Cagaiteira

Nome cientifico: Stenocalyx dysentericus

Sinonímia: Cagaita

Composição Química:

Estudos da composição nutricional de diversas frutas nativas do Cerrado verificaram que a cagaita possui um elevado teor de água (95,01%), sendo uma das frutas que apresentam maior percentagem de ácidos graxos poliinsaturados (linoléico e linolênico), ficando atrás apenas da amêndoa do baru e da polpa da mangaba. Possui maior teor de ácido linoléico (10,5%) que o azeite de oliva e de dendê. Quanto ao teor de ácido linolênico (11,86%), supera o do óleo de milho, girassol, amendoim, soja, oliva e dendê. Os ácidos graxos possuem importante papel no organismo humano, sendo o linoléico e o linolênico essenciais. São precursores de substâncias de papel importante na estrutura de membranas celulares, como componentes de estruturas cerebrais, da retina e do sistema reprodutor (ALMEIDA, 1998a).
Os teores de vitamina C da cagaita (18,28 mg/100 g) são superiores aos encontrados em muitas frutas convencionalmente cultivadas, como a banana madura e a maçã Argentina, de 6,4 e 5,9 mg/100 g, respectivamente (FRANCO, 1992).


Dados para Cultivo

Propagação: planta nativa

Espaçamento: planta nativa

Época de Plantio: planta nativa

Época Colheita: folhas, ano todo; frutos época oportuna


Informações Gerais

Contra Indicações:

Quando comidos em grande quantidade, provocam diarréia.
Seus frutos, porém, quando consumidos em excesso ou quentes, podem causar diarreia e embriaguez [www.portalsaofrancisco.com.br]

Valor Alimenticio:

A cagaiteira é considerada uma espécie de interesse econômico, principalmente por causa do aproveitamento de seus frutos na culinária. Além do consumo in natura, são inúmeras as receitas de doces e bebidas que levam o sabor de sua polpa. Esse aproveitamento é bastante difundido entre os habitantes do Cerrado, podendo ser encontrados, inúmeros pratos típicos da região confeccionados com essa fruta, com destaque para os doces, geléias, licores, refrescos, sorvetes e sucos.
Ainda imaturos podem ser utilizados como forragem para o gado (RIBEIRO et al., 1986). De sua polpa também são obtidos vinagre e álcool (CORRÊA, 1984).[www.portalsaofrancisco.com.br]


Uso Medicinal

Uso Normal:

Folhas : uso interno, chá por decoção : afecções das vias urinárias, oligúria, anúria, disúria, cistite (é eficiente diurético). Frutos : uso interno, comidos ao natural: diarreia e disenterias. Ver cuidados especiais em Informações Gerais.

Características:

As cagaiteiras podem atingir mais de 10 m de altura, embora a grande maioria apresente porte entre 4 m e 8 m; as folhas são caducas e seu tronco é muito sulcado, com forte presença de cortiça. Apresenta queda de folhas velhas, brotações novas, florescimento e frutificação em plena estação seca, mostrando grande adaptação em ambientes de solos pobres em nutrientes, com elevada acidez, presença de alumínio tóxico e com grande déficit hídrico em alguns meses do ano.

A cagaiteira tem flores completas e comportamento predominantemente alogâmico, com presença de autocompatibilidade. A planta é bem produtiva, podendo-se encontrar muitas com mais de 1500 frutos na mesma safra. Floresce de agosto a outubro e produz frutos de setembro a novembro. Em plantas individuais, o florescimento é muito rápido e intenso, durando no máximo cinco dias, com grande efeito ornamental. O período do florescimento à maturação dos frutos dura, no máximo, 40 dias. O peso dos frutos varia de 2,0 g a mais de 30,0 g, com maior concentração entre 6,0 g e 14,0 g, e seu diâmetro varia de 2,0 cm a 3,0 cm, sendo os frutos de forma periforme e casca de cor amarela a avermelhada, quando maduros. Os frutos apresentam de uma a cinco sementes, que germinam com facilidade, embora o desenvolvimento inicial das mudas seja muito lento. [www.scielo.com]

Foto:

Foto 2: