Dores lombares associados a cistite, lombalgia; coluna; sistema urinário; ]]}}

Plantas Relacionadas na Literatura : Jatobá +, Mentrasto ++, .
Sintomas e Causas : Dores nas regiões dos rins, são provavelmente pela existência de “pedras ” localizadas nos rins ou em outra partes do sistema urinário (por deslocamentos naturais ou estimulados das mesmas). Interrompendo o fluxo normal da urina em direção ao ureter, provocam um rápido intumessimento dos rins acompanhado de intensas dores na regiões dos rins, assim como irradiações no abdomem e em outras partes do corpo. Dificuldades de urinar e de obrar, ânsia de vômito, dores cosntantes e muito fortes, estado de permanente insatisfação em cada posição, acompanham o caso. Segundo Dr. Degmar: provavelmente, envolve distúrbios do metabolismo extra e intra renal de minerais, eletrólitos e metabólitos secundários, culminando com a formação de cálculos em diversa localizações e de várias constituições. 5 a 8% da população tem este problema, sendo que os homens são os mais afetados. As substâncias que estão mais envolvidas são: oxalato de cálcio, uratos, fósforo, cálcio, cobre, sódio. Situações que predispõem: hiperparatireodismo, osteopatias, síndrome de Cusing, sarcoidose, hipervitaminose D, imobilidade prolongada, consumo excessivo de sais de alumínio, excesso de vitamina C e deficiência de vitamina B6 (aumentando a secreção de oxalatos), deformidades renais ou cistos. Fatores que predispõem: baixa ingestão diária de líquidos, baixo índice de citratos urinários (pois os citratos reduzem a saturação urinária de cálcio -30-60% dos casos), acidez urinária aumentada, obesidade, excesso de ingestão de açúcar e sal, excesso de cádmio no organismo. Prevenção: fazer exames de pH urinário, citratotúria de 24 horas, calciúria, fosfatúria, urina rotina, uratos na urina e uricemia. Ver cálculo renal. Segundo Dr. Edmar: a cefaléia normalmente tem como origem alguma doença de base que deve ser pesquisada por médicos. Tem como causa normalmente: contratura da musculatura da cabeça e pescoço, problemas oftalmológicos (miopia, estigmatismo, etc.), sinusite, problemas mandibulares, com disfunção da ATM, epilepsia-com irritação cerebral-, neuralgias (trigeminal, occipital, facial), hipoglicemia, alergias alimentares, neurocisticercose, fatores genéticos. Causas prováveis de cefaléias agudas: acidente vascular cerebral (hemorragia ou isquemia), crises de labirinto (labirintoses, labirintites, síndrome de Miniere), infecções agudas (dengue, gripes, meningite, etc.), traumatismos agudos ou antigos. Cefaléias vasculares tem como sintomas: dores latejantes ou em peso, em locais diferentes, com ou sem náuseas ou vômitos, piorando ou não pelo barulho ou pela luz, com duração variável de horas ou dias, geralmente recidivantes. Nas cefaléias tensionais observamos: dores na nuca até a fronte, sem lateralidade marcante, em forma de peso ou opressão principalmente. Fatores que podem preciptar a cefaléia: álcool (vinho especialmente), medicamentos (anticoncepcionais, nitratos), corte no uso do café e xantinas, alterações hormonais (menstruação), alterações emocionais (raiva, decepção, estresse), alteração no ritmo do sono, alimentos (alérgenos, queijo, carnes curadas, chocolate, etc.)alterações climáticas, exposição exagerada ao sol, mudança de pressão barométrica, fumo.
Tratamentos Propostos : Segundo Dr. Degmar Ferro: as plantas que melhoram a circulação das articulações (aquecendo-as), são: Gengibre (Zigiber officinalis), rizomas, uso local, cataplasma, uso int. como decocto ou extratos; Pimenta (várias) (Capsicum spp), uso local como cataplasma. Plantas de ação diurética nos casos de artrite: Dente-de-leão (Taraxacum officinalis); Aipo (Apium graveolens), suco, chá; Bétula-várias- (Betula spp); Abacateiro (Persea gratissima); folhas, infuso; Chapéu-de-couro (Echinodorus macrophillus), folhas, infuso, tintura, extratos, pó; Cavalinha (Equicetum arvense), planta toda, decocto, pó (como é muito rica em silício, ajuda nas estruturas de sustentação; Centelha-asiática (Centelha..), planta toda, pó. Estas plantas ajudam eliminar radicais ácidos do sangue o que iria favorecer a fisiologia das articulações. Ver tratamento de cálculos renais para tratamento específico. Segundo Alfonsas Balbachas -1959 – As Plantas Curam: dores em geral: Altéia; angélica; bardana; bolsa-de-pastor; erva-cidreira; quito; timbó; timbó-de-raiz. Ver Banhos quentes de assento, e compressas quentes

Plantas Relacionadas na Literatura : Alface, Carrapicho-rastei.carrapicho-carneiro]+, Chorão+, Cipó-prata+, Cravo-de-defunto +, Vassourinha-de-botão, .
Sintomas e Causas : Segundo Dr. Degmar o uso de fitoterapia pode ser muito útil nos casos de cistites sem complicações (e principalmente útil nos casos recorrentes), devendo ser evitada nos casos de pielonefrite (infecções altas). O médico especializado deve estar sempre acompanhando para evitar as complicações sépticas ou sobre o parênquima renal. É o acometimento infeccioso das vias urinárias, apresentando: disúria, peso na bexiga, polaciúria, alterações da cor, odor e aspecto da urina, a febre pode aparecer quando a infecção atinge as vias superiores do sistema urinário, podendo aparecer dores lombares, e queda do estado geral.
Tratamentos Propostos : Segundo Dirceu,nas dores da coluna, tomar composto Dirceu: Reumol, associado com composto Dirceu: Anti-inflamatório. Segundo Dr. Degmar usar: Uva-ursi (Arctosstaphylos uva-ursi), folhas, infuso, necessita de pH urinário básico para poder atuar como anti-séptico urinário; Douradinha-do-cerrado, (Palicourea rigida), folhas, infuso; Algodãolzinho-do-cerrado ou do campo (Cochlospermum regium), raiz, decocto; Cana-do-brejo, (Costus cuspidatus), planta toda, decocto; Cavalinha (Equicetum arvense), planta toda, decocto; Jatobá (Hymenoea courbaril), entrecasca, tintura; Tanchagem (Plantago major), folhas, suco; Copaiba (Copaifera langsdorfii), óleo em cápsulas; Própulis, tintura; Ipê-roxo (Tabebuia avellanedae), entrecasca, tintura, decocto; Pintangueira (Eugenia uniflora), folha, infuso; Salsa (Petroselinum sativum), planta toda, com raiz, suco; Vara-de-ouro (Solidago virgaurea), planta específica para drenagem renal e hepática; Junipero, enebro, (Juniperus communis). Tomar muita água, evitar frutas ácidas ou pimentas, molhos forte, cancelar o uso decrefrigerantes de coca. Tomar suco de Birtilo (gram berry) que além de antioxidante, impede a proliferação da Echerichia coli nas paredes da bexiga. Segundo Dr. Degmar: usar para dores na coluna (lombalgia): Arnica européia (Arnica montana), flor, D1 para uso interno, Bardana (Arctium lappa), planta toda, mas as partes mais fortes são as raízes, decocto; Salsaparrilha (Smilax aspera), raízes, decocto; Erva-de-são-joão (Hypericum perfuratum), planta toda, D1 (farmacotécnica homeopática); Guaçatonga -erva-lagarto, (Casearia silvestris), folhas, raízes, entrecasca, infuso, tintura, decocto, pó; Sucupira (Bowdichia spp), semente, entrecasca; Cavalinha (Equicetum arvense), folhas sem órgão reprodutor, pó, tintura, decocto; Beladona (Atropa belladona), folha, D1 com técnica farmacológica homeopática; Garra-do-diabo (Uncaria tormentosa), extrato seco. Segundo Alfonsas Balbachas -1959 – As Plantas Curam: dores em geral: Altéia; angélica; bardana; bolsa-de-pastor; erva-cidreira; quito; timbó; timbó-de-raiz. Ver Banhos quentes de assento, e compressas quentes. Teles: estamos testando recentemente uma arvoreta do meio-oeste brasileiro chamada: Maria-pobre, mamona-pobre, maria-mole, puta-pobre, pau-pobre (Dilodendron bipinnatum). Agradecemos muitíssimo qualquer informação sobre os usos e efeitos desta planta