Erva-tostão; (pega-pinto)

Nome cientifico: Boerhavia paniculata Rich. ; Boerhavia hirsuta, B. coccinea B. diffusa L

Sinonímia: Pega-pinto, agarra-pinto, amarra-pinto, bredo-de-porco, solidônia, batata-de-porco; tangaracá; UFLA-ESAL
Sinônimos botânicos: Boerhavia adscendens Willd., Boerhavia caribaea Jacq., Boerhavia coccinea Mill., Boerhavia decumbens Vahl., Boerhavia erecta L., Boerhavia hirsuta Willd., Boerhavia glandulosa Anderson., Boerhavia paniculata Rich., Boerhavia patula Dombey ex Vahl., Boerhavia polymorpha Rich., Boerhavia viscosa Lag. & Rodr., Boerhavia repens L. .medicinacaseira.com.br/erva-tostao

Composição Química:

Saponinas, bioflavonóides, resinas, sais minerais; ácido boerchavico; punarinavina; oxalato de cálcio; nitrato de potássio; carboidratos e substâncias pépticas.
www.plantamed.com.br: ácido boerhávico, amido, boerhavina, lipídeos, matéria sacarina, sais inorgânicos (nitratos), substâncias pécticas e gomosas.
fonte: UFLA-FAEPE- P.Pinto; Santiago; Lameira

Composição química: Alcalóides (concanvalina A, boerhavina), aminoácidos, ácido boerhávico, lignanas (liriodendrina, siringaresinol-B-glicosídeo), lipo-polissacarídeos, esteróis (beta-sitosterol, campesterol), ácido ursólico, liriodendrina, ácido esteárico, flavonóides, etc. .medicinacaseira.com.br/erva-tostao


Dados para Cultivo

Propagação: erva nativa, sementes

Espaçamento: erva nativa

Época de Plantio: erva nativa

Época Colheita: folhas secas: ano todo; raiz: ano todo (quando na maior atividade da planta, preferencialmente nas épocas de início de florescimento no verão chuvoso)


Informações Gerais

Contra Indicações:

Contra indicação: Não há referências sobre contra-indicações, porém, pelo princípio da precaução, não é recomendado extratos desta planta na gravidez e lactação. .medicinacaseira.com.br/erva-tostao

 

Modo de usar: -decoção de 20 g de raiz fresca ou 10 g de raiz seca em um litro de água. Depois que ferver deixe durante 10 a 15 minutos. Após, tapar e deixar esfriar. Tomam-se 4 a 5 xícaras ao dia.  .medicinacaseira.com.br/erva-tostao

​AlONSO, J. Tratado de Fitofármacos y Nutracéuticos. 1. ed. Rosario, Argentina: Corpus Libros, 2004.

DI STASI, L.C. & HIRUMA-LIMA, C.A., Plantas medicinais na Amazônia e na Mata Atlântica – São Paulo: editora Unesp, 2002.

Observações:

Seu nome popular deriva do fato de ter pelos glandulares que aderem aos pelos dos animais que os tocam .

Observações (2): Recebemos informações pessoais de seu uso em candidíase em banhos higiênicos com sucesso (ver no fim deste  texto)


Preparo e Conservação

Extrato Peso/Volume: 10


Uso Medicinal

Uso Principal:

Como protetor e estimulante da funções hepáticas: fazer infusão com 1 colher de chá de raiz fatiada por xícara de chá. Abafar por 10 minutos. Tomar 1 xícara antes das principais refeições. Protetor e estimulantes das funções renais, depurativo do sangue, eliminador do ácido úrico e uréia: 1 colher de chá de raiz fatiada em um copo de água em fervura; ferver por 5 minutos; tomar 1/2 do copo pela manhã e o resto à tarde até as 17 horas para não ser incomodado durante a noite pois é fortemente diurético. Como diurética seus estudos clínicos a validaram desde os anos 50, pois tem forte ação, principalmente em doses baixas (1-0300 mg/kg de peso vivo), enquanto que doses acima desta quantia produziram efeito contrário. A parte da planta com maior efeito diurético foram as raízes (extrato) que chegam a aumentar em 100% a quantidade de urina em 24 horas, com dose de 10 mg/kg de peso vivo

fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira

————————————————————————-

Partes usada: a planta inteira, principalmente a raiz.

Uso popular: Segundo a Irmã Eva Michalak, esta planta é indicada para dispepsia, congestão do fígado, hepatite, nefrite, sia, cálculos da vesícula biliar, retenção da urina e nervosismo.

Di Stasi assinala que na Região da Mata Atlântica o uso principal é na forma de infusão das folhas para expulsão de vermes (lombrigas) ou na infusão da planta toda contra hepatite e diarreia.

Pio Corrêa (1984) refere o uso da raiz para problemas do fígado, icterícia, excelente diurético e contra picadas de cobras.

Na forma de cataplasma feito com as raízes moídas e fervidas é usada contra mordedura de cobras e bicho-de-pé.

Na Índia, as raízes são usadas para tratar males do fígado, vesícula, rins e problemas urinários. Tem uso veterinário para abcessos de pele, onde é feito um emplasto com uma pasta misturada com vinagre(ALONSO, 2004).

Na Argentina a raiz é usada como colagogo, diurético (como diurético também os talos foliáceos), refrescante e purgante.

No Paraguai costuma-se incorporar as raízes machucadas ao mate tererê como bebida refrescante e energizante.

Na Martinica empregam-se as folhas na forma de decoção para fazer gargarejos em casos de faringite e angina. A decoção ou o suco das folhas são recomendadas como analgésicas e anti-inflamatórias.

Na Guatemala é empregada para tratar erisipela e como antiparasitário, etc.

Ações Farmacológicas: Foram demostradas as seguintes ações farmacológicas com extratos das raízes: hepatoprotetora, diurética, colerética, hipotensiva, antiparasitária, antimicrobiana, anti-inflamatória, anti-hemorrágica, antiespasmódica e imunomoduladora.

.medicinacaseira.com.br/erva-tostao

 

Uso Normal:

Uso interno, infusão, dose normal: indicada para todos os processos congestivos. Uso externo, decoto por 5 minutos de 2 colheres de sopa de folhas secas moídas em 1 copo de água, aplicar com chumaço de algodão nos locais afetados: reumatismo, contusões, esfoladuras, dores nas juntas, dores musculares. Uso interno, com raiz, decoto: auxiliar no tratamento da tuberculose, expectorante, hipotensor (abaixa pressão arterial), béquico, pertubações hepáticas, albumina, doenças venéreas, hepatite, icterícia, retenção de urina (quando não provocada pela doença prostatite , que para seus portadores não se pode dar diuréticos). Protetor e estimulante das funções hepáticas e renais: macerado de 2 colheres de sopa de raiz fatiada em uma xícara de álcool de cereais 50%, 5 dias, tomar 1 colher de café diluído em 1/2 copo de água, 2 a 3 vezes ao dia. Para picaduras de insetos, usar folhas em infusão na forma de cataplasma .

fonte: UFLA-FAEPE- P.Pintp; Santiago; Lameira

Propriedades medicinais: antiblenorrágica, antidispéptica, anti-hidrópica, antileucorréica, antinefrítica, desobstruente, diurética, peitoral. .medicinacaseira.com.br/erva-tostao.medicinacaseira.com.br/erva-tostao

Características:

Planta herbácea rasteira, de caule cilíndrico e decumbente. Raiz axial, pouco ramificada. Folhas pecioladas, opostas, ovais agudas, sinuosas, subcoriáceas, de base arredondada, verde-escura na parte superior e verde na inferior. Revestidas de pelos glandulares. Flores pequenas e sem pétalas. Fruto é aquênio pequeno com 5 costelas alongadas recobertas de pelos glandulares. Reproduz-se por fruto-semente (aquênio que aderem as roupas ou pele, quando tocados). Não é exigente quanto ao solo, prefere climas quentes. É planta invasora. Colheita em qualquer época do ano mas preferencialmente com plantas em início do florescimento, ou sob estresse.

Foto:

Foto 2:

Foto 3:

Foto 4: