Salsaparrilha –

Nome cientifico: Herreria salsaparrilha Mart. ; Smilax japicanga Griseb ; Smilax aspera, S. officinali,

Sinonímia: Sarsaparrilha,salsaparrilha, sarza, zarza, salsa-americana, salsaparrilha-das-boticas, japecanga-verdadeira, japicanga, jupicanga, inhapecanga, nhupicanga, raiz-da-china, salsa-de-espinho, salsa-do-campo,

Composição Química:

Descobriu-se um grupo de esteróides e saponinas. Esmilacina, salsaponina, ácido salsapinínico, resinas e óleos essenciais.


Dados para Cultivo

Propagação: planta nativa , rizoma; tem sementes

Espaçamento: planta nativa

Época de Plantio: planta nativa; com irrigação: ano todo

Época Colheita: planta toda (melhor: raiz): ano todo


Informações Gerais

Contra Indicações:

Uso contra-indicado para crianças e gestantes. Ação hemolítica se usada de forma endovenosa. (Dr. Ferro)

Aumenta a absorção de vários medicamentos químicos, inclusive benzodiazepínicos e digitálicos. (Dr. Ferro)

Observações:

É da família da japecanga.


Preparo e Conservação

Extrato Peso/Volume: 10


Uso Medicinal

Uso Principal:

Excelente nas doenças venéreas, (sífilis, gonorreia), uso interno, infusão/decoto, toda planta, mas a raiz é a parte mais usada: 15% peso da planta/água. Na China observações clínicas determinaram que foi eficiente em 90% dos casos agudos de sífilise 50% nos casos crônicos. É um bom purificador do sangue. Em 1959 foi provada sua eficácia como coadjuvante no tratamento da lepra (hanseníase).

Uso Normal:

Os índios das Américas há séculos, usam raízes desta planta para: impotência sexual (talvez por ser um poderoso fortificante e tônico), reumatismo, problemas de pele, herpes, cistites, como coadjuvante no câncer dos seios. É um bom purificador do sangue. Abaixa a taxa de colesterol do sangue. Na China usa-se para: artrite, febres, tosses, escrófula, hipertensão, problemas digestivos, doenças de pele, como fortificante.
Segundo Machadinho pode-se usar em alergia provocada por planta.

Características:

Originária da Amazônia legal e restante do Brasil. Planta sarmentosa que possui haste glabra, ligeiramente angulosa e estriada, com espinhos fortes e recurvados, folhas reunidas em rosetas espaçadas, sésseis e lanceoladas, a inflorescência é uma umbela simples, axilar, com 6 a 12 flores, frutos em forma de bagas, com 1-3 sementes. Cresce sendo trepadeira, e no chão se desenvolve emitindo raízes que possuem na base de um feixe de folhas. Existem três variedades semelhantes em atuação medicinal no Brasil: Smilax japicanga (conhecida como japecanga-vermelha), Smilax brasiliensis e Herreria salsaparrilha (conhecida como salsaparrilha). Podem ser usadas para os mesmos fins terapêuticos.

Foto:

Foto 2: