Casca-preciosa

Nome cientifico: Aniba canelila ( H.B.K.)Mez.

Sinonímia: Casca-do-Maranhão, canela-cheirosa, folha-preciosa, amapaima, pereforá, pau-cheiroso.

Composição Química: Linatol, euginol, metil-eugenom, nitrofenicetano, álcool sesquil terpênico, anabasina e taninos.


Dados para Cultivo

Propagação: planta nativa

Espaçamento: planta nativa

Época de Plantio: planta nativa

Época Colheita: casca: ano todo (melhor: inverno seco); folha: período vegetativo (melhor antes florescimento)


Informações Gerais

Valor Alimenticio: Nada consta

Observações: Da madeira quando triturada e por destilação extrai-se um óleo essencial de cheiro intenso e agradável semelhante ao de bergamota ou a da canela, misturada com rosa que entra na composição do "cheiro-do-Pará ", e muito utilizada na indústria.


Uso Medicinal

Uso Normal:

Artritismo, hidropsia, digestivo, espasmos, espasmos gástricos, disenteria, atividade antibiótica, caquexia palustre, esgotamento nervoso, albumina, peitoral , carminativo, perda de memória, edema dos pés, catarros crônicos, leucorréia, sífilis, tônico, malária, clorose, artritismo, neurastenia; usando casca e folhas; em decocção, dose normal. Disenterias e diarréia; usando sementes; raladas na água.

Características: Originária da Amazônia brasileira. Árvore de até 27 m de altura, 40-50 cm de diâmetro, fuste ereto, copa pequena e frondosa, aromática com cheiro de canela e rosa adocicada, acizentada escura, folhas pecioladas, esparsas, cartáceas, elípto-lanceoladas, ápice acuminado, margem lisa, inflorescência paniculiforme, axilares, flores com segmento petalbides carnosos, ovário elípto-ovado, piloso, fruto baga oblongo, ou bolbosa com cúpula rugosa,

Foto:

Foto 2:

Foto 3:

Foto 4: