Amendoeira

Nome cientifico: Prunus amygdalu; Amygdalus communis;var. Dulcis e Amara DC.

Sinonímia: Amêndoa doce a amêndoa amarga; também conhecido como sete-copas (ornamental e arvore pra sombra)

Composição Química:

Contem Vit. A , Vit. B1 (Tiamina), Vit. B2 (Riboflavina), Vit. B5 (Niacina), Vit. C (Ácido ascórbico), potássio, fósforo, cálcio, sódio, ferro, magnésio. Glicosídeos e ácidos graxos. Albuminas, e óleo para as doces, açúcar. Contem óleo e amigadalina para as amargas (que fornece o ácido cianídrico).


Dados para Cultivo

Propagação: sementes

Espaçamento: 8x8 m convencional e 8x4 m plantio adensado

Época de Plantio: primavera-verão, depende de água e calor

Época Colheita: amêndoas quando maduras


Informações Gerais

Contra Indicações:

Não deve ser consumidos por pessoas com certas afecções hepáticas, como icterícia, cálculos biliários. As amêndoas amargas são levemente venenosas (amigadalina que fornece o ácido cianídrico), sendo que se um adulto comer cerca de 30 ou criança 15, ou empregadas em decoto ou infuso, podem intoxicar e até levar à morte. Nestes casos recorrer a um médico imediatamente.

[Lorenzi & Ufla)

A amêndoa amarga, “var. amara”, por seu lado, já não é comestível, por conter ingredientes nocivos à saúde, sendo muito tóxica, tanto para crianças, como para adultos.
Evitar, portanto, qualquer tipo de preparações com este tipo de amêndoas (assim como com as amêndoas dos caroços de pêssego e cereja), principalmente se no preparado entrar água e não for usado imediatamente.
A amigdalina em contacto com a saliva, por emulsão da enzima, transforma-se em ácido cianídrico, um veneno fortíssimo, que causa sufocação, vômitos, vertigens, aceleração do ritmo cardíaco e, até, morte.
[www.portalsaofrancisco.com.br]

Valor Alimenticio:

Riquíssima em gorduras e proteínas (as quais podem substituir a carne). Deve ser bem mastigada para facilitar a digestão e assimilação. É alimento energético, mas favorece também nas atividades intelectuais.

Observações:

Pode ser classificado como Amygdalus communis.


Uso Medicinal

Uso Normal:

Na forma de decoção ao leite, (colocar em água fervente, por poucos segundos, 10 amêndoas doces a fim de retirar a casca; coloca-las em um pilão até obter um papa; ferver por um minuto uma xícara de leite de vaca, com as amêndoas esmagadas, filtrar, adoçar com mel, e beber em seguida, repetir duas vezes ao dia): na acidez, úlcera gástrica (misturada com suco de couve, repolho), diarreia das crianças, na bronquite, na pneumonia, inflamações das vias urinárias, cálculos renais e vesicais, nas tosses. A amêndoa é usado para: anemia, afecções das vias respiratórias, diabete (misturado com suco de laranja ou limão), leucorreia, tônico do sistema nervoso, calmante, anti-helmíntica, manchas na pele (mistura de amêndoas e milho branco). O azeite (feito com a extração das amêndoas secas) é lactígena, esurina, refrescante, tônica, laxante, emoliente, inflamações gastro intestinais, ardor do estômago, bronquite, tosse, catarro das vias respiratórias, asma, inflamações das vias urinárias. Externamente o azeite é usado para: hemorroidas (quente), inchações dolorosas, dores reumáticas, dores de ouvido, frieiras, gretaduras, manchas do rosto . Para verminose: comer 10 amêndoas em jejum. Infuso de amêndoas a 5 usando-se dose máxima diária de 50 ml.

Características:

Foram plantadas no Rio Grande do Sul provavelmente vindas da África. Originária da Ásia. São árvores de grande porte (4-12 m) que apresentam folhas alongadas de bordos denteados, com frutos movais e achatados. Ramos esparsos, lisos, folhas alternas, ovaladas, pecioladas, lanceoladas, serrilhadas, flores vistosas com corola, branca ou encarnada, cinco pétalas, riscadas de vermelho, fruto drupa oval, verde. Existem duas espécies perfeitamente iguais entre si, mas uma oferece amêndoas doces e outra amargas. As amargas são levemente venenosas, sendo que se um adulto comer cerca de 30 ou criança 15, ou empregada em decoto ou infuso, podem intoxicar e até levar à morte.

Foto:

Foto 2: