AIDS: anti-HIV-Rtase – uso de lignina –

Plantas Relacionadas na Literatura : Eucalipto , Iboga, Pau-pereira [pereirinha] , .
Sintomas e Causas : Teles: Doença provocada pelo vírus HIV, quebrando toda as resistências naturais do organismo, permitindo a ocorrência de doenças as mais diversas, levando o doente à morte se não tratado convenientemente. Atualmente, existem substâncias que quando associadas na forma de “coquetel”, tem dados bons resultados nesta patologia , que quando tratada por este método pode ser considerada na maioria dos casos, “uma doença crônica” e não mais letal. Os tratamentos fitoterápicos indicados, tem como objetivo, diminuir ou eliminar, os efeitos secundários da doença, que provocam no seu conjunto, uma má qualidade de vida para o paciente, mas não tem a pretensão de cura-la, sendo portanto seu uso, como coadjuvante nesta patologia.
Recomenda-se aos portadores ou suspeitos de ter o vírus HIV, de procurarem imediatamente os órgãos governamentais competentes, ou mesmo as organizações não governamentais (ONG) que prestam um maravilhoso serviço nesta área. (GASA: Grupo de Apoio e Solidariedade aos Aidéticos em Catanduva, ESP).

Tratamentos Fitoterápicos Propostos

Segundo Dirceu (dirceu@paz.org.br),uso interno de Capim-jaraguá (boa ação esperada na ativação do organismo), e ingerir Multifarelado (ver receita na seção Receitas) com a alimentação sólida. Este tratamento deve ser considerado coadjuvante, pois a “cura” desta patologia deve ser buscada pelo

uso do “coquetel” fornecido pelos órgãos governamentais da saúde pública que cuidam do assunto, que a transformam cada vez mais em uma “doença crônica e não mais letal”. Ainda segundo Dirceu , tomar a fórmula Francisco de Assis (composto) contendo as plantas: Babaçu, côco-da-Bahia, tuia, rosa-branca, espinheira-santa, bardana, capim-jaraguá, cavalinha. Doses: nas formulações

aquosas: de 3 a 6 anos, 1 colher de café, de 7 a 12 anos, 1 colher de chá, adultos: uma colher de sobremesa. Em todas as idades, usar 3 vezes ao dia. Na forma de pó seco da planta encapsulado: tomar 1 cápsula, 3 vezes ao dia, 10/15 minutos antes das refeições, “em estado de fome ” (prática também útil nas soluções aquosas), ou quando se fizer necessário. Ver características individuais de cada planta indicada.

Teles recomenda o uso interno do composto: Resistência/Equilíbrio C com as plantas: Espinheira-santa, alfavaca, fáfia glomerata, capim-jaraguá, picão-preto, cúrcuma, erva-botão.

Artigo recente expoe a validade de uma alimentação rica em lignina que é uma família de compostos orgânicos fartamente encontrados nos vegetais. Nota: procurar no setor Alimentos Funcionais neste site, usando palavra-chave: lignina. Lignans in treatment of cancer and other diseases Kuo-Hsiung Lee1 and Zhiyan Xiao1: Natural Products Laboratory, School of Pharmacy, University of North Carolina at Chapel Hill, Chapel Hill, North Carolina, 27599, U.S.A Abstract: Lignans are widely distributed in nature and display an impressive range of biological activities. The extensive pharmaceutical use of lignans is linked to their antitumor, antiviral, hepatoprotective, and platelet activating factor (PAF) antagonistic activities, among many others. This review article highlights selected pharmacologically active lignans, outlines their therapeutic relevance to the treatment of cancer and other diseases, and accentuates research on plant-derived lignans, particularly preclinical lead identification and optimization studies performed in the authors Natural Products Laboratory (NPL). Antitumor and anti-HIV lignans have been discovered and developed in the NPL by using bioactivity-directed fractionation and isolation as well as rational drug design-based structural modification and analog synthesis approaches. Notably, a significant and ongoing project on podophyllotoxin and its semisynthetic analog etoposide has led to the development of a potent derivative designated GL-331. GL-331 has received investigational new drug (IND) approval from the FDA and is currently in clinical trials against various cancers, especially drug-resistant cancers. Further design, synthesis, and evaluation of GL-331-related analogs are discussed.

Lignans no tratamento de câncer e outras doenças Kuo-Hsiung Lee1 e Zhiyan Xiao1: Laboratório de Produtos Naturais, Faculdade de Farmácia, Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, Chapel Hill, Carolina do Norte, 27599, EUA Resumo: Lignans são amplamente distribuídos na natureza e exibir uma gama impressionante de atividades biológicas. O uso farmacêutico extensivo de lignanas está ligado às suas atividades antitumorais, antivirais, hepatoprotetoras e antagonistas do fator ativador de plaquetas (PAF), entre muitas outras. Este artigo de revisão destaca lignanas farmacologicamente ativas selecionadas, delineia sua relevância terapêutica para o tratamento de câncer e outras doenças e acentua a pesquisa sobre lignanas derivadas de plantas, particularmente estudos pré-clínicos de identificação e otimização de chumbo realizados nos autores do Natural Products Laboratory (NPL). Lignanas antitumorais e anti-HIV foram descobertas e desenvolvidas na NPL usando fracionamento e isolamento direcionados por bioatividade, bem como abordagens estruturais de modificação estrutural e síntese analógica. Notavelmente, um projeto significativo e contínuo sobre a podofilotoxina e seu análogo semi-sintético etoposide levou ao desenvolvimento de um derivado potente designado GL-331. O GL-331 recebeu a aprovação de novas drogas (IND) da FDA e está atualmente em testes clínicos contra vários tipos de câncer, especialmente cânceres resistentes a medicamentos. Design adicional, síntese e avaliação de análogos relacionados com GL-331 são discutidos.
Fonte  Google tradutor Inglês >Português