Tiririca

Nome cientifico: Cyperus rotundus L.

Sinonímia: Tiririca-comum, junça-aromática, alho, capim-dandá

Composição Química:

Óleo essencial contendo o hidrocarboneto cypereno I; mono e sesquiterpenóides como alpha-cyperona.


Dados para Cultivo

Propagação: tubérculos

Espaçamento: planta espontânea,

Época de Plantio: planta espontânea (erva muito daninha de difícil eliminação)

Época Colheita: tubérculos: ano todo (cuidado: evitar áreas com herbicida)


Informações Gerais

Contra Indicações:

Botsaris: contra-indicado para pacientes com dores abdominais e casos de sangramento [que ira aumentar com seu uso].


Uso Medicinal

Uso Principal:

Do óleo essencial extraído dos rizomas tem atividade estrogênica, sendo o cypreno I o composto supostamente responsável por esta atividade. A maceração por 21 dias de tubérculos em cachaça (ou vinho branco) de boa qualidade, e tomada antes das refeições, tem mostrado boa atuação como redutor das taxas de diabete (aglicêmica).

Dr Hélio Casale-informação pessoal

Uso Normal:

Uso dos tubérculos para: feridas, tuberculose, pneumonia, escabiose, pústulas, sendo que se estima que tenham propriedades antibacteriana, Antiinflamatória, balsâmica, estimulante, diurética, anti-helmíntica, antipirética, anti-histamínica, adstringente, carminativa, diaforética, estomática, hipotensora, vermífuga. Na Índia o extrato dos tubérculos é usado para tratamento da febre, diarréia, cólera, conforme tratados da medicina Ayurvedica (Medicina Oriental de origem milenar).
Botsaris indica na forma de decocção dos tubérculos e rizomas, na dose de 2 a 12 gramas da planta tiririca [Cyperus rotundus] para: aumentar a libido da mulheres (afrodisíaco), antiblenorrágia para corrimento uretral, como digestivo, como carminativo.

Características:

Pequena erva ereta, tuberosa e com rizoma, tendo hastes triangulares, folhas basais de cor verde forte, flores de tamanho reduzido, colocadas em inflorescência marrons, com longo pedúnculo, tendo rizomas e tubérculos interligados por raízes finas formando uma extensa malha radicular que pode se aprofundar por muitos metros e perpetuar-se fortemente no solo, constituindo-se por esta razão uma das piores “ervas daninhas” dos nossos campos agrícolas. Quando possui uma inflorescência amarela e um único tubérculo no fim de cada rizoma, é a espécie Cyperus esculentus L., com nomes e aplicações semelhantes. É nativa da Índia

Foto:

Foto 2: