Inflamação muscular; distensão muscular

Plantas Relacionadas na Literatura : Malva, .
Sintomas e Causas : Uma distensão é uma lesão dos músculos e possivelmente também dos tendões — feixes de fibras que ligam os músculos aos ossos. Não deve ser confundida com entorse, que implica estiramento ou ruptura dos ligamentos — faixas fibrosas que ligam os ossos e reforçam e estabilizam as articulações. Existem dois tipos básicos de distensão muscular: lesão aguda devido a pressão súbita e excessiva, em que as fibras musculares se rasgam, causando hemorragia, inchaço, dor e perda de força e de função, e lesão por fadiga, em que os músculos sofrem estiramento por serem submetidos a esforço crônico. Neste caso, os músculos ficam doridos, mas não sofrem ruptura e não há perda de força. As rupturas podem ocorrer quando os músculos são sujeitos a um esforço repentino e violento quando estão frios, fatigados ou fracos por falta de uso. Os ligamentos têm tendência para esse tipo de lesões. Por exemplo, poderá verificar-se ruptura do ligamento quando uma pessoa normalmente sedentária joga uma partida violenta de tênis. Em contraste, as lesões por fadiga resultam do facto de os músculos serem repetidamente submetidos a tensão durante um período prolongado, como é o esforço da jardinagem. Os músculos das costas e da virilha são vulgarmente afetados por este tipo de lesão, embora as pernas e ombros também sejam vulneráveis.
Diagnóstico e exames complementares Em geral, o médico consegue diagnosticar uma distensão muscular através do exame da região, mas pode pedir uma radiografia para excluir a hipótese de fractura ou de outra lesão óssea. Em casos mais complicados, poderá pedir uma ressonância magnética a fim de pôr de parte a hipótese de ruptura de ligamento. Um outro auxiliar de diagnóstico é o electromiograma (EMG), em que são inseridos nos músculos eléctrodos em forma de agulha para medir a atividade eléctrica muscular. Um problema muscular crônico também pode ser avaliado por um especialista de medicina desportiva ou por um fisiatra, médico especializado em reabilitação física.. A investigação sugere que estes medicamentos não devem ser tomados logo após a lesão; é preferível esperar pelo menos um dia para permitir que a inflamação contribua para libertar a área magoada das células lesionadas. Um relaxante muscular pode aliviar se houver espasmos. Uma injeção de cortisona na área lesionada também pode reduzir o edema e a inflamação. Poderá ser necessária uma intervenção cirúrgica se um tendão tiver sofrido ruptura ou arrancamento.
Medicinas alternativas Acupunctura Esta terapia pode reduzir as dores em caso de distensão muscular, mas é pouco provável que seja útil em caso de ruptura de músculo ou tendão.
Técnica de Alexander. Esta técnica é da maior utilidade como medida preventiva. O terapeuta estuda os movimentos do corpo do doente e corrige hábitos que possam ter contribuído para a lesão.
Quiroprática Os técnicos desta terapia tratam músculos distendidos do pescoço, costas e ombros manipulando e realinhando a coluna vertebral. Também podem usar diatermia para descontrair os músculos.
Massagens São usadas por atletas, bailarinos e outras pessoas cuja atividade implica uso excessivo e repetitivo dos músculos. Podem ser combinadas com tratamentos pelo calor ou hidroterapia.
Terapia de Rolf. Método de manipulação profunda e muitas vezes dolorosa para desfazer o excesso de tecido conjuntivo que interfere com o bom alinha-mento do corpo.
Meditação e ioga Estas e outras técnicas de relaxamento podem ajudar a aliviar a dor muscular devido a stress.
Tratamento em casa A área lesionada deve ficar imediatamente em repouso, aplicando-se sacos de gelo de meia em meia hora, durante 10 minutos, nas primeiras 24 horas. (Para obter um saco de gelo fácil de moldar sobre a região magoada, encha um saco de plástico com gelo moído, ervilhas ou milho congelados.) A compressão obtém-se envolvendo a parte lesionada com uma ligadura elástica. Dependendo do local da lesão, esta pode ser elevada por meio de uma funda, almofada ou outro suporte. Ao fim de 24 a 36 horas, pode usar um saco de água quente sobre a parte lesionada. (Não deve fazê-lo mais cedo porque o calor aumenta o fluxo sanguíneo para a área e pode provocar hemorragias e edema.) Nesta altura, já pode tomar um anti-inflamatório que contenha aspirina ou ibuprofeno. O paracetamol reduzirá a dor, mas não a inflamação. Cremes, linimento e outros agentes de fricção podem aliviar a dor produzindo uma sensação de calor e dormência. Contudo, estes preparados não são tão eficazes como os anti-inflamatórios no tratamento de uma distensão muscular. Outras causas de dor muscular Entorses, tendinites, fractura da tíbia, luxações, fracturas de fadiga e outras lesões desportivas ou profissionais também produzem dor e edema.

Tratamentos médicos O auto-tratamento é suficiente para a maior parte das distensões simples. Contudo, deve consultar-se um médico se não houver melhoras ao fim de três ou quatro dias ou logo que possível se houver edema acentuado e perda da função muscular. Em tais casos, pode ser receitado um anti-inflamatório não esteroide, como indometacina, para reduzir a inflamação e o edema e aliviar a dor
[www.bemestar.eu/distensaomuscular

Tratamentos Fitoterápicos Propostos

Tratamentos Propostos : Segundo Abdalla (dirceu@paz.org.br), tomar Depur com as plantas: malva, milirramas, tanchagem, velame; associado com Bardana, e aplicar no local Ungüento. Associar com o composto ANTIINFLAMATÓRIO, USO INTERNO COM AS SEGUINTES PLANTAS: ALHO, ARNICA-BRASILEIRA, BABOSA, BARDANA, COCO-DA-BAHIA, ERVA-DE-BICHO, ERVA-DE-SANTA-MARIA, IPE-ROXO, PINHEIRO, ROSA-BRANCA, TAIUIÁ, TANCHAGEM, TUIA.
Segundo Dr. Degmar ferro: usar: Bardana, folhas ou raízes, int. e ext., chá ou tintura; Salsaparrilha, raízes, ext. e int., decoto ou tintura; Ipê-roxo, entrecasca, tintura ou decocto, int e ext.; beladona, cataplasma ou pomada, Echinácea, raízes ou flores, int. e ext.; Taiuiá, tubérculos, int. e ext.; Velame, tintura, decocto, raízes, int. e ext.; Joá-bravo, fruto, uso tópico exclusivamente; Erva-mora, uso tópico. Aplicar argila no local, trocando a cada hora, cataplasma de arroz ou fubá.
Segundo Teles, em inflamações sub-superficiais, acompanhadas ou não com lesões do tecido (cortes abertos), a planta PINHÃO-MANSO TAMBÉM CONHECIDA COMO METHIOLATE, aplicada na forma de infuso de folhas e ramos finos, em cataplasma (infuso embebendo pano como fralda de criança aplicado no local e amarrado), 3-4 vezes ao dia, tem dado bons resultados tanto na assepsia dos cortes como na diminuição das inflamações que sempre acompanham este incidentes. Em lesões de pequeno tamanho, pode-se usar o látex que sai das folhas ou ramos verdes da planta quando lesados, aplicados puros no local. Teles também recomenda em casos de inflamações nas articulações dos joelhos, o uso interno da planta Boswelia serratat, na dose de 40-60 mg por dia, e, o composto ARTICULAÇÃO JOELHO INFLAMADO C, contendo as seguintes plantas: bardana, rizoma; babosa, folha com goma; cúrcuma (açafrão), rizoma; coco-da-bahia, folíolos; cavalinha-folha; centelha-asiática; echinácea; erva-de-santa-maria; folha; erva-de-bicho, folha; erva-lanceta(arnica brasileira), inflorescência; garra-do-diabo,; ipê-roxo, casca; pinus, folha, rosa-branca, pétalas; salsaparrilha.

Regime leve, cortando-se gorduras, frituras, carne vermelha, condimentos fortes, refrigerantes (mesmo diet), açúcar até a cura, tomar muito líquido.

Dieta e Cuidados Recomendados : Regime leve, cortando-se gorduras, frituras, carne vermelha, condimentos fortes, refrigerantes (mesmo diet), açúcar até a cura, tomar muito líquido.