Canela-do-ceilão

Nome cientifico: Cinamomum zeylanicum[nome inválido-pré-Lineu; Cinamomum verum J.Presl

Sinonímia: A Canela (Cinnamomum zeylanicum) é uma planta medicinal também conhecida como Pau-Canela, Caneleira, Quinino, Canela-de-Ceilão, Madeira-Doce, Cássia e Gui Zhi (chinês). A Canela popular inclui inúmeras variedades da erva, como a Cinnamomum cassia e a Cinamomum saigonicum. Pertence a família Lauraceae.

Composição Química:

Óleo essencial, principalmente por um dos seus componentes o Aldeído cinâmico www.portaleducacao.com.br


Dados para Cultivo

Propagação: planta importada

Espaçamento: planta importada

Época de Plantio: verão chuvoso- planta importada


Informações Gerais

Contra Indicações:

A canela não deve ser usada por pessoas com febre, que estejam com hemorroidas ou urina sangrenta. Durante a gravidez deve ser usada em pequenas quantidades.
http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/plantas-medicinais-canela.html#ixzz2OlKMp56M

Valor Alimenticio:

Muito usada como condimento em doces, caldas, bebidas, e em alguns pratos da boa cozinha.

Observações:

A canela colocada em sachês ajuda a repelir traças.
A sua casca depois de extraida deve ficar cerca de dois anos em processo de secagem em repouso ao abrigo da luz direta e com ventilação contínua, para poder ser então consumida.


Uso Medicinal

Uso Principal:

Carminativo: eliminação de gases intestinais, resultados de fermentação de alimentos nos intestinos. Chá da casca do caule: 1 grama em um copo de água. Dose adulta: 3 xícaras de café ao dia. Dose infantil: uma xícara de café ao dia; no máximo duas que podem ser administradas em mamadeiras ou colheradas. Planta importada encontrada facilmente nos supermercados www.portaleducacao.com.br

Uso Normal:

Usos Tradicionais: artrite, incontinência urinária, cólica, diarreia, disenteria, dismenorreia, dor de cabeça, gases intestinais, gripe, indigestão, infecção fungosa, náuseas, pé-de-atleta, resfriados, tosse, vício de cigarro, vômitos.
Propriedades Medicinais: afrodisíaco, antibacteriano, antifúngico, carminativo, diurético, tônico digestivo.
A Canela é uma erva usada na medicina alternativa para melhorar a circulação. Seu uso prolongado é conhecido por embelezar a pele e promover uma aparência mais rosada e bonita para a pele. Ajuda a retirar a umidade no corpo. Usado por pessoas que sempre sentem frio e possuem circulação pobre. Pessoas que fumam muitos cigarros inalam a erva em uma vara oca, vez que é dito que o cheiro da Canela ajuda a perder a vontade de fumar.

Para refrescar a respiração, é usada como um condimento de pasta de dentes. Em forma de lavagem, previne e cura infecções fungosas como o pé-de-atleta. É muito usada também como óleo de massagem.
http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/plantas-medicinais-canela.html#ixzz2OlKMp56M

Uso Normal:

Durante a Peste Bubônica (Peste Negra), esponjas eram encharcadas em Canela e Cravo-da-Índia e colocadas em quartos de doentes.Nos séculos XV e XVI, a Canela era muito procurada.
http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/plantas-medicinais-canela.html#ixzz2OlKMp56M

Características:

A Canela era usada no Egito antigo para embalsamar corpos. Antigamente era acrescentada a comida para preservá-la por mais tempo. Durante a Peste Bulbônica (Peste Negra), esponjas eram encharcadas em Canela e Cravo-da-Índia e colocadas em quartos de doentes.
Nos séculos XV e XVI, a Canela era muito procurada em explorações marítimas para ser usada como tempero. Também era queimada e usada como incenso. O cheiro da Canela é agradável, estimula os sensos ao mesmo tempo que acalma os nervos.
Read more: http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/plantas-medicinais-canela.html#ixzz2OlKMp56M
—————————————————–
Árvore de porte médio, atingindo de 8 a 15 metros de altura por 40 cm de diâmetro. Casca pálida e sem pelos;

Folhas simples, opostas, ovadolanceolada, contendo três nervuras salientes; apresentam consistência coriácea, e aspecto luzidio na página superior;
Flores pequenas, branco-amareladas, formando pequenas panículas (Carriconde et al, 1995 in Silva, É. B da, 1997).

Foto:

Foto 2:

Foto 3: