Algodoeiros: Arbóreo (Mocó) e Herbáceo

Nome cientifico: Gossypium hirsutum L. Gossypium herbaceum; Gossypium arboreum L.

Sinonímia: Algodão, algodão-mocó, algodão-anual, amaniú (tupi), muginha (africano).

Composição Química:

Gossipol; furfurol; acetovanilona; betaina; fitosterol; serotonina, oleina e ácido palmítico; esteárico, aráquico e pectínico, tanino.
fonte: www.acidadenet.com.br.

Princípio Ativo : Gossipol, furfurol, acetovanilona, betania, fitosterol, serotonina, oleina e ácidos palmítico, esteárico, aráquico e pectínico.
Partes Usadas: Casca da raiz, folhas e sementes.
Princípio Ativo: furfurol, acetovanilona, serotonina, oleína e ácidos palmítico, esteárico, aráquico e pectínico, betaína, óleos essenciais, resinas, salicilatos (ácido salicílico), sesquiterpenos (gossipol), taninos, fenóis (ácido dihidroxibenzóico), ácidos orgânicos, (ácido málico, ácido cítrico), fitosteróis (b sitosterol), vitamina E, óleos fixos (ácidos graxos poli-insaturados).
[www.medicinacomplemantar.com.br]


Dados para Cultivo

Propagação: Sementes.

Espaçamento: 2/3 da altura média da variedade plantada.

Época de Plantio: 1 a 31 outubro (comercial SP),30-50 kg/ha-línter.

Época Colheita: Folha, raiz, durante ciclo planta, óleo semente, após colheita.


Informações Gerais

Contra Indicações:

A casca da raiz é abortiva, Segundo Dr. Brüning, é abortiva (mas aumenta a lactação).

Diminui a fertilidade masculina (gossipol) (Dr. Ferro).


Uso Medicinal

Uso Principal:

O óleo da semente faz aumentar a secreção das glândulas mamárias.
Nos EUA as cascas da raiz do algodoeiro foram muito utilizadas na indução do trabalho de parto ou para conter o sangramento pós-parto. Já na China o uso do óleo de sementes de algodão para cozinhar foi associado com esterilidade masculina. Por isto estas sementes foram usadas e posteriormente estudadas como contraceptivo masculino.[www.medicinacomplemantar.com.br.com.br].
Ação conhecida dos principais princípios ativos:
Gossipol:
• conforme trabalhos produzidos na China, possui atividade anti-fertilidade masculina, reduzindo a espermatogênese. Contudo suas concentrações na raiz são muito pequenas, não apresentando ação farmacológica significativa nas doses indicadas;
• exibe atividade antifúngica potente inibindo in vitro o crescimento de A. Fumigatus;
B sitosterol:
• exibe atividade estrogênica fraca;
• reduz os níveis séricos de colesterol;
• reduz e o tamanho da próstata em hiperplasia prostática benigna.
• Ácido cítrico possui atividade anticoagulante discreta.
Farmacologia dos Extratos:
Atua produzindo contração mantida do útero semelhante à induzida pela ergotamina. Em útero de ratas o extrato aquoso de G. herbaceum produziu contrações e inibiu a nidação de óvulos fecundados. Ele também exibe atividade vasoconstritora sobre os vasos endometriais, reduzindo o volume do fluxo menstrual e controlando hemorragia pós-parto. Também usado em miomas e na endometriose.
Extrato aquoso
• possui comprovada atividade antimutagênica
Extratos alcoólicos da raiz do Algodoeiro exibem atividade
• espasmolítica potente sobre vários tipos de musculatura lisa in vitro, incluindo íleo isolado de cobaias;
• atividade antiviral e estimulante do SNC, atribuídas aos óleos essenciais. A ação estimulante do SNC é acompanhada de estímulo do centro respiratório, com aumento da força e profundidade das incursões respiratórias.
Partes Usadas: Casca da raiz, folhas e sementes.

Uso Normal:

Usa-se casca da raiz, em decocto, como: hemostático, nas regras abundantes e hemorragias pós-parto, dores uterinas, provoca espasmos e contrações uterinas (necessárias em certas condições), emoliente, herpes, cravos e espinhas, diurético, adstringente. Folhas como sumo, na fraqueza pulmonar, com dose de 1 colher de chá em meio copo de leite. Em uso externo, alivia queimaduras, cicatrizante de feridas, reumatismo.
Algodoeiro – Gossypium herbaceum [www.medicinacomplemantar.com.br]

Características:

Atualmente são cultivados no mundo dois tipos diferentes de algodão: o arbóreo a o herbáceo. O algodão arbóreo é aquele que parece uma árvore mediana, de cultivo permanente. Já a espécie herbácea (Gossypium hirsutum L.r. latifolium Hutch) é um arbusto de cultivo anual, uma entre as 50 espécies já classificadas e descritas do gênero Gossypim. Das 50 espécies classificadas, 17 são endêmicas da Austrália, seis do Havaí, e uma no nordeste brasileiro. Cerca de 90% das fibras de algodão comercializadas no mundo são provenientes da espécie Gossypium hirsutum. Abaixo segue a taxonomia do algodão: Família: Malvaceae.
Tribo: Hibisceae
Gênero: Gossypium
Espécie: Gossypium hirsutum Raça: G. hirsutum latifolium fonte: www.algodao.agr.br
Em estado selvagem, os arbustos do algodoeiro conseguem atingir até 7 m de altura. As folhas são grandes, com três, cinco (ou mesmo sete) lobos. As sementes estão contidas numa cápsula, estando cada uma envolvida numa fibra felpuda designada pelo vocábulo inglês lint (plural: linters). As espécies mais utilizadas para fins comerciais são G. hirsutum (Estados Unidos da América e Austrália), G. arboreum e G. herbaceum (Ásia), e G. barbadense (Egipto). Os linters são, geralmente brancos, mas existem também variedades com cor castanha ou verde que, para não contaminarem geneticamente a variedade branca, têm a sua plantação banida junto às grandes produções de algodão.[www.wikipedia.com.br]
É um arbusto ramificado, folhas longo-pecioladas, palmatilobadas, flores solitárias, amareladas, de origem é incerta, provavelmente da Ásia. É cultivado desde a antiguidade. Existem registros anteriores a 500 AC, do seu cultivo, na Índia, China e no Egito. Foi introduzida nos USA desde 1774 e no Brasil no século XVIII pelos portugueses adaptando-se bem nos dois países. Muito utilizado na agricultura no combate às infecções e pragas.
[www.medicinacomplementar.com.br]

Foto:

Foto 2:

Foto 3:

Foto 4: