Boldo Rasteiro (Boldinho; Boldo Miúdo)

Nome cientifico: Plectranthus ornatus (Plectranthus neochilus).

Sinonímia: Plectranthus ornatus Codd. (boldo miúdo, boldo chinês, boldinho, boldo rasteiro).Sinônimo Científico: Coleus comosus Hochst. Ex Guerke [www.scielo.br]

Composição Química:

Estudos anatômicos dos tricomas glandulares em folhas e flores de Plectranthus ornatus, foram conduzidos por Ascensão et al. (1999), que identificaram 5 tipos morfológicos deste tipo de tricoma, nesta espécie. Albuquerque et al. (2003), encontraram um novo diterpeno em folhas de P. ornatus, além da barbatusina, já descrita anteriormente em P. barbatus. Estes autores relatam a substituição do uso de boldo miúdo, no lugar do falso boldo, mesmo sem confirmação da atividade hipo secretora gástrica, em P. ornatus. Rijo et al. (2002) reportam o isolamento de 3 diterpenoides, semelhantes à forskolina, em folhas de P. ornatus, sendo que dois dos constituintes apresentam atividade antibacteriana. O malvariço é muito utilizado no norte do Brasil, para inflamações de boca e garganta (Albuquerque et al., 1990; Oliveira et al., 2007a); na medicina caseira, é utilizado para dores de garganta, tosse, bronquite e para o alívio de inflamações ovarianas e uterinas (Matos et al., 1988). Existem relatos de estudos farmacológicos e microbiológicos sobre P. amboinicus (Alvin Jose & Janardhanan, 2005; Villate et al., 1999; Oliveira et al., 2007b).

O extrato hexânico de Plectranthus ornatus aumentou a atividade transcricional do GR com intensidade igual à da dexametasona. Quando adicionados conjuntamente, o extrato hexânico de P. ornatus e dexametasona, a atividade transcricional do GR foi intensificada. Os diterpenos ácido 11R*-acetoxicolavênico, 1a,6b,7b-triacetoxi-8,13R*-epoxi-14-labden-11-ona e 1a,6b,7b-triacetoxi-9-hidroxi-8,13R*-epoxi-14-labden-11-ona, isolados do extrato hexânico de P. ornatus, não tiveram qualquer ação sobre o receptor do GR.
fonte: http://biblioteca.universia.net


Uso Medicinal

Uso Principal:

Estudos anatômicos dos tricomas glandulares em folhas e flores de Plectranthus ornatus, foram conduzidos por Ascensão et al. (1999), que identificaram 5 tipos morfológicos deste tipo de tricoma, nesta espécie. Albuquerque et al. (2003), encontraram um novo diterpeno em folhas de P. ornatus, além da barbatusina, já descrita anteriormente em P. barbatus. Estes autores relatam a substituição do uso de boldo miúdo, no lugar do falso boldo, mesmo sem confirmação da atividade hipo secretora gástrica, em P. ornatus. Rijo et al. (2002) reportam o isolamento de 3 diterpenoides, semelhantes à forskolina, em folhas de P. ornatus, sendo que dois dos constituintes apresentam atividade antibacteriana. O malvariço é muito utilizado no norte do Brasil, para inflamações de boca e garganta (Albuquerque et al., 1990; Oliveira et al., 2007a); na medicina caseira, é utilizado para dores de garganta, tosse, bronquite e para o alívio de inflamações ovarianas e uterinas (Matos et al., 1988). Existem relatos de estudos farmacológicos e microbiológicos sobre P. amboinicus (Alvin Jose & Janardhanan, 2005; Villate et al., 1999; Oliveira et al., 2007b).

Uso Normal:

Uso de folhas e flores para: analgesia;na gripe; nas queimaduras; nas dermatites. [www.org.br]

Plectranthus neochilus. Determinou-se a composição química do óleo essencial das folhas desta espécie vegetal por técnicas de cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas. Os principais componentes encontrados foram os monoterpenos pineno (9,7), tujeno (9,0), terpinen-4-ol (4,8) e sabineno (4,7);os sesquiterpenos cariofileno (19,9) e óxido de cariofileno (15,5); e o diterpeno comunato de metila (4,4). A ocorrência de pineno e cariofileno como principais componentes do óleo essencial pode estar relacionada ao uso tradicional desta espécie vegetal contra dores estomacais. [www.biblioteca.universia.net].
Uso popular bem definido e disseminado pelos seus resultados é nas afecções do fígado e como digestivo.

Foto: