Estévia

Nome cientifico: Stevia rebaudiana Bertoni

Sinonímia: Folha-doce, stévia, azuca-caá, caá-hé-e, caá-jhe-hê, caá-yupi, capim-doce, eira-caá, erva-adocicada, erva-doce, planta-doce.
fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira

Composição Química:

Glicosídeos : esteviosídeo (5-10%) (com poder adoçante 300 vezes maior que a sacarose), rebaudiosídeo (2-4%) e dulcosídeo; saponinas, óleo essencial; taninos.
fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira


Dados para Cultivo

Propagação: sementes: 15-25 kg/ha

Espaçamento: 40x20 cm; 25x20 cm com 125 mil ou 200 mil/ha

Época de Plantio: mudas de sementes: maio-junho, repicagem: junho-julho, campo: ago-set.

Época Colheita: iniício do florescimento: cortar hastes 5 cm acima solo: folhas para secar


Informações Gerais

Valor Alimenticio:

É indicado para quem precisa regular o consumo de açúcar. Produto dietético. Componente de doces, sucos, e similares.
fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira

Observações:

Em pessoas hipertensas age como regulador da pressão arterial.


Uso Medicinal

Uso Principal:

Uso interno, chá por infusão, 1 colher de chá de folhas secas picadas por xícara dágua, aguardar 10 minutos, coar e beber 2 vezes ao dia entre as refeições: diabetes, adoçante hipocalórico; auxiliar no tratamento da obesidade.

fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira

Uso Normal:

Usa-se suas folhas como: tônico para o coração, hipertensão, azia, abaixar níveis de ácido úrico; diurética dependendo da dose.

fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira

Uso Normal:

Uso interno, chá por decoto, 1 colher de café de folhas secas e moídas, misturadas com 1 colher de chá de folha de abacateiro picadas, desligar o fogo, repousar 15 minutos, tomar 1 xícara de chá, pela manha e à tarde: diurético.

fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira

Características:

Planta herbácea, com muitos ramos, altura entre 40 a 120 cm, folhas com pelos e serradas, inflorescências com cerca de flores de cor branca, fruto-semente é um aquênio com cor escura. Deve ser cultivada em locais com temperaturas médias de 23 graus C e altitudes de 1000 à 1500 metros. Necessita água no mínimo a cada 3 semanas. Plantio em estacas é muito eficiente, com transplante para local definitivo quando aparecerem as primeiras raízes. Pode ser perene se mantivermos seu sistema radicular em perfeitas condições. Conhece-se cerca de 150 espécies deste gênero, mas somente a rebaudiana possui o adoçante esteviosídeo. Originária do Paraguai, chegando ao Brasil em 1945, sendo cultivada no Paraná e Mato Grosso do Sul.
fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira

Foto:

Foto 2: