Velame branco

Nome cientifico: Macrossiphonia velame

Sinonímia: Velame-do-rio-grande, velame verdadeiro, velame-do-campo, curraleira.


Dados para Cultivo

Propagação: planta nativa, canteiros: tubérculo

Espaçamento: planta nativa, em canteiros: 30 x 40 cm

Época de Plantio: planta nativa, em canteiros irrigados: verão e outono

Época Colheita: raiz: ano todo, parte aérea: mais fácil na época do florescimento para identificação (fevereiro a abril)


Preparo e Conservação

Extrato Peso/Volume: 10


Uso Medicinal

Uso Principal:

Excelente em todo tipo de aneurismo; reumatismo, na forma de infusão, usando a planta toda com raízes, 1 xícara de café com pó da planta, em 0,5 litro de água. Tomar 1 xícara 6 vezes ao dia. Usar em úteros inflamados com presença de cistos, usar raiz, em decoto.

A decoção feita com folhas e raiz do velame-branco é utilizada por muitos raizeiros no entorno de Goiânia como anti inflamatório. Em entrevistas realizadas com 15 raizeiros tradicionais daquela região, o velame-branco foi citado por 90% deles como eficiente anti inflamatório, depurativo e anti-sifilítico.
fonte: http://www.biologo.com.br/plantas/cerrado/velame-branco.html

Uso Normal:

Usar  raízes, 10% peso planta seca, na forma de infusão como; .Depurativo do sangue, acne, espinhas, furúnculos, furunculoses, maturação de furúnculos, abcessos, auxiliar no tratamento das doenças venéreas, doenças de pele (urticária, alergia): uso interno, planta toda com

Características:

Subarbusto perene de até 80 cm de altura quando florida, produz látex branco, possui raiz tuberosa; caules normalmente pouco ramificados; folhas simples opostas, elípticas de ápice agudo a acuminado com até 6,5 cm de comprimento, densamente recobertas por pilosidade branca. Pecíolos muito curtos, de comprimento raramente ultrapassando 5 mm. Flores isoladas ou não, sendo emitidas do ápice do caule ou lateralmente; as pétalas são parcialmente fundidas, formando um tubo com cerca de 15 cm até a porção livre, que é muito atrativa [assemelha-se com um pequeno lírio não branco]; as sépalas são livres e bem menores que as pétalas. Os estames, órgãos masculinos que produzem o pólen, são soldados próximo ao fim do tubo formado pelas pétalas. Cada flor produz dois frutos alongados verde-avermelhados.
As flores se abrem no cair da noite em impressionante movimento, desabrochando de uma só vez em poucos segundos. Permanecem abertas durante toda a noite e murcha na hora mais quente do dia seguinte. Flor se abrindo às 18:35h do dia 29 de outubro de 2006, em cerrado típico no Núcleo Rural Boa Esperança II, Distrito Federal.
A espécie é amplamente utilizada pelas populações tradicionais do Cerrado.
http://www.biologo.com.br/plantas/cerrado/velame-branco.html

Foto:

Foto 2:

Foto 3: