Erva-tostão; (pega-pinto)

Nome cientifico: Boerhavia paniculata Rich. ; Boerhavia hirsuta, B. coccinea

Sinonímia: Pega-pinto, agarra-pinto, amarra-pinto, bredo-de-porco, solidônia, batata-de-porco; tangaracá

Composição Química:

Saponinas, bioflavonóides, resinas, sais minerais; ácido boerchavico; punarinavina; oxalato de cálcio; nitrato de potassio; carboidratos e substâncias pépticas.
www.plantamed.com.br: ácido boerhávico, amido, boerhavina, lipídeos, matéria sacarina, sais inorgânicos (nitratos), substâncias pécticas e gomosas.
fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira


Dados para Cultivo

Propagação: erva nativa, sementes

Espaçamento: erva nativa

Época de Plantio: erva nativa

Época Colheita: folhas secas: ano todo; raiz: ano todo (quando na maior atividade da planta, verão chuvoso)


Informações Gerais

Observações:

Seu nome popular deriva do fato de ter pêlos glandulares que aderem aos pêlos dos animais.


Preparo e Conservação

Extrato Peso/Volume: 10


Uso Medicinal

Uso Principal:

Como protetor e estimulante da funções hepáticas: fazer infusão com 1 colher de chá de raiz fatiada por xícara de chá. Abafar por 10 minutos. Tomar 1 xícara antes das principais refeições. Protetor e estimulantes das funções renais, depurativo do sangue, eliminador do ácido úrico e uréia: 1 colher de chá de raiz fatiada em um copo de água em fervura; ferver por 5 minutos; tomar 1/2 do copo pela manhã e o resto à tarde até as 17 horas para não ser incomodado durante a noite pois é fortemente diurético. Como diurética seus estudos clínicos a validaram desde os anos 50, pois tem forte ação, principalmente em doses baixas (1-0300 mg/kg de peso vivo), enquanto que doses acima desta quantia produziram efeito contrário. A parte da planta com maior efeito diurético foram as raízes (extrato) que chegam a aumentar em 100% a quantidade de urina em 24 horas, com dose de 10 mg/kg de peso vivo

fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira

Uso Normal:

Uso interno, infusão, dose normal: indicada para todos os processos congestivos. Uso externo, decocto por 5 minutos de 2 colheres de sopa de folhas secas moídas em 1 copo de água, aplicar com chumaço de algodão nos locais afetados: reumatismo, contusões, esfoladuras, dores nas juntas, dores musculares. Uso interno, com raiz, decocto: auxiliar no tratamento da tuberculose, expectorante, hipotensor (abaixa pressão arterial), béquico, pertubações hepáticas, albumina, doenças venéreas, hepatite, icterícia, retenção de urina (quando não provocada pela doença prostatite , que para seus portadores não se pode dar diuréticos). Protetor e estimulante das funções hepáticas e renais: macerado de 2 colheres de sopa de raiz fatiada em uma xícara de álcool de cereais 50%, 5 dias, tomar 1 colher de café diluído em 1/2 copo de água, 2 a 3 vezes ao dia. Para picaduras de insetos, usar folhas em infusão na forma de cataplasma .

fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira

Características:

Planta herbácea rasteira, de caule cilíndrico e decumbente. Raíz axial, pouco ramificada. Folhas pecioladas, opostas, ovais agudas, sinuosas, subcoreáceas, de base arredondada, verde-escura na parte superior e verde na inferior. Revestidas de pêlos glandulares. Flores pequenas e sem pétalas. Fruto é aquênio pequeno com 5 costelas alongadas recobertas de pêlos glandulares. Reproduz-se por fruto-semente (aquênio que aderem as roupas ou pele, quando tocados). Não é exigente quanto ao solo, prefere climas quentes. É planta invasora. Colheita em qualquer época do ano mas preferencialmente com plantas em início do florescimento, ou sob estresse.

Foto:

Foto 2:

Foto 3:

Foto 4: