Cipó-de-gato

Nome cientifico: Macfadyena unguis-cati (L.)

Sinonímia: Unha-de-gato, andirapoampé, erva-de-morcego, erva-de-são-domingos, unha-de-morcego, mão-de-calango

Composição Química:

Glicosídeos do ácido quinóvico, sendo a parte osídica constituída de frutose e glucose respectivamente.


Dados para Cultivo

Propagação: Planta nativa, principalmente por sementes.

Espaçamento: Planta nativa

Época de Plantio: Planta nativa.

Época Colheita: Tubérculos: ano todo (melhor inverno seco); folhas: período vegetativo.


Informações Gerais

Contra Indicações:

Ver possíveis dados na janela Informações Úteis na Abertura do Site.

Observações:

Pode ser ornamental, para cercas e pérgolas.


Uso Medicinal

Uso Normal:

Suas folhas e tubérculos são usadas desde os tempos idos pelos indígenas para: picadura de cobra, diarreia, febre, reumatismo, inflamação intestinal, induzir a diurese. O extrato aquoso é indicado para: doenças venéreas, e malária. Tubérculos e nódulos radiculares são usados para hepatite (região sudeste).

Características:

Trepadeira- perene, vigorosa, caducifólio, de base lenhosa, com ramos terminais pendentes, dotados de ganchos aderentes semelhantes á “unha-de-gato”, originária do norte a sul do Brasil; raízes com tubérculos, folhas simples ou compostas, bi ou trifoliadas, subcoriáceas, quase glabras, cada folíolo com 8-14 cm comprimento; flores tubulosas, de cor amarelo-ouro, formadas no final do inverno, antes do surgimento na nova folhagem, formando um belos espetáculo nas árvores e cercas nas quais treparam, a pleno sol. Os frutos são vagens achatadas de mais de 30 cm de comprimento. Multiplica-se principalmente por sementes.

Foto:

Foto 2: