Calculose geral [Litíase], hematúria, piúria. cálculos biliares ]]}}

Plantas Relacionadas na Literatura : Conta-de-lágrimas +, Groselha vermelha ++ >>>, Milho ++ SF, Rábano, .
Sintomas e Causas : Segundo Dr. Degmar, os cálculos biliares surgem quando os componentes solúveis da bile se supersaturam e precipitam na vesícula na forma de concreções (cálculos). Ver maiores detalhes em Cálculo Biliar neste site [DOENÇAS]. Os cálculos renais, são a existência de “pedras” localizadas nos rins ou em outra partes do sistema urinário (por deslocamentos naturais ou estimulados das mesmas). Interrompendo o fluxo normal da urina em direção ao ureter, provocam um rápido intumessimento dos rins acompanhado de intensas dores na regiões dos rins, assim como irradiações no abdomem e em outras partes do corpo. Dificuldades de urinar e de obrar, ânsia de vômito, dores cosntantes e muito fortes, estado de permanente insatisfação em cada posição, acompanham o caso. Segundo Dr. Degmar: provavelmente, envolve distúrbios do metabolismo extra e intra renal de minerais, eletrólitos e metabólitos secundários, culminando com a formação de cálculos em diversa localizações e de várias constituições. 5 a 8% da população tem este problema, sendo que os homens são os mais afetados. As substâncias que estão mais envolvidas são: oxalato de cálcio, uratos, fósforo, cálcio, cobre, sódio. Situações que predispõem: hiperparatireodismo, osteopatias, síndrome de Cusing, sarcoidose, hipervitaminose D, imobilidade prolongada, consumo excessivo de sais de alumínio, excesso de vitamina C e deficiência de vitamina B6 (aumentando a secreção de oxalatos), deformidades renais ou cistos. Fatores que predispõem: baixa ingestão diária de líquidos, baixo índice de citratos urinários (pois os citratos reduzem a saturação urinária de cálcio -30-60% dos casos), acidez urinária aumentada, obesidade, excesso de ingestão de açúcar e sal, excesso de cádmio no organismo. Prevenção: fazer exames de pH urinário, citratotúria de 24 horas, calciúria, fosfatúria, urina rotina, uratos na urina e uricemia.
Tratamentos Propostos : Segundo Dirceu, uso interno: Açafrão, rizoma, decocto; uso interno, planta toda, decocto, tintura, cps do pó, 3 vezes ao dia, Carqueja-hortense (Baccharis genistelloides), [ver dados da planta]. Planta que funciona como vaso dilatador das vias urinárias: Quebra-pedra (Pillantus niruri; Pillocarpus macrophylum), e atua nos cálculos renais juntamente com Esporão-da-cultura.No caso de preparados na forma aquosa usar: até 2 anos: 1 gota/kg; de 3 anos à 7 anos: uma colher de café; de 7 até 12 anos: uma colher de chá; mais de 12 anos: uma colher de sobremesa. Em todas as idades, usar 3 vezes ao dia. No caso de usar na forma de cápsulas contendo pó seco e moído da mistura de plantas indicadas ou de uma planta, tomar 1 cápsula, 3 vezes ao dia, 15 minutos antes das refeições, “em estado de fome”, ou quando se fizer necessário. Literatura: Usar as plantas: Quebra-pedra, planta toda, Folha-da-fortuna (Bryophyllum pinnatum ou caycinum), folha, Milho-“cabelos da espiga”, cabelos, infusão; Cana-do-brejo (Costus cuspidatus), planta toda, evitar uso prolongado pelo aporte de oxalatos; Salsaparrilha (Smilax aspera), raiz; Abútua (Chondodendron platyphillium) tubérculo, tintura ou decocto; Abacateiro, folha, infuso; Chá-de-bugre (Cordia ecaliculata), folhas; Dente-de-leão, planta toda; Bardana, raiz; tomateiro, folhas, suco ou chá; Abóbora, sementes ou polpa; Urtiga (Urtica dioica), folhas secas, infuso; Cavalinha (Equisetum arvense), planta toda, decocto, tintura; Aspargo (Asparagus officinalis), raiz; Erva-tostão (Boerhavia difusa) planta toda. Segundo Abdalla: plantas eficientes: Esporão, Quebra-pedra, Bardana, Assapeixe, Chapéu-de-couro, Hortelã. Recomendável uso de cataplasma de argila ( ver receita própria ) no local do abdômen acima do fígado. Fazer repouso. Usar: Hortelã (várias espécies)(muito eficiente), Bardana (Arctium lappa), Quebra-pedra (Pilantus niruri). Segundo Dr. Degmar: Celidônea (Chellidonium major), planta toda, tintura, chá; Berberis (Berberis vulgaris), D1 para uso interno; Folha-de-bugre (Cordia ecaliculata), planta toda, só infuso; Urtiga (várias)(Urtica spp), folhas secas, infuso, tintura; Bardana (Arctium lappa), folha, raiz (mais forte), tintura, infuso; Dente-de-leão (Taraxacum officinalis), folhas, infuso, pó: 4-8 g/dia, extrato seco 400 mg 3 vezes ao dia; Alcachofra (Cynara scolimus), folhas (cinarina), cps do pó, extrato seco 400 mg, 3 vezes ao dia; Boldo-do-chile (Peumus boldus), folhas, tintura, infuso, extrato seco 50 a 70 mg, 3 vezes ao dia; Gervão-roxo (Stachytarpheta cayanensis), raiz, decocto, tintura; Cardo-mariano (Sylibum marianum), (silimarina), 10 mg, 3 vezes ao dia; Açafroeira (Curcuma longa), rizoma , (curcumina), 300 mg , 3 vezes ao dia. Segundo Alfonsas Balbachas -1959 – As Plantas Curam: cálculos biliares: bardana; carqueja; hortelã; limão; quebra-pedra; tamarindo; verônica. Cálculos da bexiga: bardana; limão; quebra-pedra, verõnica. Cálculos renis: Abútua; bardana, limão; urtiga-vermelha; verônica.Dr Degmar indica: A planta Andrographis paniculata, reduz comprovadamente a hematúria e piúria em casos de calculose renal complicados. ———————————————— Nome Comum para Andrographis paniculata Nomes não faltam para o herbáceo, planta com flor Andrographis paniculata , que prospera em áreas tropicais e subtropicais de todo o mundo . Como está implícito por um dos nomes comuns das plantas , Rei de bitters , esta planta medicinal tem um sabor fortemente acentuada . Andrographis tem uma longa história de uso na Índia e na Ásia, mas é uma adição relativamente recente para o armário da medicina ocidental . Esteja ciente, no entanto, que as mulheres grávidas e lactantes devem evitá-lo. Chuan Xin Lian Chuan Xin lian é o nome chinês mais comum para Andrographis paniculata . É também o nome frequentemente usado nas embalagens de comprimidos Andrographis , que é uma forma em que a planta é vendido como um remédio para as doenças tais como amigdalite , constipações e infecções do aparelho respiratório e do tracto urinário . A planta cresce selvagem em matagais em todo o Sul da Ásia e é nativo da Índia. Kalmegh Kalmegh é um dos muitos nomes da planta é conhecida por , na Índia, onde ele é usado em Siddha e Ayurveda sistemas da medicina. Os índios têm, tradicionalmente considerada uma proteção contra problemas do cérebro, coração, fígado e intestinos . Muitas patentes de medicamentos à base de plantas indígenas conter Andrographis paniculata . No site Botanical.com , agricultura cientista Pankaj Oudhia observa que uma decocção de toda a erva pode ser utilizado para tratar a malária . Segundo o site Ervas são especiais , Índia credita Andrographis paniculata em ajudar sua nação minimizar as mortes durante a pandemia de gripe global do início do século 20 . Rei do bitters Mahatita , o que significa Rei de bitters , é outro nome indiano comum para Andrographis paniculata . Falantes de inglês se referem a ele várias vezes como Rei de bitters , chirayta Verde, equinácea indiano ou o Creat . Ervas são notas especiais que Andrographis paniculata tem sido popular na Europa e os EUA desde o início da década de 1990. Ele afirma que ” vários ensaios clínicos duplo-cegos mostraram que ele pode reduzir a gravidade dos sintomas ” em constipações e infecções respiratórias. A partir de:http://jardim.98905.com/plants-flowers-herbs/herb-basics/1009108631.html
Dieta e Cuidados Recomendados : Segundo Abdalla: alimentação leve, supressão total de proteina animal, muito uso de suco de limão-cravo. Segundo Degmar: diminuir drasticamente o uso de proteinas animal e vegetal . Restringir alimentos que contenham teores altos de oxalato de cálcio, tais como tomate e feijão. Reduzir o máximo o sal. Tomar 2 a 3 litros de líquido por dia. Evitar dietas com predominância ácida, e incrementar o uso de alimentos alcalinos tais como mamão, lima, melancia (fruta ou em sucos em grande quantidade), diminuir o consumo de purinas (carne, peixes, aves, leveduras), aumentar consumo de alimentos ricos em magnésio (cevada, farelo de trigo, milho, centeio, soja, aveia, arroz integral, abacate, banana, batata. Reduzir consumo de alimentos ricos em oxalatos (chá preto, espinafre, folhas de beterraba, cacau, rui barbo). Limitar uso de leite e derivados. Os alimentos que podem induzir crises biliares, são por ordem decrescentes de importância: ovo, carne de porco, cebola, aves, leite, café, frutos cítricos, milho, feijões de vários tipos, nozes, amêndoas. O mecanismo provável é de fundo alérgico, com ademaciação dos ductos biliares diminuindo a drenagem fisiológica da bile. Fazer uso de licetina de soja (1-2 g/dia), fosfatidilcolina (500 mg/dia), colina (1 g/dia). Dieta com mínimo de gordura animal e máximo de fibras, pois isto diminui a concentração de ácido desoxicólico na bile, e consequentemente aumenta a solubilidade do colesterol, provocando menor precipitação (cálculos). Tomar muito líquido para fluidificar o líquido biliar. As proteinas animais (ex: caseína do leite e derivados), aumentam a formação de calculose biliar em experimentos com animais. Quanto mais vegetariana é a dieta, menor a chance de cálculos biliares

Segundo Abdalla: alimentação leve, supressão total de proteina animal, muito uso de suco de limão-cravo. Segundo Degmar: diminuir drasticamente o uso de proteinas animal e vegetal . Restringir alimentos que contenham teores altos de oxalato de cálcio, tais como tomate e feijão. Reduzir o máximo o sal. Tomar 2 a 3 litros de líquido por dia. Evitar dietas com predominância ácida, e incrementar o uso de alimentos alcalinos tais como mamão, lima, melancia (fruta ou em sucos em grande quantidade), diminuir o consumo de purinas (carne, peixes, aves, leveduras), aumentar consumo de alimentos ricos em magnésio (cevada, farelo de trigo, milho, centeio, soja, aveia, arroz integral, abacate, banana, batata. Reduzir consumo de alimentos ricos em oxalatos (chá preto, espinafre, folhas de beterraba, cacau, rui barbo). Limitar uso de leite e derivados. Os alimentos que podem induzir crises biliares, são por ordem decrescentes de importância: ovo, carne de porco, cebola, aves, leite, café, frutos cítricos, milho, feijões de vários tipos, nozes, amêndoas. O mecanismo provável é de fundo alérgico, com ademaciação dos ductos biliares diminuindo a drenagem fisiológica da bile. Fazer uso de licetina de soja (1-2 g/dia), fosfatidilcolina (500 mg/dia), colina (1 g/dia). Dieta com mínimo de gordura animal e máximo de fibras, pois isto diminui a concentração de ácido desoxicólico na bile, e consequentemente aumenta a solubilidade do colesterol, provocando menor precipitação (cálculos). Tomar muito líquido para fluidificar o líquido biliar. As proteinas animais (ex: caseína do leite e derivados), aumentam a formação de calculose biliar em experimentos com animais. Quanto mais vegetariana é a dieta, menor a chance de cálculos biliares.