Pitanga –

Nome cientifico: Eugenia uniflora L. Eugenia pitanga Stenocalyx pitanga

Sinonímia: Jinja, pitangueira-vermelha, ubipitanga, ginja, ibipitanga, pitanga-roxa, pitanga-branca, pitangatuba, pitanga-rósea, pitanga-do-mato, pitanga-do-mato.

Composição Química:

Nas frutas e nas folhas: óleos essenciais, sesquiterpenos, taninos, flavonóides, pigmentos antocianicos, saponinas, sais minerais, vitamina C.


Dados para Cultivo

Propagação: planta nativa, sementes

Espaçamento: planta nativa

Época de Plantio: planta nativa

Época Colheita: folhas: ano todo; frutos: verão


Uso Medicinal

Uso Principal:

Segundo Harri Lorenzi., vários ensaios farmacológicos feitos com extratos de suas folhas, tem evidenciado atividades inibitórias da enzima xantina-oxidase por ação dos flavonoides presentes em suas folhas, ausência de ação redutora do nível de colesterol na hipercolesterolemia experimental em experimentos sobre o metabolismo de lipídeos, usando macacos como animais de experiência, além de atividade antibacteriana contra alguns germes patogênicos.

Uso Normal:

Folhas e frutos são usados na medicina popular como: excitantes, febrífuga, aromáticas, antirreumática, antidisentérica, diarreias infantis, verminoses, febres infantis, na dose de meio a um copo, do seu chá, após cada evacuação. Faz-se o chá, usando-se uma colher de sopa das folhas bem picadas em um copo de água sem cloro fervendo, e ao esfriar, deve ser bebido aos poucos, se possível de colher em colher. Contra: bronquites, tosses, febres, ansiedade, hipertensão arterial e verminose, é indicado um extrato alcoólico feito com duas colheres de sopa de material seco e picado fino, em maceração em álcool de cereais a 70%, durante 7 dias e tomado na dose de 10 gotas em água, por duas vezes ao dia.

Características:

Nativa do Brasil, cultivada em todo pais. Árvore que derruba parcialmente suas folhas anualmente, com rizomas, copa não muito frondosa, caule liso cor parda, folhas simples, tendo aroma próprio; flores cor branca, isoladas ou em grupos de 2-3, nas axilas e pontas dos ramos, frutos do tipo drupa, com sulcos longitudinais , de cor vermelha brilhante, ou amarelado, polpa carnosa comestível, 1-2 sementes, Os rizomas podem rebrotar naturalmente, formando touceiras de plantas. No cerrado ocorrem a espécie Eugenia pitanga de pequeno porte mas produz frutos semelhantes e com as mesmas características medicinais.

Foto:

Foto 2: