inteiras, com álcool (próprio para consumo interno: álcool de cereais), pois este tratamento retira a resina existente na parte externa das folhas, pois é o principal responsável pelas cólicas que ocorrem após o uso do sene. Não se deve usar as doses altas em crianças pelo grave risco de ação nefrotóxica (danificam os rins) provocada pela maior concentração de antraquinona.

Lorenzi: Por sua ação nefrotóxica em doses altas, não deve ser usado como “lambedor”, especialmente para crianças, pois nesta preparação, o teor de antraquinona, é aumentado pela concentração e pode causar severa crise de nefrite aguda que pode ser mortal. Não usar na gravidez e lactação, e evitar em crianças menores que 5 anos. Cólicas são frequentes. Não usar nas colopatias funcionais ou lesionais. Aumenta o fluxo menstrual. Pode causar nefrite intersticial em uso prolongado e/ou dose alta. (Dr. Ferro).

www.jornalexpress.com.br: A ingestão crônica dos folíolos pode produzir uma destruição dos plexos nervosos intramurais do cólon, causando o conhecido cólon catártico : um intestino grosso atônico e desprovido de alças, de aspecto tubular similar ao intestino decorrente de uma colite ulcerosa de larga duração. Freqüentemente acompanhada de melanose reto cólica. O abuso de laxantes pode também determinar problemas eletrolíticos, onde uma hipocalemia é muito perigosa aos cardiopatas. Só se deve utilizar o Sene durante breves períodos de tempo, pois a maior causa do aparecimento dos efeitos secundários decorre da automedicação e abuso feitos.
Botasis: evitar o uso por pessoas idosas ou debilitados.

Tratamentos Fitoterápicos Propostos

Tratamentos Propostos :
Abdalla; folhas, infuso, específico para tratamento de prisão-de-ventre.

Segundo Dirceu (dirceu@paz.org.br), uso de Jenipapo (Genipa americana), usa-se no máximo 5% (ver dados da planta e do seu uso em Plantas MEDICINAIS

.SEGUNDO WWW.PLANTAMED.COM.BR (Padre Dr. José Maria de Albulquerque –  Plantas tóxicas no jardim e no campo), as seguintes plantas são consideradas laxantes muito fortes (chamados de drásticos) e portanto usadas em situações muito particulares de prisão-de-ventre: >>batata-de-purga (Operculina altissima) (raiz); batatão-amarelo (Operculina pterodes); bonina ou maravilha (Mirabilis jalapa) raiz; borboleta (Hedychium coronarium); bucha (Luffa cylindrica), raiz; buchinha (Luffa operculata),
frutos extremamente drásticos; cravo-de-defunto (Tagetes patula), raiz; lacre (Vismia cayenensis) látex
avermelhado; purga-de-leite (Sebastiania macrocarpa).