Fígado: estimula produção de bílis; icterícia ]]}}}

Plantas Relacionadas na Literatura : Pêra++, .
Sintomas e Causas : Segundo Dr. Degmar, o fígado é o mais importante órgão envolvido no metabolismo dos carbohidratos, proteinas e lipídeos, e na desintoxicação do organismo, além de função secretória (bile), e imunológica. As lesões provocados neste órgão pelo consumo excessivo de remédios halopáticos nos últimos anos, tem levado a muitas patologias crônicas deste órgão. O tratamento das disfunções hepáticas , sejam funcionais ou lesionais, envolvem plantas e substâncias que tem ação colerética e colagoga (para aumentar a produção de bile pelos hepatócitos, e sua eliminação pelo sistema biliar, respectivamente), e outras que tem ação hepatoprotetor(que atuam nos hepatócitos protegendo-os dos danos diversos-químicos, microbiológico, etc. Os sintomas mais comuns de disfunções hepato-biliares incluem: cefaléias, estados depressivos e irritabilidade, alterações do sono, comprometimento músculo-esquelético, alterações visuais diversas, alterações do paladar com gosto mais amargo da saliva, etc..Segundo: Alimentos Saudáveis & Alimentos Perigosos – Reader´s Digest, o fígado desempenha milhares de funções vitais , tanto químicas quanto metabólicas, dentre elas a formação de reservas de vitaminas solúveis em gordura, glicogênio, ferro e outros minerais para as necessidades futuras. Ele fabrica colesterol, aminoácidos e outros elementos essenciais, remove resíduos do sangue, desintoxica o álcool e outras substâncias químicas , além de metabolizar a maior parte dos medicamentos. Ao contrário de outros órgãos, mesmo depois de sofre grandes lesões o fígado pode se regenerar. Entretanto se o fígado ficar seriamente comprometido, ou for submetido a excessos, pode falhar, quase sempre com conseqüências fatais. As doenças mais comuns são: diferentes tipos de hepatite, cirrose, e câncer. O sintoma mais facilmente detectável de doenças do fígado é a icterícia, o amarelecimento da pele e do branco dos olhos causado pelo desenvolvimento de pigmentos da bílis (bilirrubina) na pele. Pessoas que sofrem de distúrbios do fígado são, em geral, portadores de deficiências das vitaminas solúveis em água, como folato, niacina, tiamina, bem como as vitaminas A e D, solúveis em gordura.
Tratamentos Propostos : Para fígado: segundo Dirceu (www.dirceu@paz.org.br). tomar fórmula Fígado (composto), ou as plantas: alcachofra, bardana, jurubeba, carqueja, milirramas, boldo, rubim-roxo, picão-preto.Indicação especial: Alcachofra, folhas médias, infuso, decocto, cps com pó, uso interno. No caso de preparados na forma aquosa usar: até 2 anos: 1 gota/kg; de 3 anos à 7 anos: uma colher de café; de 7 até 12 anos: uma colher de chá; mais de 12 anos : uma colher de sobremesa. Em todas as idades, usar 3 vezes ao dia. No caso de usar na forma de cápsulas contendo pó seco e moído da mistura de plantas indicadas ou de uma planta, tomar 1 cápsula, 3 vezes ao dia, 15 minutos antes das refeições, “em estado de fome”, [prática que pode ser usada nas formulações aquosas] ou quando se fizer necessário.
Dieta e Cuidados Recomendados : Segundo Abdalla: alimentação leve, supressão total de proteina animal, muito uso de suco de limão-cravo. Recomendável uso de cataplasma de argila ( ver receita própria ) no local do abdômen acima do fígado. Fazer repouso. Usar: Hortelã (várias espécies)(muito eficiente), Bardana (Arctium lappa), Quebra-pedra (Pilantus niruiri). Segundo Dr. Degmar: Celidônea (Chellidonium major), planta toda, tintura, chá; Berberis (Berberis vulgaris), D1 para uso interno; Folha-de-bugre (Cordia ecaliculata), planta toda, só infuso; Urtiga (várias)(Urtica spp), folhas secas, infuso, tintura; Bardana (Arctium lappa), folha, raiz (mais forte), tintura, infuso; Dente-de-leão (Taraxacum officinalis), folhas, infuso, pó: 4-8 g/dia, extrato seco 400mg 3 vezes ao dia; Alcachofra (Cynara scolimus), folhas (cinarina), cps do pó, extrato seco 400 mg, 3 vezes ao dia; Boldo-do-chile (Peumus boldus), folhas, tintura, infuso, extrato seco 50 a 70 mg, 3 vezes ao dia; Gervão-roxo (Stachytarpheta cayanensis), raiz, decocto, tintura; Cardo-mariano (Sylibum marianum), (silimarina), 10 mg, 3 vezes ao dia; Açafroeira (Curcuma longa), rizoma , (curcumina), 300 mg , 3 vezes ao dia. Dieta com mínimo de gordura animal e máximo de fibras, pois isto diminui a concentração de ácido desoxicólico na bile, e consequentemente aumenta a solubilidade do colesterol, provocando menor precipitação (cálculos). Tomar muito líquido para fluidificar o líquido biliar. As proteinas animais (ex: caseína do leite e derivados), aumentam a formação de calculose biliar em experimentos com animais. Quanto mais vegetariana é a dieta, menor a chance de cálculos biliares. Os alimentos que podem induzir crises biliares, são por ordem decrescentes de importância: ovo, carne de porco, cebola, aves, leite, café, frutos cítricos, milho, feijões de vários tipos, nozes, amêndoas. O mecanismo provável é de fundo alérgico, com ademaciação dos ductos biliares diminuindo a drenagem fisiológica da bile. Fazer uso de licetina de soja (1-2 g/dia), fosfatidilcolina (500 mg/dia), colina (1 g/dia). Segundo: Alimentos Saudáveis & Alimentos Perigosos – Reader´s Digest, pode ser proveniente da deficiência de: vitamina K. Consumir bastante: peixes, verduras, feijões, óleos vegetais para obter ácidos graxos õmega-3; frutas, verduras e legumes frescos para obter vitaminas e sais minerais; pequenas refeições e petiscos em vez de grandes refeições; proteínas de origem vegetal, como por exemplo uma combinação de leguminosas e grãos (mantendo a baixa ingestão total de proteínas: 60 gramas por dia para adulto de estatura média). Reduzir o consumo de proteínas de origem animal. Evitar o álcool de diversas formas; gorduras saturadas. Os ácidos graxos ômega-3 parecem facilitar o processamento de gorduras no fígado, sendo uma dieta rica nestes nutrientes, reduz a taxa de triglicerídeos fabricados peleo fígado, o que é benéfico para pessoas com problemas de coração e circulação. Esses ácidos graxos são encontrados no salmão e em outros peixes gordurosos, nas leguminosas, no gérmen de trigo e no óleo de canola. Os distúrbios no fígado podem causar porosidade nos ossos (osteoporose) caso as reservas de vitamina D, que ajuda a metabolizar o cálcio, estejam exauridas (estes casos exigem suplementação desta vitamina. NA: ver este componente no ítem Suplementos nutricionais na Home). Segundo Alfonsas Balbachas -1959 – As Plantas Curam: abútua, acariçoba, agrião, alcaçuz, alfazema, angélica, aperta-ruão, artemísia, baldrana, beldroega, borragem, bucha, carqueja, caruru, centáurea-menor, coerana, dente-de-leão, erva-tostão, fedegoso, flor-de-coral, fumária, jurubeba, losna, milirramas, mulungu, pariparoba, pita, quássia, sensitiva. Usar banhos quentes de assento e de tronco.Dieta recomendada [dirceu@paz.org.com] durante o tratamento: cortar margarinas, manteigas, carne vermelha, frituras gerais, refrigerantes (mesmo diet e tipo cola), todo tipo de gordura mesmo chocolates, usar leite desnatado com aveia fina (Oat brean), 2 vezes ao dia

Segundo Abdalla: alimentação leve, supressão total de proteina animal, muito uso de suco de limão-cravo. Recomendável uso de cataplasma de argila ( ver receita própria ) no local do abdômen acima do fígado. Fazer repouso. Usar: Hortelã (várias espécies)(muito eficiente), Bardana (Arctium lappa), Quebra-pedra (Pilantus niruiri). Segundo Dr. Degmar: Celidônea (Chellidonium major), planta toda, tintura, chá; Berberis (Berberis vulgaris), D1 para uso interno; Folha-de-bugre (Cordia ecaliculata), planta toda, só infuso; Urtiga (várias)(Urtica spp), folhas secas, infuso, tintura; Bardana (Arctium lappa), folha, raiz (mais forte), tintura, infuso; Dente-de-leão (Taraxacum officinalis), folhas, infuso, pó: 4-8 g/dia, extrato seco 400mg 3 vezes ao dia; Alcachofra (Cynara scolimus), folhas (cinarina), cps do pó, extrato seco 400 mg, 3 vezes ao dia; Boldo-do-chile (Peumus boldus), folhas, tintura, infuso, extrato seco 50 a 70 mg, 3 vezes ao dia; Gervão-roxo (Stachytarpheta cayanensis), raiz, decocto, tintura; Cardo-mariano (Sylibum marianum), (silimarina), 10 mg, 3 vezes ao dia; Açafroeira (Curcuma longa), rizoma , (curcumina), 300 mg , 3 vezes ao dia. Dieta com mínimo de gordura animal e máximo de fibras, pois isto diminui a concentração de ácido desoxicólico na bile, e consequentemente aumenta a solubilidade do colesterol, provocando menor precipitação (cálculos). Tomar muito líquido para fluidificar o líquido biliar. As proteinas animais (ex: caseína do leite e derivados), aumentam a formação de calculose biliar em experimentos com animais. Quanto mais vegetariana é a dieta, menor a chance de cálculos biliares. Os alimentos que podem induzir crises biliares, são por ordem decrescentes de importância: ovo, carne de porco, cebola, aves, leite, café, frutos cítricos, milho, feijões de vários tipos, nozes, amêndoas. O mecanismo provável é de fundo alérgico, com ademaciação dos ductos biliares diminuindo a drenagem fisiológica da bile. Fazer uso de licetina de soja (1-2 g/dia), fosfatidilcolina (500 mg/dia), colina (1 g/dia). Segundo: Alimentos Saudáveis & Alimentos Perigosos - Reader´s Digest, pode ser proveniente da deficiência de: vitamina K. Consumir bastante: peixes, verduras, feijões, óleos vegetais para obter ácidos graxos õmega-3; frutas, verduras e legumes frescos para obter vitaminas e sais minerais; pequenas refeições e petiscos em vez de grandes refeições; proteínas de origem vegetal, como por exemplo uma combinação de leguminosas e grãos (mantendo a baixa ingestão total de proteínas: 60 gramas por dia para adulto de estatura média). Reduzir o consumo de proteínas de origem animal. Evitar o álcool de diversas formas; gorduras saturadas. Os ácidos graxos ômega-3 parecem facilitar o processamento de gorduras no fígado, sendo uma dieta rica nestes nutrientes, reduz a taxa de triglicerídeos fabricados peleo fígado, o que é benéfico para pessoas com problemas de coração e circulação. Esses ácidos graxos são encontrados no salmão e em outros peixes gordurosos, nas leguminosas, no gérmen de trigo e no óleo de canola. Os distúrbios no fígado podem causar porosidade nos ossos (osteoporose) caso as reservas de vitamina D, que ajuda a metabolizar o cálcio, estejam exauridas (estes casos exigem suplementação desta vitamina. NA: ver este componente no ítem Suplementos nutricionais na Home). Segundo Alfonsas Balbachas -1959 - As Plantas Curam: abútua, acariçoba, agrião, alcaçuz, alvazema, angélica, aperta-ruão, artemísia, baldrana, beldroega, borragem, bucha, carqueja, caruru, centáurea-menor, coerana, dente-de-leão, erva-tostão, fedegoso, flor-de-coral, fumária, jurubeba, losna, milirramas, mulungu, pariparoba, pita, quássia, sensitiva. Usar banhos quentes de assento e de tronco.