Castanha-do-pará

Nome cientifico: Bertholletia excelsa H.B.K.

Sinonímia: Castanha-do-brasil, júvia, touca, tocari, amendoeira-da-America, castanheira-do- brasil, amêndoa-da-America, amêndoa-do-pará, castanha, castanha-mansa, castanha-verdadeira, castanheira, castanheiro-do-pará, castanheiro, nhá-nhá, tocari, toucá, tucá, tucari, tururi.

Composição Química:

Contem Vit. A , Vit. B1 (Tiamina), Vit. B2 (Riboflavina), Vit. B5 (Niacina , Vit. C (Ácidoascórbico ), potássio, fósforo, cálcio, sódio, ferro; excelsina, oleína; éter estearina, iodo, cisteína, rica fonte de selênio (castanha), amino ácidos sulfurados: cisteina e metionina, glutamina, arginina, ácido glutâmico, óleo da castanha: ácidos graxos palmítico, olêico, linolêico, ácidos esteárico, mirístico, fitosterois,SELÊNIO,


Dados para Cultivo

Propagação: sementes

Espaçamento: planta européia, sem dados

Época de Plantio: planta européia, sem dados

Época Colheita: folhas: período vegetativo; frutos: verão


Informações Gerais

Contra Indicações:

Por ser rica em selênio, que é tóxico em grandes quantidades, manter a dose de consumo diário em 2-3 castanhas [bem mastigadas antes de engolir].

Valor Alimenticio:

Em teor de proteinas se equipara à noz e amêndoa. Tem na proteina excelsina alto valor biológico, sendo completa (pois contem todos os amino-acidos indispensáveis à manutenção da vida do homem ). É usada pelos trabalhadores braçais pela sua fonte energética , mas pelo seu alto teor de fósforo, pode ser usada por pessoas com grande atividade intelectual. Para melhorar sua digestão deve-se mastiga-la muito bem. Sua principal proteina, chamada de excelsina, é considerada uma proteína completa, como a lactoalbulmina, a caseína e outras.


Uso Medicinal

Uso Principal:

É uma grande fonte de selênio [ver dados em doenças neste site] (a castanha), um importante antioxidante nas reações metabólicas do organismo, e atualmente considerada como um excelente preventivo para doenças graves (câncer), pois combate os radicais livres do organismo.

Uso Normal:

É indispensável (as sementes) aos desnutridos, desmineralizados, aos anêmicos, tuberculosos, beri-beri, sendo o uso da sua casca para males do fígado. Alimentação das gestantes, lactantes, crianças em desenvolvimento. Devem ser comidas ao natural, bem mastigadas até formar uma massa líquida na boca, de 2 a 3 castanhas ao dia. Estimula o leite materno. É indicada em regimes vegetarianos por estimular a síntese de proteínas pelo organismo. É usado nas moléstias crônicas do fígado, na anemia, hepatite, desnutrição, como energizante.

Uso Normal:

Como fonte de selênio, consumir com alguma fonte de vitamina E [mel real]

Características:

Árvore de até 50 m de altura, 1-3 m diâmetro, tronco cilíndrico, reto, galhos concentrados na extremidade superior, copa pequena, casca espessa, dura fendida, folhas simples, alternas, pecioladas, oblongas, coriáceas, margem ondulada, 8-15 cm largura, inflorescência em panículas terminais, flores hermafroditas, grandes, solitárias, sesséis, tubulosas, protegidas por duas bractéolas, lígula estaminal linear laminada, com escamas internas, pétalas livres amareladas, ou brancas, aromáticas, fruto pixidio, arredondado, castanho, com um pequeno orifício na parte superior, chamado vulgarmente ouriço, com mesocarpo muito duro e lenhoso, contendo 15-24 sementes, angulosas com casca (testa) córnea e rugosa, de 4-7 cm comprimento.

Foto:

Foto 2: