Erva-de-santa-maria (Mastruço)

Nome cientifico: Chenopodium ambrosioides,L; Coronopus didymus L.

Sinonímia: Erva-formigueira, ambrosia, quenopódio, mastruso, mentruz, mentruz-rasteiro, mastruz-miúdo, mastruz, mastruz-dos-índios,mastruço-dos-índios, erva-vomiqueira, matri, mentrei, apazote, uzaidela, mastruço, canudo, erva-santa, mata-cobra, anserina-vermífuga, erva mata pulga, erva-das-lombrigas, ambrisina,cambrósia, ambrósia-do-méxico, apazote, caácica, chá-do-méxico, chá-dos-jesuítas, cravinho-do-ato, erva-das-cobras, erva-do-formigueiro, erva-ambrósia, erva-formigueira, erva-pomba-rota, erva-santa, pacote, quenopódio. fonte: UFLA- FAEPE
-PINTO-SANTIAGO-LAMEIRA

Composição Química:

Óleo essencial (substâncias sulfuradas), ascaridol (90%), cimeno, cineol, terpineno, limoneno, isomoneno, carenos, timol, carvacrol, enxôfre, Vitamina C, lineol.
Botsaris: ascaridol, p-cimeno, quenopodina, sivestreno, safrol, quercetina, quercetina-o-glicosídeo, isohametina.
UFLA- FAEPE
-PINTO-SANTIAGO-LAMEIRA


Dados para Cultivo

Propagação: planta nativa, sementes

Espaçamento: planta nativa

Época de Plantio: planta nativa

Época Colheita: planta toda fresca (folhas e ramos finos): ano todo


Informações Gerais

Contra Indicações:

Em doses altas é tóxico, ocasionado vertigens e vômitos. Não deve ser dado à gestantes ou mulheres em amamentação. Não fazer chás fortes (acima da dose indicada de 10% em peso do pó da planta em relação a água de extração pois provocam intoxicações.
Botsaris: não usar em velhos e pacientes debilitados. Nestes pacientes usar doses baixas como anti-helmíntico. Dose 1-3 g; cozinhar por pouco tempo. Preparados com óleo de mamona para reforçar as propriedades de eliminar parasitos.

UFLA- FAEPE
-PINTO-SANTIAGO-LAMEIRA

Observações:

Quando destinado à crianças fazer teste alérgico antes do uso. UFLA- FAEPE
-PINTO-SANTIAGO-LAMEIRA


Preparo e Conservação

Extrato Peso/Volume: 10


Uso Medicinal

Uso Principal:

Uso interno e externo, infusão (chá), 10% em peso da planta seca e moída, em relação a quantidade de água mineral (sem cloro) usada para preparar o chá (ferver durante 5 minutos, desligar e amornar tampado): ótima no tratamento de vermes (“lombrigueiro”); tuberculose, doenças de pele, estomática, anti-reumática, dores musculares, contusões, anti-helmíntica, para tratar gripe, depurativa do sangue, diurética, expectorante, antiescorbútica, contra tosses, fluidificador dos mucos pulmonares, estimula funções hepáticas, diabete, bronquite e tuberculose. Usar folhas e flores, na forma de suco, usando um copo comum da planta verde em dois copos de leite e bater no liquidificador. Tomar 1 copo do suco 1 vez ao dia durante 3 dias seguidos. A Organização Mundial da Saúde levantou que esta planta é uma das mais usadas em todo o mundo por suas qualidades medicinais. A planta triturada e fresca é usada para tratar contusões e fraturas na forma de emplasto (colocadas sobre a pele e cobertas com gaze ou pano).
Botsaris a indica para combate de picadas de animais peçonhentos principalmente as aranhas; efeito diurético; atividade antibacteriana

UFLA- FAEPE
-PINTO-SANTIAGO-LAMEIRA

Uso Normal:

Choques traumáticos ou quedas: para bursite: bate-la com álcool e sal (pouco), uso ; fazer massagens no local, 3 vezes/dia). Uso interno, infusão (chá), 1 xícara de café da planta fresca toda picada em 0,5 litro de água. Tomar 1 xícara de chá, de 6 em 6 horas: afecções das vias respiratórias (peitoral, sinusite, resfriados, gripes, bronquites, catarro crônico, inflamação da garganta), estimulante da digestão. Uso externo, cataplasma, planta amassada até formar papa com 1 xícara de vinagre, 1 colher de sopa, 0,5 litro de água: bicho-geográfico, contusões, pancadas, fraturas, como cicatrizante; como fungicida, nos fungos entre os dedos dos pés [inter-digitais “pé-de-atleta”. Usa-se seu sumo como peitoral, na medida de 4 colheres de sopa do sumo das folhas para 1 xícara de chá de leite; 1 vez ao dia; para menores de 2 anos, cortar a dose pela metade.

UFLA- FAEPE
-PINTO-SANTIAGO-LAMEIRA

Uso Normal:

Para controle de solitária juntamente com quina e Gravatá (partes iguais).
Botsaris indica o preparo desta planta com óleo de mamona para reforçar seu poder anti-parasitário. Dose 1-3 gramas, cozinhar pouco tempo (2-3 minutos).

UFLA- FAEPE
-PINTO-SANTIAGO-LAMEIRA

Características:

Erva perene ou anual, muito ramificada, com até 1 m de altura. Folhas simples, alternas, pecioladas, de tamanhos diferentes, sendo menores e mais simples na parte superior da planta. Flores pequenas, densas, dispostas em espigas, axiliares densas. Frutos muito pequenos do tipo aquênio, esféricos, pretos, ricos em óleo e muito numerosos, geralmente confundidos com sementes. Toda planta tem cheiro forte, desagradável e característico. Originária da América Central e do Sul, e expontânea no sul e sudeste do Brasil, onde é considerada planta daninha. UFLA- FAEPE
-PINTO-SANTIAGO-LAMEIRA

Foto:

Foto 2:

Foto 3:

Foto 4: