Dermatite por contato por plantas (DCP) irritativa

Nome Científico: www.anaisdedermatologia.org.br/public/artigo.aspx?

Orgão da Planta:

Dermatite de contato por plantas (DCP) irritativas 1. Irritação mecânica: dentre as plantas capazes de provocar irritação mecânica, destacam-se espécies dos taxons genéricos Cereus, Cephalocereus, Opuntia, que possuem espinhos e farpas. São os cactos-mandacaru (Cereus jamacaru) e xiquexique (Pilocereus gounelei) e as palmas (Opuntia squamosus, Opuntia vulgaris Tc). Na família Palmae incluem-se coqueiro (Cocus nucifera), carnaúba (Copernicia prunifera), tucuns (Pyrenoglyphis maraja e Astrocarium vulgare); na família Liliaceae, melindre (Asparagus plumosum) e japecanga (Smillax japicanga): na família Moraceae, contra-erva (Dorstenia brasiliensis); na família Rosaceae, rosa-amélia (Rosa centifolia), uma das plantas mais cultivadas popularmente. Também importante é o riso-do-prado ou buganvília (Bougainvillea spectabilis), trepadeira espinhosa muito usada como planta ornamental. Diferentes plantas campestres possuidoras de espinhos provocam traumatismos na pele. Dessas, citamos apenas as mais comuns: cardo-santo (Argemone mexicana), que também contém alcalóides tóxicos, taninos e lactonas sesquiterpênicas: com espinhos em rosetas, são conhecidas as gramíneas dos gêneros Desmodium e Aeschinomene; com espinhos em pendões, o carrapicho comum (Cenchrus echinatus); plantas subarbustivas com espinhos, malícia (Mimosa pudica) e outras, maiores, do mesmo táxon genérico. Entre os cipós, os mais comuns no Nordeste pertencem à família Dileniaceae, sendo mais conhecidos o cipó-de-vaqueiro ou cipó-de-fogo (Davila rugosa), cujo atrito acidental ou proposital, além de lesar a pele, provoca sensação de queimação. A agave (Agave americana) provoca dermatite irritativa, mecânica ou química, em 80% dos casos. É usada na fabricação artesanal de cordas, redes e objetos decorativos, na produção da bebida alcoólica mexicana pulque e como planta ornamental. Possui espinhos e compostos químicos (oxalato de cálcio em microagulhas ou ráfides, óleo volátil e saponinas, que são precursoras de hormônios esteróides sintéticos). Pode causar dermatite purpúrica (vasculite leucocitoclástica) e reações sistêmicas manifestas por febre, mialgia, tosse, cefaléia, diarréia. A roçara do feijão e do milho acontece durante o período da colheita e debulha, constituindo reação pruriginosa urticariforme, em virtude da ação traumática de micropêlos rígidos, presentes nas palhas do milho (Zea mais) e na vagem do feijão-de-corda (Vigna sinensis) ou mulatinho (Phaseolus vulgaris). 2. Irritação química, reações provocadas por substâncias de ação irritante: 1. oxalato de cálcio em microagulhas presente em algumas plantas, sendo as mais conhecidas: comigo-­ninguém-pode (Dieffenbachia picta), malva (Malva sylvestris) e outras plantas das famílias Araceae e Bromeliaceae, chamadas crótons ou aráceas, tais como cara­-de-cavalo (Monstera, Philodendrum), jibóia (Epidendrum aureum) e abacaxi (Ananas comosus), que contém também enzimas proteolíticas e são responsáveis por quadros de queilite angular, estomatite e dermatites periorais; 2. tiocianatos encontrados nas mostardas (Brassica intergrifolia e Brassica oleracea); 3. látex e ésteres do forbol no eu-e-tu (Euphorbia splendens), erva-de-leite (Euphorbia brasiliensis), avelós ou esqueleto (Euphorbia tirucali) e açacu (Euphorbia cotinifolia); 4. capsaicina no pimentão (Capsicum annuum), pimenta (Capsicum frutescens); 5. saponinas na hera (Hedera helix), melão-são-caetano (Mormodica charantia), juazeiro (Ziziphus joazeiro), sabonete (Sapindus saponaria), mutamba (Guazuma ulmifolia), guaraná (Paullinia cupana), confrei (Symphytum officinale); 6. ácido anacárdico e outras substâncias fenólicas no líquido da casca da castanha do caju (Anacardium occidentale); 7. seiva dos talos e cachos das bananeiras ou da própria casca da banana (Musa sapientum); 8. látex cáustico do pinhão-roxo (Jatropha gossypufolia), usado no tratamento das verrugas, presente também em outras espécies do mesmo gênero; 9. cetonas na arruda (Ruta graveolens), planta