Alfazema Europeia

Nome cientifico: Lavandula angustifolia; Lavandula officinalis.

Sinonímia: Lavante, lavanda (Italy), lavande (England), lavande vrale (France), lavanda, lavanda-inglesa.

Composição Química:

Óleo Essencial: monoterpenos: linalol, acetato de linalila, cineol, cânfora e ocimeno, sesquiterpenos: (óxido de cariofileno) e ácido ursulcólico; Taninos; Ácido Rosmarínico; Cumarinas: herniarina; Flavonoides: luteolol; Fitosteróis.


Dados para Cultivo

Propagação: Sementes, estacas raiz estolonífera.

Espaçamento: Crescimento estolonífero natural, plantio em moita.

Época de Plantio: Primavera-verão, depende irrigação e calor.

Época Colheita: Flores (sumidades floridas) da primavera ao outono.


Informações Gerais

Contra Indicações:

Em doses acima das recomendadas é neurotóxico em uso interno e pode provocar dermatite de contato em uso tópico devido à presença do óleo essencial.
Não é recomendada a administração interna durante a gravidez, a lactação, para crianças menores de 6 anos de idade, para pacientes com gastrite, úlceras gastroduodenais, síndrome do cólon irritável, colite ulcerosa, doença de Crohn, afecções hepáticas, epilepsia, doença de Parkinson ou outra doença neurológica. Não administrar, nem aplicar topicamente a crianças menores de 6 anos de idade ou em pessoas com alergias respiratórias ou com hipersensibilidade conhecida a óleos essenciais. Provoca sonolência em altas doses.

Observações:

Tem ação inseticida. Aditivo como água de limpeza preferido pelos gregos e romanos na antiguidade; seu nome deriva de lavare = lavar. É intensamente empregada na indústria de perfumes, sabonetes, e em cosmética.


Preparo e Conservação

Extrato Peso/Volume: 10


Uso Medicinal

Uso Principal:

É indicada nos DISTÚRBIOS NERVOSOS: tensão nervosa, depressão, enxaqueca, ansiedade, insônia, taquicardia e hipertensão; nas AFECÇÕES RESPIRATÓRIAS: asma, tosse convulsiva, gripe e bronquite; nas AFECÇÕES GASTROINTESTINAIS: inapetência, dispepsias hipo secretoras e espasmos gastrointestinais; em espasmo, flatulência; no USO TÓPICO: feridas, úlceras, acne, picadas de insetos, reumatismo, psoríase, pediculose e no controle da oleosidade nos cabelos. Além disso, é muito utilizada na perfumaria, adotando notas agrestes, dando a impressão de frescor.
São ações que a Alfazema proporciona: espasmolítica, colerética, colagoga, anti- séptica, carminativa, repelente de insetos, refrescante e anti-reumática.
Promove uma ação sedante suave, pois o óleo essencial age sobre o mesencéfalo, estimulando-o através do nervo olfativo.

Uso Normal:

Uso Interno:
– Extrato Fluido (1:1): 10-20 gotas, três vezes ao dia;
– Tintura (1:5): 50 gotas, uma a três vezes ao dia;
– Infusão: 5 gramas de flores por xícara, três vezes ao dia, após as refeições;

Uso Tópico:
– Decocção: 30 a 50 g/l, ferver por dez minutos. Aplicar sob a forma de compressas, banhos e gargarejos;
– Alcoolatura: Sob a forma de compressas;
– Pomadas, géis e loções

Sua essência combate piolhos, sarnas e outros parasitas: colocar 2 colheres de sopa de sumidades floridas em 1 xícara de chá de vinagre branco. Deixar em maceração por 3 dias e coar. Aplicar no couro cabeludo, com ligeira massagem, deixando agir por 2 horas. Enxaguar e passar pente fino. Para sarnas aplique com algodão no local. Para corrimento vaginal; prurido vaginal: o mesmo preparado anterior adicionando-se 2 colheres de sopa à água do banho, fazendo-se banho-de-assento 1 vez ao dia. Para escaras de decúbito; queimaduras; picadas de insetos; afecções da pele; eczemas; dermatites; psoríase: em 1 xícara de chá colocar 2 colheres de sopa de sumidades floridas secas e moídas e colocar óleo de cozinha. Levar ao fogo em banho-maria por 1 hora. Esperar amornar e coar. Aplicar nos locais afetados com chumaço de algodão, 2 a 3 vezes ao dia; atua como bom cicatrizante.

Características:

Originária da Europa, aclimatada no Brasil. Arbusto de pequeno porte, que atinge 30 a 80 cm de altura, com caule esgarçado e estirado. Folhas pequenas e sem pecíolo, duras e finas, opostas, lanceoladas ou lineares, cor verde com reflexos prateados, cobertas com fina penugem. Flores dispostas em hastes terminais, azul-violácea com corola maior que o cálice. Da sumidade florida sai odor agradável e delicado. Fruto é aquênio oblongo e de cor escura. Do gênero Lavandula são conhecidos várias espécies de alfazema : Lavandula officinalis, L. spica, L. angustifolia, todas apresentando efeitos medicinais. Muito exigente quanto ao solo a ser plantado. Clima temperado a quente pois é originário das regiões mediterrâneas .

Foto:

Foto 2:

Foto 3: