Vassourinha –

Nome cientifico: Scoparia dulcis L.; Vandallia bratensis; Scoparia terrata Frosk.

Sinonímia: Tupiçaba; tupiçava; coerana-branca, tapixaba, tupeiçaba, tupeicava, voassourinha-de-botão, vassourinha-doce, vassourinha-mofina,

Composição Química:

Amelina e mucilagem, ácido scopaldúlcico A, triterpeno glutinol, flavonóides acacetina, antidiabetina, amelina,


Dados para Cultivo

Propagação: planta nativa, sementes

Espaçamento: planta nativa

Época de Plantio: planta nativa

Época Colheita: parte aérea, raiz: ano todo (melhor período vegetativo)


Informações Gerais

Contra Indicações:

As índias da Amazônia usam esta planta como abortiva e contraceptivo bebendo chás dela durante a menstruação por 3 dias

Observações:

É considerada invasora. É chamada vassoura pois os caboclos fazem vassouras dessas plantas.


Uso Medicinal

Uso Normal:

Antitérmico; diabetes; contra bronquite; béquico; asma; expectorante; catarro pulmonar; regulador natural da menstruação; dor de dente, dores, como emoliente; tratamento de hemorroidas, contra diabetes (pois tem antidiabetina). Modo de usar: interno como decoto, externo como clister ou banho de assento (hemorroidas). Usa-se a parte aérea da planta toda e em alguns casos a raiz como no caso de herpes labial, fervendo-se 4 colheres de sopa da raiz triturada em 1/2 litro de água sem cloro, dose usada popularmente:3-4 xícaras médias por dia.

Características:

É nativa da América tropical, inclusive no Brasil, aonde pode ser considerada erva espontânea em certas áreas. É uma erva anual, herbácea, de porte ereto, com caule lenhoso, com muitos ramos, de pequeno calibre, com ramos em feixes, folhas inteiras, com bordas serreadas, de cor verde intensa, colocadas em verticilos ou opostas, flores muito pequenas, com frutos tipo cápsula, pequenos e globoides, com muitas sementes muito pequenas.

Foto: