Aipinho

Nome cientifico: Apium leptophyllum.

Sinonímia: Gertrudes, aipo-bravo.

Composição Química: Taninos condensados, ácidos fixos, cumarinas, glicosídeos flavônicos, esteroides, triterpenos [nos extratos brutos]. www.abf.org.br
Apium leptophylum (Pers.) F. Muell. ex Benth., Elvira biflora L. (DC.) e Vernonia polyanthes Less. são plantas da medicina popular empregadas para cicatrização cutânea. Em vista da importância de se ter conhecimento dos componentes vegetais que propiciam suas propriedades medicinais, realizou-se uma caracterização fitoquímica dos preparados populares dessas espécies de forma preliminar, por meio de análise de seus extratos brutos. Verificou-se a presença de ácidos fixos, amino grupos, cumarinas,
glicosídeos flavônicos, esteróides e triterpenos nos extratos brutos de todas as espécies. Taninos condensados foram encontrados em Elvira biflora e Apium leptophyllum. [www.abf.org.br]


Dados para Cultivo

Propagação: Sementes.

Espaçamento: Sem dados agronômicos ainda.

Época de Plantio: Primavera-verão- depende das chuvas.

Época Colheita: Ano todo.


Informações Gerais

Contra Indicações:

Planta daninha infestante de jardins e terrenos baldios.


Uso Medicinal

Uso Principal:

Apium leptophylum (Pers.) F. Muell. ex Benth., planta pertencente à família Apiaceae, segundo Newall etal. (2002) e Alonso (2004), possui propriedades que podem ser empregadas no tratamento de artrite, reumatismo, gota e inflamação no sistema urinário. Alonso (2004) afirmou ainda que, por via externa, esta pode ser utilizada para o tratamento de feridas na pele.
Newall et al. (2002) ao analisarem outra espécie pertencente ao mesmo gênero, a Apium graveolens L., demonstraram a presença de flavonóides (apigenina e isoquercetina), furanocumarinas (apigravina, celerina, umbeliferona) e óleos voláteis. [www.abf.org.br]

Uso Normal:

Uso externo, decocto, lavagem: desinfetante e cicatrizante de feridas e chagas.

Foto:

Foto 2: