Aumentar resistência ( contra a deficiência imunológica)

Plantas Relacionadas na Literatura : Equinácea , Folha-da-fortuna [e panta afim: saião] .
Sintomas e Causas :
Segundo Dr. Degmar, ainda é um sistema pouco conhecido apesar dos avanços na área. É composto de órgãos linfáticos (timo, baço, amígdalas, adenoides, linfonodos, vasos linfáticos), leucócitos (linfócitos, neutrófilos, basófilos, eosinófilos, etc.), macrófagos e mastócitos, fatores séricos especializados.
Fisiologia do sistema imunológico: a função primordial é proteger o organismo contra infecções e desenvolvimento de CÉLULAS CANCEROSAS. O timo tem funções importantes tais como: produção de linfócitos T (imunidade celular), produção de hormônios (timosina, timopoetina, fator tímico). O baço é a maior massa de tecido linfático do corpo e um grande reservatório de sangue em casos de choque circulatório; responsável pela destruição de hemácias e plaquetas desgastadas e deformadas, produz também linfócitos, além de engolfar e destruir bactérias e fragmentos celulares; produz peptídeos tipo tuftsina com capacidade de ampliar a função imune.
O fígado produz a maioria da linfa do corpo, além de sitiar as células de Kupffer, espécies de macrófagos diferenciados que destroem 1 bactéria em menos de 1 centésimo de segundo. Os neutrófilos são células fagocitárias predominantemente, importantes na prevenção de doenças.
Os eosinófilos e basófilos estão envolvidos nos processos alérgicos, pois secretam histamina e outros compostos. Os linfócitos B são responsáveis pela produção de anticorpos, responsáveis pela neutralização de múltiplos e variados antígenos.
Os linfócitos exercem inúmeras funções celulares (T-helper, T-supressor, T-citotóxicas, etc.). As células Killer (NK), são responsáveis por destruir células cancerosas ou infectadas por vírus.
Os monócitos são os lixeiros do corpo, responsáveis pela limpeza de fragmentos celulares. Os macrófagos são monócitos especializados e fixados em certos tecidos (fígado, baço, linfonodos, pulmão, etc.), responsáveis pela fagocitose de bactérias e fragmentos celulares nos tecidos. Os fatores químicos especiais são: interferon (produzidos pelas células T), interleucinas (produzidas pelos macrófagos), complementos (produzidos pelo fígado e pelo baço), responsáveis pela ativação de todo sistema imune.
Fatores depressores do sistema imunológico: estresse, estados depressivos, deficiência de sono, deficiência nutricional (vitamínica, vit C, piridoxina, betacaroteno, proteica; minerais: zinco, ferro); excesso de açúcar (reduz 50% da atividade dos neutrófilos), excesso alimentar (o jejum parcial aumenta em 50% a atividade fagocíticas), excesso de colesterol e triglicérides, uso e álcool, anemias, deficiência de água no organismo.
Dieta e Cuidados Recomendados :
Segundo Dr. Degmar, regularizar o sono, relaxamento e meditação, sorrir sempre que possível, ou criar situações para isto. Evitar excesso de todo tipo: gordura, açúcar, conservantes e corantes. Ingerir grande quantidade de líquidos ao dia.
Dieta leve, com baixas calorias e quase nenhuma gordura

Tratamentos Propostos :

Uso de sucos vegetais diários; Cogumelo do imperador (Ganoderma lucidum), pó ou extrato; Cogumelo-do-sol (Agaricus blazeii), decoção, dose de 10 a 20 gr/dia por 7 dias, e manutenção de 20 gr/semana. Usar própolis.

Usar as seguintes plantas: Equinácea (Echinacea angustifolia), raiz, inulina, echinacosídeos, pó, tintura, extrato, ativação dos linfócitos T, macrófagos, produção de interferon, ativadora do sistema de complementos; Botão-de-ouro (hidraste), (Hydrastes canadensis), berberina, hidrastina, canadina, aumenta a atividade do baço e dos macrófagos, melhora a drenagem linfática; Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra), raiz, decocto   Teles: in natura, doces e balas), aumenta a produção de inteferon aumentando a atividade antiviral, protege o sistema imune do estresse; Viscum, iscador, mordago (Viscum album), aumenta a atividade do timo; Ginseng coreano (Panax ginseng), raiz, planta de ação adaptógena, protegendo o sistema imune do estresse; Ginseng-siberiano (Eleutheroccocus senticosus), raiz, aumenta a atividade dos macrófagos; Eupatório (Eupatorium perfoliatum), aumenta a produção de interferon; Espécie de ervilha (Astragalus spp); Unha-de-gato (Uncaria tomentosa), Ipê-roxo (Tabebuia avellanedae), entrecasca, decocto; Fáfia (Pffafia spp), raiz, decocto; Côco-da-bahia (Cocos nucifera), fibra branca do fruto, tintura, uso empírico; Calêndula (Calendula officinalis), flor, infuso; Erva-botão (Eclipta alba), planta toda, tem wedelolactona, pó ou tintura; Zedoária (Curcuma zedoaria) e Açafroeira (Curcuma longa), raiz, decocto, pó; Alho (Allium sativum), bulbo, tintura, óleo ou in natura; Clorela (Chlorella pyrenoidosa), reconstituinte; Ligustrum lucidum (sem nome comum conhecido); Amorfa, baptísia (Baptisia australis), Eupatorium spp (sem nome comum conhecido); Fáfia (Pffafia paniculata (raiz, decocto.

– A Equinácea é uma das plantas medicinais mais populares, por exemplo nos Estados Unidos, sendo usada na prevenção e cura das constipações vulgares, gripes e outras infecções. O seu efeito positivo faz desta planta uma das mais estudadas e seguras de usar, não só no capítulo das imunoestimulantes, mas em toda a medicina.

O efeito mais importante relacionado com o extracto da Equinácea é a estimulação da fagocitose, fenômeno responsável pela detecção, englobamento e eliminação de organismos invasores do nosso corpo, efetuado pelos glóbulos brancos e pelos linfócitos em geral. em testes efetuados “in vitro”, os cientistas puderam observar ao microscópio um aumento da fagocitose na ordem dos 20 – 40% quando se utilizavam extractos de Equinácea.

Além disso, noutros testes que servem para medir a velocidade com que partículas estranhas são removidas da corrente sanguínea, também aqui, os resultados foram muito positivos, mostrando o poder estimulador da Equinácea no sistema imunitário. A Equinácea provoca um aumento no número das células imunitárias, aumentando o poder de resposta do nosso sistema imunitário a qualquer infecção ou fator tóxico, ao mesmo tempo que actua pelo aumento da produção do Interferon, assim como pela inibição de determinadas enzimas – hialuronidase, que facilita a entrada das bactérias no nosso organismo A erva é usada medicinalmente, internamente para doenças de pele, infecções por fungos, septicemia, gangrena, furúnculos, abscessos, feridas de difícil cura, infecções da área respiratórias superior e doenças venéreas. O excesso de consumo causa irritação de garganta.

Externamente para herpes, acne, psoriasis e danos causados por infecções. GRIPES E RESFRIADOS Milhões de pessoas ficam gripadas todos os anos. Nos EUA, a média é de 2,4 resfriados por pessoa, ou mais de 600 milhões de casos no total. Além dos tratamentos convencionais, existem atualmente alternativas naturais para o tratamento de gripe e resfriados. Sua ação sobre os mecanismos de defesa, já confirmada em diversos trabalhos científicos, tornam a equinácea a planta imunoestimulante mais estudada do mundo. Fortalece a habilidade do organismo em resistir a infecções tanto bacterianas quanto virais, além de intoxicações. A equinácea vem se destacando no mercado fitoterápico internacional como a melhor opção terapêutica de prevenção e tratamento de doenças causadas por baixa imunidade como é o caso de gripes e resfriados.

IMUNOESTIMULANTE Existem muitos fatores no nosso dia-a-dia que podem desequilibrar o nosso organismo e o sistema imunológico, como o estresse da vida moderna, poluição e abuso de medicamentos.

.

Segundo Dr. Degmar, regularizar o sono, relaxamento e meditação, sorrir sempre que possível, ou criar situações para isto. Evitar excesso de todo tipo: gordura, açúcar, conservantes e corantes. Ingerir grande quantidade de líquidos ao dia.

E a mais importante indicação da equinácea é a de atuar como imunoestimulante, aumentando a defesa do organismo em pacientes submetidos a quimioterapia, prevenindo infecções e doenças temporárias, como gripes, resfriados, abscessos, bronquite, dor de garganta, dentre outras. AÇÕES DA EQUINACEA: – Estimula a produção de leucócitos; – Atua como um antibiótico natural; – Acelera a reabilitação do organismo; – Efeito anti-inflamatório; – Combate viroses; – Combate a candidíase.
PRINCIPAIS USOS DA EQUINACEA: – No aumento das defesas do organismo; – Na profilaxia das gripes e resfriados; – Nas infecções do trato respiratório superior; – Na dor de dente e gengivite; – Nos abscessos, furúnculos e pústulas. Este produto não substitui a orientação médica, no caso de persistência dos sintomas, um médico deverá ser consultado.

Segundo Teles, uso interno de cápsulas ou extrato etanólico do composto: RESISTÊNCIA-EQUILÍBRIO, 3 vezes ao dia, com as seguintes plantas: Espinheira-santa, folhas; Alfavaca, folhas, flores; Fáfia, folhas, ramo verde, raiz; Capim-jaraguá, folha; Picão-preto, planta toda; Curcuma, rizoma, folha; Erva-botão, planta toda. Indica também, para uso diário, o composto Anti-oxidante, com as seguintes plantas: Aveloz, ramo vere, látex; Côco-da-bahia, fibras do fruto; Fava-dánta; Fáfia, folhas, ramo verde, raiz; Infalível, planta toda; Ipê-roxo, casca, folha; Cúrcuma zedoária, rizoma, folhas; Tuia, folhas, ramos verdes ; pelo menos 1 vez ao dia, como preventivo da existência dos radicais livres (pois os elimina); produzidos pelas reações oxidativas que hoje são tidas com prováveis formadoras iniciais de tecidos cancerosos no organismo