Mirtilo (Blueberry)-

Nome cientifico: Vaccinium myrttillus

Sinonímia: O mirtilo, também conhecido como arando ou uva-do-monte (Vaccinium myrtillus); blueberry

Composição Química:

Princípios ativos Taninos (1,5%), antocianinas, flavonóides, mirtilina (corante azul natural da planta), sais orgânicos, arbutina e glicosídeos.
Autor: Dr. Luis Carlos Leme Franco (Curitiba, PR) e outros. Maio, 2004.
S.Maranhão-Catanduva. : Informação Nutricional: porção de 100 g. Quant. por porção:
-valor energético…57kcal
-carboidratos…14g
-proteínas…0,7g
-gorduras totais…0,0g
-gorduras saturadas…0,0 g
-gorduras trans…0,0g
-fibra alimentar… 2,4g
-sódio…0,0 mg


Dados para Cultivo

Propagação: mudas enxertadas


Informações Gerais

Contra Indicações:

Até o momento não são conhecidas interações medicamentosas importantes com o uso de produtos à base de frutos de Vaccinium myrtillus. O uso concomitante com substâncias contendo taninos pode alterar o hábito intestinal.
Não há relatos de alterações em exames laboratoriais.
Reações adversas / Efeitos colaterais de Miralis
Os antocianosídeos são geralmente bem tolerados. Até o momento não foram relatados efeitos adversos ou tóxicos significativos relacionados ao uso de formulações à base de frutos de Vaccinium myrtillus. Em casos isolados, podemos observar desconforto gástrico e alterações do hábito intestinal.

“Em caso de eventos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.”

Não se recomenda o uso em mulheres grávidas ou em amamentação, em crianças com menos de 12 anos, e pacientes com problemas cardíacos devem ser acompanhados por médico.

Valor Alimenticio:

Uso culinário
Na culinária pode ser utilizada em müsli, marmelada, vinho e bolos. Seu suco era empregado para tingir finos vinhos tintos.
Autor: Dr. Luis Carlos Leme Franco (Curitiba, PR) e outros. Maio, 2004.


Preparo e Conservação

Extrato Peso/Volume: 20

Forma Conservação: in natura: refrigerado, em suco, geleias preparados culinários [doces].

Forma Preparo: tintura-mãe:Correspondem a 1/10 de seu peso em droga desidratada, com algumas exceções como a calêndula e o mirtilo que correspondem a 1/20.
http://www.abifisa.org.br/saibamais_conceitos.asp

O alcoolato de mirtílo, por exemplo, é preparado da seguinte forma:
- Macera-se por 24 horas 2.000 g de mirtilo fresco mais 1.000 g de álcool a 70º.
- Destila-se e recolhe-se 1.000 g de alcoolato.
http://herbario.jungalchimie.com/?p=150


Uso Medicinal

Uso Principal:

Indicações terapêuticas Diarreias, melhorar a visão noturna, retinopatia diabética, falta de perfusão renal, pé de diabético [ver detalhes desta patologia neste site em DOENÇAS].
Propriedades terapêuticas Adstringente, tônico, antibacteriano, hipoglicemiante. Autor: Dr. Luis Carlos Leme Franco (Curitiba, PR) e outros. Maio, 2004.
…………………………………………
Conhecida como a fruta da longevidade, possuindo como principal característica as propriedades medicinais das folhas e dos frutos. O mirtilo é a fruta mais rica em antioxidantes das frutas já estudadas.
O suco da fruta é altamente eficaz para tratar inflamações da boca e da laringe. De acordo com estudos realizados acredita-se que os antioxidantes que estão presentes em grandes quantidades nos pigmentos que conferem às frutas suas cores vivas, atuam diretamente no nosso organismo prevenindo doenças.
[Ana Bia yahoo]
………………………………………..
O mirtilo é uma pequena fruta azul-escura, com sabor levemente agridoce, também conhecida como blueberry, tem poderosas propriedades antioxidantes que protegem o organismo dos elementos tóxicos, substâncias instáveis que causam o envelhecimento e podem provocar câncer. O segredo está nos pigmentos antocianos. É este pigmento que age de maneira benéfica no nosso organismo: combate os radicais livres, é anti-inflamatório, melhora a circulação e reduz o colesterol ruim. O mirtilo é uma das frutas frescas mais ricas em antioxidantes já estudadas. A fruta tem um conteúdo particularmente elevado de polifenóis tanto na casca quanto na polpa, que conferem funções de proteção sobre as paredes das células. Estudos científicos têm mostrado que o mirtilo previne doenças relacionadas à visão, como catarata e glaucoma, melhorando a capacidade de leitura e o foco da visão. Além disso a fruta, a qual tem um baixo valor calórico, é muito rica em fibras, beneficiando a regulação intestinal. Pela ausência de sódio e colesterol é indicada em regimes para hipertensão arterial e na prevenção de doenças cardiovasculares. Por essa razão a fruta é conhecida como um alimento nutracêutico, que são alimentos funcionais que além de nutritivos atuam como medicamentos e previnem doenças, e o mirtilo é um ótimo exemplo do poder fitoterápico por suas propriedades medicinais.
Até o momento não são conhecidas interações medicamentosas importantes com o uso de produtos à base de frutos de Vaccinium myrtillus. O uso concomitante com substâncias contendo taninos pode alterar o hábito intestinal.
Não há relatos de alterações em exames laboratoriais.
Reações adversas / Efeitos colaterais de Miralis
Os antociano sídeos são geralmente bem tolerados. Até o momento não foram relatados efeitos adversos ou tóxicos significativos relacionados ao uso de formulações à base de frutos de Vaccinium myrtillus. Em casos isolados, podemos observar desconforto gástrico e alterações do hábito intestinal.

“Em caso de eventos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.”
Características farmacológicas
Diversos trabalhos demostraram que o os antociano sídeos, responsáveis pela coloração dos frutos, são os princípios ativos responsáveis pela maioria dos efeitos produzidos por formulações à base de Vaccinium myrtillus. Os estudos farmacológicos experimentais revelaram que essas substâncias possuem atividade antioxidante, estimulam a regeneração da rodopsina, inibem a fosfodiesterase, aumentam a produção de muco gástrico, inibem a agregação plaquetária, diminuem a permeabilidade vascular e aumentam a síntese de colágeno relacionado principalmente à estrutura vascular. Dentre as substâncias presentes no extrato seco de Vaccinium myrtillus, as antocianidinas são responsáveis pela ação antioxidante que protege a retina da agressão dos radicais livres. Esses efeitos têm indicado o uso de produtos à base de Vaccinium myrtillus para melhora da visão noturna, no tratamento de retinopatias, fragilidade capilar, alterações na permeabilidade vascular secundária à hipertensão arterial, aterosclerose e diabetes.

Farmacocinética: Estudos demonstram alta afinidade das antocianidinas pelos tecidos renal e cutâneo. Após a administração oral, as antocianidinas são rapidamente absorvidas pelo trato gastrintestinal e atingem o pico plasmático, em média, 15 minutos após a administração. A eliminação ocorre, principalmente, pela via biliar e urinária após 24 horas.
Resultados de eficácia
Em estudo duplo-cego com 40 pacientes com retinopatia diabética e hipertensiva, a administração de 320 mg por dia, durante um mês, demonstrou melhora sintomática em mais de 80% dos pacientes que receberam o produto, que foi verificado através de exames de fundo de olho e técnicas angiográficas com fluorescência. 1

1- PEROSSINI, M. et al. Diabetic and hypertensive retinopathy with Vaccinium myrtillus anthocianosides: double blind placebo-controlled clinical trial. Ann Ottalmol Clin Ocul. 1987. 113 (12):1173-1190.Características farmacológicas
Diversos trabalhos demostraram que o os antociano sídeos, responsáveis pela coloração dos frutos, são os princípios ativos responsáveis pela maioria dos efeitos produzidos por formulações à base de Vaccinium myrtillus. Os estudos farmacológicos experimentais revelaram que essas substâncias possuem atividade antioxidante, estimulam a regeneração da rodopsina, inibem a fosfodiesterase, aumentam a produção de muco gástrico, inibem a agregação plaquetária, diminuem a permeabilidade vascular e aumentam a síntese de colágeno relacionado principalmente à estrutura vascular. Dentre as substâncias presentes no extrato seco de Vaccinium myrtillus, as antocianidinas são responsáveis pela ação antioxidante que protege a retina da agressão dos radicais livres. Esses efeitos têm indicado o uso de produtos à base de Vaccinium myrtillus para melhora da visão noturna, no tratamento de retinopatias, fragilidade capilar, alterações na permeabilidade vascular secundária à hipertensão arterial, aterosclerose e diabetes.

Farmacocinética: Estudos demonstram alta afinidade das antocianidinas pelos tecidos renal e cutâneo. Após a administração oral, as antocianidinas são rapidamente absorvidas pelo trato gastrintestinal e atingem o pico plasmático, em média, 15 minutos após a administração. A eliminação ocorre, principalmente, pela via biliar e urinária após 24 horas.
Resultados de eficácia
Em estudo duplo-cego com 40 pacientes com retinopatia diabética e hipertensiva, a administração de 320 mg por dia, durante um mês, demonstrou melhora sintomática em mais de 80% dos pacientes que receberam o produto, que foi verificado através de exames de fundo de olho e técnicas angiográficas com fluorescência. 1

1- PEROSSINI, M. et al. Diabetic and hypertensive retinopathy with Vaccinium myrtillus anthocianosides: double blind placebo-controlled clinical trial. Ann Ottalmol Clin Ocul. 1987. 113 (12):1173-1190.

Uso Normal:

Uso medicinal
Atua em casos de diarreias graves. Indicado para ação local no alívio de inflamações na boca e catarros. Já foi muito utilizado contra febres. É atribuída à mirtilina a ação antibactericida. Possui um valor nutritivo indiscutível utilizado em marmeladas, talvez seja esta razão por ajudar a melhorar a visão noturna, devido à presença de vitaminas.
Mirtilo é uma planta que trabalha bem na restauração da pequena circulação e por isto é usada em retinopatia diabética, falta de perfusão renal, pé diabético, etc. Há um produto comercial no Brasil denominado Miralis, fabricado pela Ativus Farmacêutica.
Autor: Dr. Luis Carlos Leme Franco (Curitiba, PR) e outros. Maio, 2004.
………………………………..
www.tuasaude.com/arando:

O arando [Mirtilo] é um fruto que pode ser utilizado como planta medicinal porque ajuda a proteger o organismo de diversas doenças, como infecções urinárias.

O seu nome científico é Vaccinium Myrtillus e pode ser comprado em mercados, feiras livres e lojas de produtos naturais.

Para que serve o arando

O arando serve para tratar cistite, infecção dos rins, infecção urinária, problemas cardiovasculares, colesterol, além de combater o envelhecimento.

Propriedades do arando

As propriedades do arando incluem sua ação antibiótica, adstringente, antisséptica e anti-inflamatória

Modo de uso do arando

Comer o fruto fresco, em forma de suco natural ou utilizá-lo na preparação de receitas culinárias.

Também é comercializado o extrato de Arando em forma de cápsulas e o suco de arando concentrado, que pode ser diluído em água.

Efeitos colaterais do arando

O efeito colateral do arando é o aumento da frequência urinária.

Contraindicações do arando

Não estão descritas contraindicações do arando.
……….

Características:

Informações complementares
Origem :O mirtilo pertence à família Ericaceae (família da azaléia). As plantas são arbustos de pequeno porte que crescem em sub-bosques de florestas temperadas na Europa. Vive em regiões nas quais o inverno é bastante rigoroso, daí a dificuldade em cultivá-lo no Brasil [que a cultiva no R.G. do Sul e nos vizinhos Argentina e Uruguai para venda in natura].
Autor: Dr. Luis Carlos Leme Franco (Curitiba, PR) e outros. Maio, 2004.
………………………………………….
O mirtilo é uma planta originária da América do Norte, desde o Sul dos Estados Unidos até o Leste do Canadá. [Ana Bia yahoo]
………………………………………..
O mirtilo, também conhecido como arando ou uva-do-monte (Vaccinium myrtillus) é um arbusto que pertence à família Ericaceae (família da azálea). As plantas são arbustos de pequeno porte que crescem em sub-bosques de florestas temperadas na Europa. Vive em regiões nas quais o inverno é bastante rigoroso, daí a dificuldade em cultivá-lo no Brasil. Em Portugal vive em regiões nas quais o inverno é rigoroso, porque necessita em média de 500 horas anuais de temperatura entre os 10º e os 12º celsius, daí a enorme dificuldade em cultivá-lo na maior parte do território, é na zona do médio Vouga, no vale do Rio Vouga que se encontra o local ideal para a produção deste fruto, nos concelhos de Oliveira de Frades, Sever do Vouga, Águeda e Albergaria-a-Velha, sendo Sever do Vouga o que reúne as melhores condições.[Guilherme Yahoo]
O interesse pelo mirtilo é promovido pelas grandes quantidades de vitaminas A e B que contém, substâncias que combatem os radicais livres, produzem ação anti-inflamatória, melhoram a circulação, reduzem o colesterol ruim e favorecem a saúde dos olhos. A fruta também é dotada de ácido elágico, substância que tem mostrado propriedades inibidoras contra a replicação do vírus HIV, transmissor da aids – síndrome da imunodeficiência adquirida, além de potente inibidor da indução química do câncer.

Falta de conhecimentos técnicos e pesquisas sobre adaptação das variedades restringem o cultivo de mirtilo a cerca de 150 hectares no país. Os gaúchos são os maiores produtores, com 150 toneladas obtidas em uma área de 40 hectares de plantio conduzida por 45 agricultores. As demais plantações encontram-se distribuídas pela região serrana de Santa Catarina, sul do Paraná e Serra da Mantiqueira, nos estados de São Paulo e Minas Gerais.

Pertencente à família Ericaceae, o mirtilo produzido no Brasil é originário da América do Norte. As variedades mais utilizadas por aqui são as pertencentes ao grupo highbush, de arbustos altos, com cerca de 1,5 metro de altura; e as do grupo rabitteye, arbustos ainda mais altos, medindo de 2 a 4 metros.
[Ativus Farmaceutica]

Foto:

Foto 2:

Foto 3: