Angelicó (cipó-mil-homens)

Nome cientifico: Aristolochia trilobata L.

Sinonímia: Calunga, capa-de-homem, contra-erva, erva-de-urubú, papo-de-perú, urubú-caá, cipó- jarrinha, CIPÓ-MILOME

Composição Química:

Aristolochina (tóxico somente em altas doses)


Dados para Cultivo

Propagação: espécie nativa, propagando-se por sementes

Espaçamento: espécie nativa

Época de Plantio: espécie nativa

Época Colheita: raiz usada o ano todo; espécie nativa


Informações Gerais

Contra Indicações:

É usado como abortivo. Toxico em altas doses.

Teles: no caso de uso em mulheres em idade previsível de procriação; certificar-se com rigor a possível gravidez (mesmo super precoce  por  relações sexuais  nos dias imediatamente anteriores sem o exame específico de gravidez), pois pode ser usado neste casos para diversas patologias  específicas das mulheres, mas com observância obrigatória do citado acima

Por outro lado, a noção de que as plantas medicinais não fazem mal à saúde é uma questão interessante a ser levantada na própria comunidade. Sabe-se que certos compostos químicos, quando ingeridos em excesso ou
quando combinados, podem causar danos à saúde (Lorenzi
& Matos 2008).
É o caso de plantas do gênero Aristolochia sp. (muitas conhecidas pelo nome de cipó milome), uma vez que o ácido aristolóquico presente nas espécies do gênero possui potencial carcinogênico (Toro 2005).
http://www.scielo.br/pdf/abb/v24n2/a10v24n2.pdf


Uso Medicinal

Uso Normal:

Usando-se raiz, em decoto, como: febrífugo, tônico, abortivo, emenagogo, malária, orquite, blenorrágico, diarreia, disenteria, e eficaz contra veneno de cobra. Usando-se raiz, reduzida à pó, uso externo : cicatrizante, úlceras crônicas, lúpus, sarna. Os indígenas usam-na contra veneno de cobra.
Modo de usar:[www.plantamed.com.br]:
– decoção da raiz: febrífugo, tônico abortivo, emenagogo, malária, orquite, blenorrágico, diarreia, disenteria, o e eficaz contra veneno de cobra;
– pó das raízes externamente: cicatrizante, úlceras crônicas, lúpus, sarna.

Características:

Originário da Amazônia , Nordeste e Sudeste. Planta volúvel, delicada, caule cilíndrico, sulcado estriado, folhas simples, ovado-trilo batas ou tripartidas, flores solitárias, axilares, vistosa, sépalas bilabiadas, zigomorfas; fruto cápsula cilindro-oblonga, extremidades cupuliformes, valvar, fendendo-se na maturação e tomando aspecto de paraquedas, contendo sementes achatadas, ventralmente lisas e dorsalmente rugosas. Toda planta tem cheiro forte, sabor amargo e nauseabundo.
Suas flores são de formato bem típico e são por muitos,consideradas carnívoras pois atraem e digerem insetos.

Foto:

Foto 2:

Foto 3: