Mamão-

Nome cientifico: Carica papaya

Sinonímia: Papaia, mamoeiro, abobaia, amabapaia, amazonas, chamburi, chamburu, formoso, havaioano, mamão-de-corda, mamão-macho, mamoeiro-das-antilhas, papieira, papaya. Cultivares: Sunrise Solo, Formosa, Comum.

Composição Química:

Contem Vit. A , Vit. B1 (Tiamina), Vit. B2 (Riboflavina), Vit. B5 (Niacina), Vit. C (Ácido ascórbico), potássio, fósforo, cálcio, sódio, ferro, enxofre, magnésio, cloro, silício. Iso-tiocyanato de benzila, carpaína (alcalóide) , quimiopapaina, papaína (enzimas proteolíticas complexas).


Dados para Cultivo

Propagação: sementes (mudas em sacos plásticos ou tubetes)

Espaçamento: 3 x 2 m, 3 x 3 m , 4 x 2,5 m.

Época de Plantio: início das chuvas (SP outubro) em dias nublados (mesmo assim irrigar)

Época Colheita: Folhas, raiz, látex das folhas: ano todo; frutos, sementes (ano todo após 12 meses de plantio)


Informações Gerais

Contra Indicações:

Teles comunicação pessoal, indica o não uso das sementes em casos de quimioterapia.

Os frutos verdes são abortivos. As folhas são tóxicas em altas doses. O látex encontrado na planta toda (folhas, frutos verdes, caule, ramos) é cáustico à pele, principalmente se atingir os olhos.

Valor Alimenticio:

É alimento aperiente ideal para o desjejum pois assim limpa o intestino e contribui para o equilíbrio ácido-alcalino do organismo. É muito importante na dieta das crianças. Também consumido como doce.


Uso Medicinal

Uso Principal:

Folhas em decoção, contém carpaína que em pequenas doses reduz o ritmo cardíaco e baixa a pressão sanguínea, mas em doses maiores produz uma vasoconstrição, usada como vermífugo, mas tóxicas em altas doses. A carpaína tem ação espasmolítica na musculatura lisa, além de possuir forte ação contra amebas.
www.protaleducacao.com.br: seu látex hoje tem grande importância pela papaína no tratamento de hérnia de disco, através de injeções na coluna vertebral, sendo usado também para processos de cicatrização de feridas rebeldes.

Uso Normal:

Fruto maduro é bom digestivo, diurético, emoliente, laxante, anti-oxidante (com sementes é mais: 1 dúzia), ajuda nas doenças do estômago e intestinos, gastrite, indigestão, prisão de ventre crônica. Comido em jejum pela manhã, é bom para diabete, asma, icterícia , males do estômago, putrefação intestinal, flatulência. Polpa seca para reduzir inchaços dos pés, reumatismo (em cozimento). Látex dos frutos verdes (algumas gotas por dia, dosados individualmente) é usado como vermífugo (ou 15 gramas em xícara de chá com mel); também como vermífugo são usadas as sementes secas ou frescas, misturadas com banana ou miolo de pão (também secas e moídas). Na difteria (dissolve as falsas membranas da garganta). Frutos verdes podem produzir sumo da casca para ser aplicado puro nos calos e verrugas, mas são abortivos. Flores (mamoeiro macho) para rouquidão, tosse, emenagoga, antipirética, bronquite, traqueite, laringite. Sementes são proveitosas como vermífugo, prevenção do câncer e tuberculose. 15 sementes bem mastigadas frescas para excreção da bílis, atuando nas enfermidades do fígado. Sementes secas pulverizadas, uma colher de café, misturadas com mel, 3 vezes ao dia , como vermífugo. Raízes em decoção como tônico para os nervos, hemorragias renais, vermífugo. Látex das folhas é poderoso vermífugo, usado diluído na água, na asma e diabete. Folhas em decoção, contém carpaína que em pequenas doses reduz o ritmo cardíaco e baixa a pressão sanguínea, mas em doses maiores produz uma vaso conscrição, usada como vermífugo, mas tóxicas em altas doses. Raízes, uso interno, decoto, hematúria. Ingerir a polpa dos frutos após as refeições.

Características:

Origem provável: Americas.

Foto:

Foto 2:

Foto 3:

Foto 4: